Menu

28.1.17

{O menino que vê filmes} A Chegada



Direção: Denis Villeneuve
Elenco: Amy Adams, Jeremy Renner, Forest Whtaker, Michael Stuhlbarg, Tzi Ma, Mark O’Brien, Abigail Pniowsky, Julia Scarlett Dan
Sinopse: Quando seres interplanetários aterrisam suas naves em solo terrestre, a renomada linguista Louise Banks é convocada pelo governo americano para tentar desvendar a linguagem dos visitantes. Porém, a jovem tradutora acabará por fazer descobertas não só sobre a comunicação alienígena, mas sobre si própria.

ATENÇÃO: Alerta de Spoilers! Se você ainda não assistiu ao filme, prossiga por sua conta e risco!

Resenha

Oi, gente! Muita gente pediu que a resenha de hoje fosse sobre “Passageiros”, que eu assisti, mas achei insuportavelmente previsível. E vocês sabem que eu não gosto muito de resenhar filme se não for pra falar nada de positivo. Ah, teve também quem pedisse resenha do queridinho do último Grammy, o musical “La La Land”, mas ainda não tive tempo de assistir. Alguém que já tenha visto me recomenda? Particularmente eu não sou muito fã de musicais (os filmes não ficam dez minutos sem um trá-lá-lá e uma dancinha super elaborada, aff)... WHATEVER! O filme de hoje foi avaliado muito positivamente pela crítica em geral, motivo pelo qual eu decidi resenhá-lo.

Mas vejam bem, como diria minha mãe (e todas as outras mães), “você não é todo mundo”. Hahaha... Digo isso porque fui pela indicação da crítica e não saí com uma grande impressão do filme... Não é que seja ruim: é bom! Quero dizer, a ideia é genial e traz todos os elementos de um bom drama sci-fi. Mas é monótono. Quase cochilei algumas vezes.

Mas enfim, vamos ao que interessa!

Ambientação

Embora a invasão dos aliens se dê em escala global, o foco do nosso longa está na América do Norte (pra variar). E não podia ser diferente, já que nossos queridos brothers não são famosos por sua simpatia para com estrangeiros.


Porém, curiosamente, dessa vez os americanos ocuparam um papel de maior sensatez em relação às outras nações, já que optaram por tentar o diálogo ao invés de já sair apelando pra mísseis e bombas nucleares, como aconteceu em Independence Day (EUA, 1996).

De outro lado, os “afobados” da nossa história aqui são os chineses, que estão sempre na iminência de começar uma briga e, o que é pior, serem acompanhados no conflito por quatro outras nações.


Dessa forma, já deu pra entender que o destino do mundo está nas mãos dos EUA (pra variar de novo), mais precisamente (e literalmente) da Dra. Louise Banks, de quem a gente passa a falar a seguir.

A Protagonista

A jovem linguista Louise Banks (Amy Adams) é uma mulher marcada por acontecimentos trágicos envolvendo sua filha, a pequena Hannah (Abigail Pniowsky/Julia Scarlett Dan).

Louise é dona de uma personalidade melancólica, mas extremamente perspicaz, o que faz dela uma grande colaboradora do governo americano.

Uma vez recrutada para a missão, a Dra Banks junta-se ao físico Ian Donnely com um único objetivo: estabelecer contato com uma raça desconhecida.

Fotografia

A fotografia de A Chegada não deixa a desejar, uma vez que as paisagens (sobretudo aquelas em que as naves aliens aparecem pousadas) são de tirar o fôlego.

Por outro lado, quando a atmosfera não é de penumbra, é de pouco contraste, poucas cores. Confesso que isso deixa o filme um tanto sonolento.

Quem gosta de filmes do gênero já viu naves alienígenas de todo jeito. No nosso caso aqui as naves são bastante rudimentares, parecendo grandes bacias negras flutuando a alguns metros do chão.


Os seres interplanetários foram retratados de forma muito básica. Particularmente, acho que isso se deu porque o diretor quis frisar que a chegada das doze naves e toda a grandeza que um evento como este eventualmente carregaria consigo não são o foco principal da estória.

Conclusão

Vocês devem ter notado que a resenha ficou um pouco mais curta do que de costume, mas é que não dá pra falar muito mais que isso sem revelar toda a trama e desencorajá-los a assistir.

Embora, como eu disse antes, eu tenha achado o longa com uma pegada muito monótona, não deixo de recomendá-lo, uma vez que ele nos dá uma oportunidade de reflexão acerca de várias nuances da natureza humana, tais como nossas escolhas e nossos sentimentos em face dessa força chamada destino.
Até a próxima, gente!

24 comentários:

  1. Oi Lucas, tudo bem?

    Estou morrendo de vontade de conferir o filme. Todos tem falado muito bem dele e gosto bastante de ficção. Adorei a resenha!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. Oi, Lucas!!!!
    Estou louca para ler o conto em que o filme foi baseado.
    Como gosto muito de ficção-científica essa lentidão não ia ser problema para mim, mesmo no conto quanto no filme.
    As imagens do filme estão muito bacanas. E com certeza vou assistir ao filme!
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cris! Então, ainda não li, mas pretendo! Fiquei curioso pra conhecer o conto! Bjos

      Excluir
  3. apesar da critica positiva confesso que não me atraio por filmes com essa proposta de ficção científica
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Lucas! Eu já assisti o filme e gostei bastante. Não foi conforme minha expectativa de como seria o filme, porém eu achei bem interessante. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vitória! Também fiquei um pouco desapontado, mas no geral o filme é muito bom sim! Bjos!

      Excluir
  5. Oi, boa resenha!
    estou este filme me deixou super curiosa já que a abordagem é bem diferente dos clichês de Hollywood.
    www.sramaia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Nunca tinha ouvido falar do filme,mas ando meia desatualizada em cinema

    ResponderExcluir
  7. Oi! Não é meu gênero favorito, acho que o único filme que assisti sobre foi A Hospedeira, que adorei. Mas filme monótono não é comigo, é soneca na certa! Adoro a Amy, mas não daria uma chance pra esse. Hoje não, Faro! hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha se você é das que cochilam no cinema, não recomendo mesmo não, viu Jéssica? Bjos

      Excluir
  8. Oi Lucas,

    Cheguei a pensar em assistir esse filme, mas a história é tão batida, tão comum, que acabei passando outros na frente.
    Adorei o post, vou começar a acompanhar os futuros.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rafa! Apesar de tudo conseguiram fazer um filme diferente de outros com o mesmo tema... Obrigado por comentar! Bjos

      Excluir
  9. Olá,
    Tenho visto várias resenhas bem positivas sobre o filme, mas infelizmente não consigo me sentir intrigada a assisti-lo.
    Achei interessante também que finalmente o pessoal resolveu mudar um pouco e ao invés de declarar guerra ao desconhecido tentar se comunicar e esse enfoque é bem original.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Michele! Essa abordagem diferente foi o ponto alto, na minha opinião 😉

      Excluir
  10. Olá, obrigado por essa critica ao filme, estava buscando ver e agora gostei ainda mais da ambientação da história. Gostei destas naves mais rudimentares e um enredo bem construído.
    Obrigado mesmo, já me fez querer ver o filme.

    ResponderExcluir
  11. Olá! As vezes também tenho muita coisas a dizer mais não digo para não tirar a surpresa, então entendo porque a resenha ficou curta mais isso não tirou a qualidade dela, está ótima. Apesar de ser um pouco monótono do filme que bom que ele trás reflexão, gosto de quando algo faz refletir. Beijos'

    ResponderExcluir
  12. Oi Lucas... confesso para vc que esse tipo de filme não é muito o meu estilo sabe? Gostei muito da forma como vc o resenhou e pelo que disse, a questão que é mostrada sobre a natureza humana é fundamental. Mas se em alguns momentos você quase cochilou, pode ter certeza que eu teria dormido gostoso hahaha

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha foi difícil, mas valeu a experiência mesmo assim... Bjos!

      Excluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.