Menu

2.1.17

{Resenha} Enclausurado




Autor: Ian McEwan
Editora: Companhia das Letras
Sinopse: O narrador deste livro é nada menos do que um feto. Enclausurado na barriga da mãe, ele escuta os planos da progenitora para, em conluio com seu amante — que é também tio do bebê —, assassinar o marido. Apesar do eco evidente nas tragédias de Shakespeare, este livro de McEwan é uma joia do humor e da narrativa fantástica. Em sua aparente simplicidade, ''Enclausurado'' é uma amostra sintética e divertida do impressionante domínio narrativo de McEwan, um dos maiores escritores da atualidade.



Um bebê está enclausurado na barriga da mãe e ainda assim é o nosso narrador. Curioso não? Em seu estágio final na barriga da mãe, o bebê escuta tudo o que acontece ao seu redor desde que se formou sua consciência.

Sua mãe Trudy e seu pai John Cairncross estão "separados". Trudy pediu espaço a John e praticamente o expulsou de casa. Apesar disso, Jonh vem todas as tardes visitá-la e ler poesia, mas é durante à noite que certos planos são feitos.



O bebê nos conta os planos que sua mãe Trudy e seu tio Claude, amante dela, para assassinar seu pai. John é um homem com uma ingenuidade rara, mas está prestes a deixar a vida como ela é. Herdeiro de um casarão avaliado em muito dinheiro, apesar do péssimo estado de conservação, ele se deixa levar pela recusa de Trudy viver com ele e mal sabe o que lhe espera.

Vir ao mundo sem um pai não é algo que o pequeno bebê queira, mas ter Claude como padrasto é uma ideia muito pior. Como é a biologia que manda, esse pequeno escuta tudo e deseja que seus pais possam ficar juntos e evitar a morte de um deles, mas o que ele pode fazer? Apenas escutar e torcer para que os planos deem errado.

Durante a história, vamos conhecendo fatos que o bebê não tem como ter acesso direto e quando enfim ficamos sabendo, tornam-se uma verdadeira surpresa para o leitor e para nosso narrador também. Temos também a relação mãe e filho que é praticamente unilateral, já que Trudy tem certo descaso ao cuidar da própria gravidez, mas os dois são bastante unidos pelo compartilhamento do bom gosto para vinhos. Esse bebê já vai nascer com o gosto apurado, heim?

Ian McEwan teve como inspiração a tragédia Hamlet de William Shakespeare, onde Hamlet descobre que seu tio Cláudio envenenou seu pai. Para quem já leu e gostou desse clássico, também vai gostar e se envolver com Enclausurado.



Esse livro foi meu primeiro contato com a escrita de Ian McEwan e posso dizer que desejo ler outros livros do autor. Um que já está na minha lista é o livro Reparação, que já foi adaptado para o cinema.

“Não é o amor dela que está faltando, É o meu. É meu ressentimento que está nos separando. Recuso-me a dizer que a odeio. Mas abandonar um poeta, qualquer poeta, por Claude! É duro, e também é duro que o poeta seja tão frouxo.” Página 41

Enclausurado é um livro lento e não tem uma leitura fácil, mas é bem construído. A narração é bem construída e elaborada. Colocar um bebê como narrador dessa história de assassinato foi genial! A partir de sua perspectiva, com sarcasmos e ironia, conhecemos os fatos que levam ao plano de assassinato. Extremamente articulado, ele também tece comentários espirituosos e bem informados sobre a atual situação do mundo. Esse bebê tem mais conhecimento de mundo do que muita gente que já vive nele há bastante tempo.



36 comentários:

  1. Olá
    Eu não conhecia esse título e fiquei curiosa diante da premissa - um tanto estranha e beem curiosa mesmo - , por isso adorei poder conferir suas impressões a respeito. Compreendi um pouco, mas fiquei intrigada sobre algumas coisas, inclusive imagino que deve ser uma leitura que precisa ser feita com um pouco mais de atenção, certo?
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Sim! Apesar de ser um livro curto, a atenção é precisa, pois esse narrador é mais esperto do que nós. rsrsrs...
      Beijão!

      Excluir
  2. Oie! Tudo bem? Amei a capa desse livro, mas só lendo a sinopse vejo que ele não é indicado para mim por enquanto, estou correndo de todos os livros que pareçam bem psicológicos, pois o meu não está bom ainda para esse tipo de livro! Ótima resenha!
    Bjss http://resenhasteen.blogspot.com.br/2017/01/um-porto-seguro.html

    ResponderExcluir
  3. OI,

    Eu adorei a capa do livro, mas acho que o livro é bem forte. Acho que leria ele em outra ocasião. Eu amei seu blog. <3

    Abraços...

    http://blogmichaelvasconcelos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Corri pra colocar o livro na minha lista de leitura. É o tipo de livro que vejo a proposta e penso "poxa, eu poderia ter tido essa ideia antes e escrito" hahaha, isso quer dizer que a ideia é genial. Um bebê na barriga da mãe como perspectiva, incrível! Mesmo tendo uma leitura lenta e difícil, adorei e quero ler o quanto antes.

    Um abraço!
    Parágrafos & Travessões

    ResponderExcluir
  5. Li um livro do autor, o mais famoso dele, reparação e amei. Estou bem curiosa pra ler este aqui também, porque essa voz narrativa é muito original e acho que será emocionante acompanhar isso. Adorei sua resenha.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. o texto e a trama como um todo são bem tensos e intrigantes, fico muito curiosa, por incrivel que pareça, uma vez que não é meu tipo preferido de livro

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá Cris, tudo bem?

    Ao ver essa capa nunca imaginei que o livro traria este tipo de enredo. Estou chocada, por assim dizer. Como colocar um bebê numa situação dessas? É punk demais, nossa senhora. E que mãe também heim. Nossa senhora :o . Já vou anotar o título dele aqui e pretendo adquiri-lo logo logo.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Pamela!
      Quando vi a capa pela primeira vez, a achei bem esquisita. rsrsrs... Quando tiver a oportunidade de ler, leia. É um livro muto psicológico e bacana. ;)
      Beijão!

      Excluir
  8. Olá!! :)

    Não conhecia este livro mas adorei faze-lo pela tua resenha! :) A capa esta muito bacana mesmo! ahah

    De resto, achei que não foi muito criativo assim, mas leria, ainda que a leitura não seja assim muito fácil..!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  9. Oie!
    O único detalhe que não gostei é que o livro é um tanto lento. Mas achei a história muito interessante.
    Espero ter a oportunidade de ler esse livro em breve.
    bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    A premissa desse livro é inovadora. Imagino que deve ser interessante - e angustiante - ler um livro com a ideia de ser narrado por um bebê que está no ventre da mãe.
    Suas impressões foram ótimas e fiquei muito interessada na inspiração em Hamlet. Acho que o autor escreveu muito bem e é uma obra que eu leria, sem dúvidas.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  11. Olá,

    Não conhecia essa obra, mas infelizmente não conseguiu chamar minha atenção. Achei esquisito isso, do bebê na barriga da mãe narrar tudo, realmente é muito irreal para mim e por isso não conseguiria ler esse livro, com o cuidado que ele merece. Ainda assim, fico feliz que você tenha apreciado essa obra.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  12. Oi!

    Já vi algumas resenhas sobre esse livro e confesso que acho a premissa bem curiosa mesmo, além de original. Acho que nunca vi nada parecido. Gostei das suas impressões sobre a obra, mas não sei se eu leria por agora, não é bem algo que eu estou procurando. Mas parabéns pela resenha e anotei a dica. :)

    bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Anelise!
      Acredito que seja uma obra que você tem que ler e estar concentrado. Quado puder leia sim. :)
      Beijão!

      Excluir
  13. Ola
    Nossa, nao conhecia esse livro e confesso que ele me despertou certa curiosidade. A premissa parece ser bem diferente de qualquer livro que eu tenha lido... mas para ser sincera, não sei se no momento eu o leria, quem sabe mais pra frente ele não seja uma boa pedida?

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Realmente, é uma leitura para se ler com calma. Não é o tipo de livro que a gente pega apenas para distração. Tem que a ver certa concentração. ;) Leia mais para frente sim.
      Beijão!

      Excluir
  14. Que incrível! Incrível o contexto, impressionante imaginar esse tipo de narrativa, fora a capa do livro que chama atenção de tão peculiar. Olhando assim, eu nunca imaginaria quem de fato é o narrador do livro, tem chance, com certeza, eu leria o livro.
    Bjks
    Amei a resenha e seu jeito de escrever

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      É bem peculiar mesmo né? Quando a vi passei alguns segundos tentando assimilar. rsrs... E quando puder, leia. ;)
      Obrigada!
      Beijão!

      Excluir
  15. Fiquei curiosa com esse livro ao mesmo tempo que tem.um.potencial muito grande para dar merda. Por exemplo, é fantástico a ideia de um.narrador bebê mas se ela não souber abordar isso fica péssimo. Mesmo assim eu vou querer ler e conferir. Beijos

    ResponderExcluir
  16. Não sabia dessa inspiração em Hamlet, sua resenha é a primeira que vejo mencionar isso, e foi a única coisa que achei interessante a respeito da obra. Fora isso, não tenho vontade de ler, é algo bem diferente mas acho cruel demais o bebê ter que acompanhar o planejamento do assassinato do próprio pai. Não é pra mim esse tipo de leitura.

    ResponderExcluir
  17. Realmente o autor foi bem criativo ao criar essa premissa, mas penso que eu não leria o livro por motivos de não conseguir levar a sério um feto que pensa e sabe mais da vida, e tem sentimentos, e isso iria fazer a leitura não ser tão legal para mim.

    ResponderExcluir
  18. Oie, achei bacana a premissa desse livro e é bastante inovador ser narrado por um bebê. Eu li um de IAn McWan e sei como é a escrita, não é fácil de ler mas é bacana. Gostei de saber que foi baseado em um livro e shakespeare. Ele está na listinha de futuras leituras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tamara!
      Sou louca para ler outro livro dele, no caso Reparação. Já tenho o livro na estante, só falta o tempo mesmo. Quem sabe esse ano dá certo?
      Beijão!

      Excluir
  19. Um bebê narrando os fatos? Realmente isso é uma inovação perigosa, e apesar da narração lenta e cheia de ironia, fiquei bem interessado para conhecer essa nova perspectiva de escrita, gosto de uma boa inovação. A premissa é algo encantador.

    ResponderExcluir
  20. Oi, Crislane!
    Já vi algumas pessoas comentando que esse livro é muito bom, mas não tinha dado tanta atenção a trama. Bem curioso e diferente a ideia de trazer um bebê ainda na barriga da mãe como um narrador, genial mesmo! Gosto de livros do gênero e com certeza quero ler esse livro em breve.

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Quando tiver a oportunidade leia sim, Rafaelle. ;)
      Beijão!

      Excluir
  21. Oi, tudo bem?
    Eu já vi esse livro por ai e embora não seja o tipo de leitura que costumo fazer, eu fiquei bem curiosa, pois achei bem interessante e diferente ser um livro narrado por um feto e deve ser bacana acompanhar todo o desenrolar da história, mesmo a leitura da mesma sendo lenta.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  22. Oieee
    Tudo bom?
    Achei a história bem interessante, nunca vi um livro onde a narrativa é de um bebê ainda dentro dá barriga da mãe.
    Mesmo a narrativa sendo lenta, acho que daria uma chance ao livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  23. Olá
    não conhecia esse livro mas fiquei bem curiosa pois tem, um enredo diferente, muito interessante apesar de não ser algo que leria por agora, quero com certeza saber mais para quem abe arriscar pois parece bom

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Olá! Já conhecia esse livro, e tenho curiosidade de ler por causa do narrado. Não é sempre que a história é contada pro um bebê que nem nasceu ainda. Saber que a leitura não é fácil desanima um pouco. Mas que bom que a narração é bem construída. A resenha ficou muito boa. Beijos!

    ResponderExcluir
  25. Oi, tudo bem?
    Eu eu li esse livro logo que foi lançado e de início achei um pouco estranho a história ser narrada por um bebê que nem ao menos tinha nascido. Mas a visão em si vai ficando cada vez mais interessante no decorrer das páginas e realmente é um livro brilhante.
    Bjs

    ResponderExcluir
  26. Olá!

    Tenho uma certa aflição para ler este livro. Deve ser uma historia bem agoniante, pois só de ler as resenhas das obras me pego em um desespero total.

    A pessoa deve ter um psicológico bem forte para conseguir digerir esta história e estou na espera de uma oportunidade para poder me arriscar.

    Amei saber que se tem referência de Shakespeare, o que me deu ainda mais vontade de realizar a leitura!

    Dica anotada (:

    ResponderExcluir
  27. Oi, Cris

    Quando vi esse livro dentre as opções da editora eu quase solicitei, mas o fato da história ser narrada pelo feto me causou certa estranheza. Eu fiquei interessada por um lado e receosa por outro. Essa é a primeira resenha que leio do livro e confesso que o enredo se envereda por um lado que eu não imaginava. Eu não leria agora, mas certamente a minha curiosidade ainda se mantém e assim que eu achar que encontro-me em um momento propício eu posso vir a ler.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  28. Oi, tudo bem?
    Achei a ideia do livro bem interessante e inovador. Nunca li um livro com trama parecida com essa, e ver tudo do ponto de vista do bebê torna o livro ainda mais diferente. Achei bem original e só pela resenha, senti uma agustia imaginando as situações que o bebê ouviu.

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.