Menu

11.1.17

{Resenha} Lobo por Lobo - Ryan Graudin



Autora: Ryan Graudin
Editora: Seguinte

Sinopse: "O Eixo ganhou a Segunda Guerra Mundial, e a Alemanha e o Japão estão no comando. Para comemorar a Grande Vitória, todo ano eles organizam o Tour do Eixo: uma corrida de motocicletas através das antigas Europa e Ásia. O vencedor, além de fama e dinheiro, ganha um encontro com o recluso Adolf Hitler durante o Baile da Vitória.
Yael é uma adolescente que fugiu de um campo de concentração, e os cinco lobos tatuados em seu braço são um lembrete das pessoas queridas que perdeu. Agora ela faz parte da resistência e tem uma missão: ganhar a corrida e matar Hitler. Mas será que Yael terá o sangue frio necessário para permanecer fiel à missão?"



Meu amor por livros ambientados no pós-Grande Guerra (e variações) não é segredo para ninguém. Lobo por Lobo tornou-se o segundo lugar da minha lista de livros preferidos sobre o tema, atrás apenas de O Menino dos Fantoches de Varsóvia (meu xodó!). Por que não o primeiro lugar? Vejamos...

Em Lobo por Lobo, Yael, uma sobrevivente do caos instalado por um Hitler vitorioso, é membro da resistência e tem grandes planos para a revolução: matar o Fuhrer em uma transmissão ao vivo para todo o mundo e, assim, incitar a guerra que levaria à liberdade. Suas desvantagens? A Gestapo, a ss, o fato de Hitler evitar aparições públicas. Sua vantagem? Ser a vítima de um experimento num campo de concentração que, com o intuito de dar-lhe feições arianas, acabou culminando em sua habilidade de trocar de rosto facilmente. 

Entretanto, a habilidade de assumir a pele de outras pessoas acaba fazendo Yael, pouco a pouco, perder sua identidade. Se eu pareço essa pessoa, se eu falo como essa pessoa, se eu me visto como essa pessoa, como eu posso não ser essa pessoa? A única coisa que a lembrava da garota que ela já foi e de tudo que ela já viveu era a marca em seu braço. Os números negros e tortuosos tatuados às pressas no campo de concentração. Com o tempo, Yael aprendeu a olhar para eles com outros olhos. Não como marcas de uma época ruim, mas como marcas de quem ela era e porquê ela devia lutar; assim sendo, tatuou, em cima dos números rabiscados, 5 lobos, levando consigo a lembrança de 5 pessoas que fizeram parte de sua reinvenção. 
"O reflexo de Adele pairou no vidro. Encarando Yael com a mesma ferocidade com que a verdadeira Wolfe havia encarado.Quem é você?Uma vez, apenas uma, Henryka teve o cuidado de perguntar a Yael como era sua verdadeira aparência. Antes das agulhas do dr Geyer. Antes da queimadura, do alvejante e das trocas de pele. Antes dos muitos rostos de outras garotas (...). Yael abriu a boca para responder e, com espanto, percebeu que não lembrava.Ela não lembrava. Ela não lembrava.Que tipo de pessoa esquece o próprio rosto?("Não tem problema", Henryka havia lhe dito. "O que importa é o que está dentro de você.")Mas o que estava dentro dela? Um coquetel invasivo de substâncias químicas, em que não confiava plenamente. (...) Reações em cadeia no corpo que ela havia tentado pesquisar, compreender, entender. Mas nada nos volumes de biologia e química orgânica de Henryka explicava seu metamorfismo.O que quer que espreitasse dentro de Yael, era novo. Revolucionário."

A missão da nossa protagonista, então, consistia em assumir a identidade de Adele Wolfe, participar de uma corrida de motos com outros jovens arianos, ganhar o primeiro lugar e garantir um encontro com o Fuhrer. Um encontro com a oportunidade de derramar seu sangue e libertar seu povo. Porém, nem tudo são flores. Yael podia ter a aparência de Adele Wolfe, mas não tinha sua experiência, não sabia como lidar com os outros corredores - principalmente com Luka Lowe, com quem Adele parece ter tido um passado misterioso. Ademais, Felix, irmão gêmeo de Adele, inscreve-se de última hora na corrida e, tentando proteger a irmã, Felix acaba colocando a missão da resistência em risco. 

"Yael sentou no colchão, arregaçou a manga esquerda e tirou a gaze sob a qual a matilha corria em sua pele. Vlad ainda estava inchado e em carne viva. Sensível demais para tocar. 

Ela passou o dedo de leve sobre os outros, deixando seus nomes se prolongarem na ponta de sua língua.

- Babuskha, Mama, Miriam...
Aqueles consumidos pelas cinzas.
-Aaron-Klaus, Vlad.
Yael engoliu em seco. Cinco lobos. Quatro lembranças e um lembrete. 
Sua perda era maior do que aquilo... no entanto, quatro mais um era um número que conseguia lembrar. Um número com o qual conseguia lidar sem deixar que a vastidão a cortasse feito as garras de um caranguejo. 
(...)
Por isso, toda noite antes de dormir, ela arregaçava a manga, traçava os lobos e dizia o nome deles. Em algum lugar ali, naqueles fragmentos de almas e memórias perdidas, estava Yael. 
Não nas substâncias químicas, mas na essência. A verdadeira Yael. 
Já tinha perdido seu rosto. Não podia deixar que o resto dela (por mais sombrio, por mais falho que fosse) escapasse. Então traçava e dizia os nomes. Sofria e sentia raiva.
Ela lembrava."

 Agradou-me ver que, mesmo com habilidades especiais, a nossa protagonista não era perfeita, não era uma máquina de matar. Era uma garota com algum treinamento, nada além disso. Facilmente enganada, facilmente sobrepujada por alguém maior (nada de "Yael lutou contra 3 fortes homens e os derrubou com 4 golpes"), facilmente encurralada - afinal, uma garota em sua essência. Uma garota susceptível aos encantos de um amor que não é realmente seu, susceptível à dor de um irmão com o qual ela não compartilha nenhum laço sanguíneo. 

Ryan Graudin produziu uma novela sobre um plano de fundo histórico, criou várias possibilidades e deixou minha mente matutando com tantos "e se" sobre a vida e a morte do Fuhrer. Creio que o fato de tantas possibilidades foi o que fez com que eu não amasse ainda mais esse livro - eis o motivo de eu não dar-lhe medalha de ouro. Por exemplo: Hitler em sua vida sofreu várias tentativas de assassinato; no livro, Ryan cria uma tentativa nova com uma motivação nova com um personagem novo. Por que não transformar uma tentativa real, alterar detalhes, dar história aos personagens que viveram anos atrás, dar um novo nome a eles? Por que não reinventar o que já está escrito, o que já aconteceu? Foi com esse pequeno detalhe que O Menino dos Fantoches de Varsóvia me ganhou: misturando história e arte. 

A capa do livro é belíssima, sério! Apaixonante! A diagramação, de modo geral, tem pequenos problemas que interferem no meu TOC mas não prejudicam demasiadamente a leitura - uma vírgula faltando aqui, uma troca de "Felix" por "Feliz" ali... O que me chateou de verdade foi ter que abrir o Google tradutor para entender algumas palavras em alemão, já que não havia um rodapé com a dita cuja. Custava colocar, poxa? Creio que o original em inglês também não possuía as traduções mas DEVIA, TÁ? Fica a dica aí pros gringos. 

Fora esse leve aborrecimento com as traduções inexistentes, é um livro maravilhoso. Tem história, tem ação, tem romance, tem tudo! Yael é uma personagem apaixonante desde a primeira página; as outras personagens, com o desenrolar da trama, mostram-se dignas de toda nossa empatia também. Vale a pena conferir esse enredo de pertinho; recomendo a leitura e ainda dou 5 estrelas ao melhor livro de 2016 - porque O Menino dos Fantoches de Varsóvia eu li em 2015, tá? haha.

58 comentários:

  1. Olá
    Eu não conhecia esse livro, mas parece ser bem interessante, especialmente depois de poder conferir suas impressões a respeito. Pós guerra e relacionados também chamam muito a minha atenção, especialmente por conta dos detalhes envolvidos, por isso é claro que fiquei bem curiosa. Fiquei mesmo apaixonada pela capa do livro, não há dúvidas de que gostaria de ler sim
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou! Se pós guerra já é emocionante imagina um pós guerra diferente do que a gente já conhece, com o Hitler saindo na frente? Nem imagine, só leia, haha
      Beijos!

      Excluir
  2. Olá.
    Toca aqui flor, eu amo tudo referente ao período da guerra e pós guerra. E um enredo que também envolve romance e ação é claro que tem a sugestão anotada, mesmo sendo bem diferente do eu imaginava.
    Esses pequenos detalhes que deixam passar na revisão é mesmo irritante, uma pena, pelo menos não interfere em nada além do TOC hahaha.

    Até mais!!
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O TOC sofreu nesse livro como não sofria há tempos kkk
      Mas a temática salvou!

      Excluir
  3. Olá!
    Gostei bastante da sua resenha e não conhecia esse livro.
    Ja peguei a dica pois gosto bastante da temática envolvendo o pós guerra.

    Beijos.

    Camila de Moraes - Blog Book Obsession

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem como não amar essa leitura! Pegue essa dica e agarre, haha
      Beijos!

      Excluir
  4. Oi, Aryanna!
    Ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre esse livro, ele mescla muitos gêneros o que é bom! Tenho muita curiosidade em ler livros ambientado nesse cenário!
    Parabéns pela resenha!

    Beijos,
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Eli!
      É bem difícil encontrar um livro que misture os gêneros tão bem (vide A Filha do Louco, um fiasco nesse quesito).
      Lobo por lobo merece nossos parabéns por isso!

      Excluir
  5. Bem interessante o livro. Sua visão dele também. Claro, que são temas complexos e que nem sempre prendem o leitor. Falar de fatos históricos e personagens reais pode ser uma tragédia se não for bem trabalhado. Pelo visto esse livro soube conduzir.

    Bjos

    www.causoseprosas.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O bônus desse livro é que ele mescla os personagens reais com acontecimentos fantasiosos; assim, fica mais difícil errar, né? Haha
      Beijo!

      Excluir
  6. Oie! Tudo bem? Nossa outro livro que já adicionei na minha lista de desejados, eu já havia visto esse livro por ai mas nunca parado para ler uma resenha e depois da sua resenha já o quero, mesmo com as traduções inexistente que você citou tenho certeza que elas pouco importam pela grandiosidade do livro e ainda mais que ele se passa na Alemanha Nazista etc, algo que gosto bastante de estudar!
    Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nay! Tudo bem sim, e contigo? :D
      As traduções se perdem na trama, depois de um tempo eu parei de me importar mesmo kkk
      Ninguém vai deixar de ler o livro por causa disso, né?
      Beijao!

      Excluir
  7. Oi, tudo bem?
    Desde a época do lançamento, estou doida para conferir esse livro. Apesar de não ler muito, adoro histórias que envolvem a Segunda Guerra e essa, por envolver uma protagonista que tem o poder de mudar rostos, me parece super interessante e já estou curiosa para descobrir se o seu plano de matar Hitler irá dar certo. Sem falar que essa capa é realmente maravilhosa. Adorei a sua resenha!

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amanda, oi! Tudo bem por aqui, e com você? :)
      Owwww, por favor, mata essa curiosidade! Até hoje estou embasbacada com o rumo que esse plano homicida tomou (sem mais detalhes). :O
      E obrigada pelo elogio, haha <3 beijão!

      Excluir
  8. É realmente muito chato quando o livro não vem com nota de rodapé ): a edição tá linda demais, o cuidado chega a ser fascinante, e concordo com você, não há como não amar quando envolvem história e arte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o único dissabor desse livro mas pela história maravilhosa a gente releva, né? Beijo!

      Excluir
  9. Olá
    Eu ainda não tinha lido resenhas referente a esse livro! Vi que ele estava em uma das caixas do Turista Literário e achei o kit super fofo. Sobre o fado de você amar livros com essas ambientações,,quero deixar claro que também amo e desejo muito ler o Menino dos Fantoches de Varsóvia. Adorei conferi as suas opiniões sobre a trama, e fico triste pelo seu frustramento por parte da tradução. Até mais ver
    Bjks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Manoel! Recomendo esse livro e recomendo 1000 vezes o Menino Dos Fantoches de Varsóvia! São dois livros com uma pegada diferente sobre o mesmo assunto, mas a pegada do menino dos fantoches é mais minha praia, haha
      Até mais, beijo!

      Excluir
  10. confesso que esses pequenos errinhos também me incomodam bastante! entretanto, devo ressaltar que a trama é boa e muito intrigante, aliás tudo que se passa ou tem como enredo a 2ª guerra me atrai
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo que tou vendo aqui, Thaila, não somos as únicas a amar esse tema, haha
      Com errinhos ou não, só pelo tema tá valendo <3

      Excluir
  11. Em uma única resenha, você conseguiu me deixar interessada em dois livros. Neste aqui que eu não sabia que era pós grande guerra e no O menino dos fantoches de Varsóvia.
    Adorei a forma como você descreveu e recomendou o enredo.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Ivi! E obrigada! São dois livros com abordagens totalmente diferentes mas, assim mesmo, igualmente apaixonantes!

      Excluir
  12. Oie...
    Adorei sua resenha!
    Hoje de manhã estava fuxicando no instagram e me deparei com esse livro, que até então não conhecia, e fiquei mega curiosa a respeito dele, logo, foi um prazer encontrá-lo por aqui :)
    Achei a premissa mega interessante e esse fundo histórico me agradou muito também. Espero poder ler em breve...
    Dica anotada!
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O prazer foi todo meu de poder te apresentar esse livro, Diane! Beijo!

      Excluir
  13. Olá!!
    Nossa soube muito bem resenhar o livro, pela sinopse não leria, mas ao saber que o autor deixou tantos enigmas sobre a morte de Hitler, eu amo os livros sobre a SG, e acho que leria esse.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Tony! Realmente, às vezes a sinopse não consegue vender o livro, né?
      Abraço!

      Excluir
  14. Olá,

    Amei sua resenha. Me deixou bem curiosa para conferi o livro já que em uma primeira olhada ele não chamou minha atenção. Acho que esses erros de revisão cada vez mais estão frequentes. Não sei se é a pressa e cede das editoras que o revisor entregue logo o material e acaba precarizando o trabalho.
    Gosto de livros com essa ambientação, mas até hoje não li nada que trate do pós-guerra dessa maneira e ainda com um elemento meio X-Man.

    Bjs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Elemento x-man, haha, amei! Não tinha pensado nessa associação!

      Excluir
  15. Também fico muito chateada quando um livro tem expressões em outra língua que não são traduzidas, principalmente se for uma língua de que não sei absolutamente nada, como é o caso do alemão. Google tradutor não é lá muito confiável. Estou com esse livro aqui pra ler, como você sou apaixonada por histórias no pós-Grande Guerra e variações, e estou bem curiosa para conhecer o enredo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois pode matar a curiosidade sem medo! Da pra relevar a gafe com as expressões alemãs, rs

      Excluir
  16. Olá Aryanna,
    Até o momento não li muitos livros no pós guerra, pois prefiro ler sobre a guerra e o que aconteceu. Gostei de conhecer suas impressões sobre essa obra e essa qualidade de Yael me chamou muito a atenção e parece que foi muito bem trabalhado. É uma pena, de verdade, que tenha expressões em alemão sem tradução. Me deparei com isso também em um livro,mas não recordo qual no momento.
    Adorei a resenha e espero ter a oportunidade de ler esse livro muito em breve.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Bruna! Leia sem medo! Mesmo sem ser sua temática favorita, creio que você vá gostar. Beijo!

      Excluir
  17. Olá!
    Sou apaixonada por livros que tem como pano de fundo a Segunda Guerra mas não li O Menino dos Fantoches de Varsóvia e nem este já anotei os dois.
    Fiquei bem curiosa sobre a personagem que parece ter seus próprios conflitos pessoais internos e saber se o Hitler descobre a tramóia ou se ela desiste , vou procurar em e-book. E alguns erros irritam e alguns fazem perder a vontade de continuar Aff

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcia, estou tentada a matar sua curiosidade mas não posso dar spoiler, haha! Só posso dizer que o desfecho é muuuuuito bom! Lê, lê, lê kkkk
      Beijo!

      Excluir
  18. Oi.
    Amei a sua resenha.
    Eu também tenho interesse por tudo relacionado a segunda guerra e adorei essa perspectiva de mudar o final da guerra.
    Também gostei do fato de a personagem principal ser uma garota nomal com algum tratamento e não uma fodona que consegue matar qualquer inimigo sem esforço.
    Também me incomoda quando tem palavras estrangeiras não traduzidas no livro. Custa nada e a leitura fica bem mais fluida.
    É uma leitura que pretendo fazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Barbara! <3
      E fica a dica pros próximos livros, né? Aprender com os erros!
      Beijo!

      Excluir
  19. Oi.
    Amei a sua resenha.
    Eu também tenho interesse por tudo relacionado a segunda guerra e adorei essa perspectiva de mudar o final da guerra.
    Também gostei do fato de a personagem principal ser uma garota nomal com algum tratamento e não uma fodona que consegue matar qualquer inimigo sem esforço.
    Também me incomoda quando tem palavras estrangeiras não traduzidas no livro. Custa nada e a leitura fica bem mais fluida.
    É uma leitura que pretendo fazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigadaaa! Não deixe de ler, de verdade, haha! Beijo!

      Excluir
  20. Oii, tudo bom?? Sua resenha está simplesmente perfeita, amei! Eu não tinha curiosidade alguma com o livro, mas agora sinto que PRECISO lê-lo, tanto por também apreciar livros que possuem um cenário de guerra ou pós-guerra, tanto por gostar de personagens fortes, decididos, mas não perfeitos. Amei. Já quero. Espero ter a oportunidade de ler em breve.
    Beijoos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gabi! Tudo sim, e contigo?
      Obrigada pelo elogio, de verdade <3
      Espero que leia meeeesmo, são livros MUITO bons que eu aprendi a amar, haha
      Beijo!

      Excluir
  21. Oi, acho que eu sou a única que realmente não gosta de livros que tratem nem sobre a guerra e nem após ela k Mas preciso dizer que mesmo não sendo meu interesse sua resenha até conseguiu despertar meu interesse, e é uma pena que não tenha as notas de rodapé; mas acho que diante de toda a maravilha descrita nem deve ser algo para desistir da leitura. Acredito que mesmo com sua resenha eu ainda não leria por não fazer meu estilo, mas que parece ser um livro impressionante e totalmente entendível do porquê de virar o seu segundo favorito. Incrível.
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Socorro, você está saindo dos padrões aqui, não quero ser sua amiga! haha, brincadeira
      A ambientação do livro é maravilhosa para quem curte a temática, mas essa obra tem outros atrativos além disso, como eu abordei. Não deixe de ler por isso! Beijo!

      Excluir
  22. Olá,

    Não conhecia esse livro, mas sou profundamente apaixonada com obras que tem como pano de fundo, a Segunda Guerra Mundial. Achei essa protagonista muito interessante, afinal, assumir diversas identidades e agir como tal, realmente não nos tornaria aquela pessoa? Isso me lembra até algumas frases famosas do próprio Hitler e achei esse clima de tensão e busca pela própria identidade da protagonista, um prato cheio para leitores como eu. Adorei ler suas impressões e acho que esse vai se tornar um dos meus livros preferidos também.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Vivian! Espero que, mesmo que por razões diferentes, esse livro também se torne um de seus preferidos
      Beijo!

      Excluir
  23. Olá, eu via esse livro e achava que não tinha nada a ver com isso que você falou, afinal é um título bem diferente né?

    GOstei das suas considerações, mas não me anima muito ler esse livro por ser ambientada em uma coisa que não gosto, ao contrario de você eu não gosto do ambiente pós guerra.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem diferente meeeeesmo!
      Que pena que o livro não lhe chamou a atenção ):
      Quem sabe um outro dia, né? haha
      Beijo

      Excluir
  24. Eu tinha uma certa ideia do enredo do livro, mas na verdade, pelo visto eu não sabia de muita coisa haha. Achei interessante a habilidade do personagem e esse livro não era um que eu quisesse SUPER ler, mas sua resenha despertou isso. Acho que assim como citou, poderia ter misturado a realidade das tentativas de assassinar Hitler dentro do livro, mas é detalhe né?
    Www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana! É um detalhe sim mas ainda acho super válido kkkkk
      Beijo!

      Excluir
  25. Adorei ver como este enredo é inovador. Fico imaginando como seria se tornar outra pessoa, viver em sua pele. Realmente seria algo que faria perder toda a nossa identidade. Adorei ainda mais ver que tudo se passa com um fundo histórico me deixando ainda mais animado pela leitura do livro. A capa realmente é linda, e está uma paixão.

    ResponderExcluir
  26. Oie
    Tudo bom?
    Mesmo nao gostando dá tematica do livro, me vi presa lendo sua resenha querendo saber se ela conseguiu o não completar a missão de salvar seu povo.
    Excelente resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Michelle! Tudo bem, e contigo?
      O livro tem muuuitos outros atrativos além da ambientação histórica, acho que você vai gostar, heim?!
      Beijo!

      Excluir
  27. Oiee Ari ^^
    Eu fico louca quando encontro algum errinho nos livros...hehe' fazer o quê, né.
    Eu adorei esse livro, foi uma das melhores leituras que fiz ano passado, e adorei que a Yael não foi uma personagem forçada ou que, como você disse, derruba não sei quantos caras com não sei quantos golpes. Estou ansiosíssima pela continuação.
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. DRYH, PELO AMOR DE DEUSSSSS
      VAI TER CONTINUAÇÃO? SOCORROROROROR
      NÃO FALA UMA COISA DESSA E VAI EMBORA VOLTAKI ME DÁ DETALHESSS

      Excluir
  28. Oi Arianna,
    Gosto bastante também de histórias que se passam nesse período, e de alguma forma recontam acontecimentos históricos, então, com certeza leria essa livro. Esses errinhos na obra às vezes me irritam também, mas o pior é não ter a nota de roda pé. Sério isso!?
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  29. Oi, tudo bem?
    Eu adoro livros ambientados na segunda guerra mundial e achei o enredo dessa interessante e fiquei bem curiosa para ler.
    Al contrário de você não achei a capa bonita e só por ela e pelo título eu passaria longe desse livro para ser sincera. Mas com sua resenha adorei o enredo.
    Concordo com você que deveriam ter uma notinha de rodapé com a tradução das palavras em alemão.
    Bjs

    ResponderExcluir
  30. Eu ainda não conhecia o livro, mas estou totalmente encantada.
    Assim como você, sou apaixonada por histórias sobre a segunda guerra, seja antes, depois ou durante.
    Gostei bastante do enredo e simpatizei bastante com Yael, principalmente pelo fato dela ser humanizada e apresentar falhas. Concordo com você, o autor poderia ter se aproveitado de tentativas de assassinato reais, poderia ter brincado ainda mais com a história.
    Enfim, gostei bastante do livro e amei a capa. Já adicionei a minha infinita lista de desejos.
    Bjs, Mila

    http://a-viagem-literaria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.