Menu

26.1.17

{Resenha} O menino que desenhava monstros


Título original: The boy who Drew monsters. A novel.
Autor: Keith Donohue
Editora: Darkside
Sinopse: Um livro para fazer você fechar as cortinas e conferir se não há nada embaixo da cama antes de dormir. O Menino que Desenhava Monstros ganhará uma adaptação para os cinemas, dirigida por ninguém menos que James Wan, o diretor de Jogos Mortais e Invocação do Mal.
Jack Peter é um garoto de 10 anos com síndrome de Asperger que quase se afogou no mar três anos antes. Desde então, ele só sai de casa para ir ao médico. Jack está convencido de que há de monstros embaixo de sua cama e à espreita em cada canto. Certo dia, acaba agredindo a mãe sem querer, ao achar que ela era um dos monstros que habitavam seus sonhos. Ela, por sua vez, sente cada vez mais medo do filho e tenta buscar ajuda, mas o marido acha que é só uma fase e que isso tudo vai passar.
Não demora muito até que o pai de Jack também comece a ver coisas estranhas. Uma aparição que surge onde quer que ele olhe. Sua esposa passa a ouvir sons que vêm do oceano e parecem forçar a entrada de sua casa. Enquanto as pessoas ao redor de Jack são assombradas pelo que acham que estão vendo, os monstros que Jack desenha em seu caderno começam a se tornar reais e podem estar relacionados a grandes tragédias que ocorreram na região. Padres são chamados, histórias são contadas, janelas batem. E os monstros parecem se aproximar cada vez mais.
Na superfície, O Menino que Desenhava Monstros é uma história sobre pais fazendo o melhor para criar um filho com certo grau de autismo, mas é também uma história sobre fantasmas, monstros, mistérios e um passado ainda mais assustador. O romance de Keith Donohue é um thriller psicológico que mistura fantasia e realidade para surpreender o leitor do início ao fim ao evocar o clima das histórias de terror japonesas.
“Esta é a nossa casa dos sonhos à beira mar”, diziam eles aos visitantes que, no verão, vinham passar fins de semana prolongados. Ou para o vovô e a vovó Keenan, que vinha pela possibilidade de um autêntico Natal com neve no Maine. “Bem vindos a casa dos sonhos.” O garoto não sabia ao certo se era uma casa na qual os sonhos se tornavam realidade ou se a casa em si era feita de sonhos.

Eu sou uma pessoa que se impressiona facilmente com o que lê. Cheguei a conclusão disso com a leitura de O menino que desenhava monstros. 

Porque?

Simplesmente porque eu tive pesadelos quando terminei, eu ficava encolhida na minha cama abraçada às minhas dogs porque estava com medo dos barulhos que vinham lá de fora! E se eu era cordada por um barulho então?! Meu coração acelerava tremendamente! E olha que nem é tão assustador assim, talvez as crianças de hoje nem se assustem mais com isso, mas eu me assustei!

Tive vontade de lê-lo desde que foi lançado, pois a sinopse me chamou muito a atenção por identificação: um menino solitário preso com sua imaginação à flor da pele.

Jack Peter é um menino com aspecto Asperger (um tipo de autismo de alto-nível) de 10 anos. Seus pais são Tim e Holly Keenan: Tim é o pai mais compreensivo, que trabalha meio período nas casas de veraneio no litoral onde residem. Deixou seus sonhos de crescimento pessoal para cuidar de Jack. Holly é advogada e teve sua imagem de filho perfeito quebrada após certa idade de Jip. Assistimos seu conflito interno como mãe entre amá-lo e temê-lo, após ser agredida por ele acidentalmente. Desde o diagnóstico, ela é quem trabalha período integral por ganhar mais dinheiro que o marido com seu trabalho.

Como é típico do espectro autista, Jip sempre se torna obcecado com algo ou com alguma brincadeira. Seu amigo desde a infância, Nick Weller, sempre participa com ele das brincadeiras e jogos que nosso protagonista cria, sem questionar diretamente a razão e sendo um amigo fiel. Porém, depois de acreditar ver o desenho de seu amigo passar correndo pela estrada. E não era uma ilusão, pois o pai de Jack também havia visto... Mas Nick negou, o que fez Tim deixar para lá. 

Holly e Tim sempre tentam fazer o melhor pelo menino, mas depois do ataque recente, a mulher teme pela segurança dele, dela mesma e do marido. Jack interpreta tal preocupação à sua maneira e encontra modos de reparar o que havia feito à mãe. Coincidentemente, é quando ela também começa a ouvir coisas em sua casa, mas parece que somente ela as percebe.

“O menino tinha o ar de quem havia guardado a verdade dentro da boca, e parecia que esta se debatia por trás dos dentes dele, tentando sair.”

Há anos sem frequentar a igreja, ela vê na fé a saída para sua angústia nos dias próximos do Natal, já que Tim parece não dar atenção às suas preocupações. Após uma visita a casa paroquial, ela se impressiona com a pintura de um navio naufragado e a governanta, Sra. Tiramiku, a assombra com histórias japonesas de fantasmas que nunca deixam o lugar onde morreram e, com isso, Holly fica obcecada pela história dos mortos no naufrágio e pensa que devem ser eles que estão assombrando sua casa.


A casa dos sonhos da família Keenan se torna o lar de seus pesadelos. E o pior, cada um deles só pode contar consigo mesmo, pois acredita que o outro não daria atenção ao que está vendo. O único que sabe da verdade é Nick, que também é ordenado a desenhar monstros e é assombrado por eles, mesmo em sua própria casa.

Não se sente seguro e sente raiva por ter que ficar na casa da família Keenan para o natal, pois seus pais, dois adultos que se tornaram alcoólatras por causa de algo que aconteceu em sua pequena família e que é crucial para Nick e Jip, vão ter uma segunda lua de mel para tentar reavivar seu relacionamento. Ele é o único amigo de Jack e, no entanto, não sabe se gosta ou desgosta do amigo e sofre calado a perseguição do monstro. Até mesmo tenta ajudá-lo a se salvar diversas vezes.

“Ele se lembrava da última vez em que havia estado naquele mesmo lugar com Jack Peter , há três anos, e desejou nunca ter conhecido um garoto tão estranho. Seus pais o obrigavam a brincar com ele, mas Nick não queria, Nick queria ser normal. Jack Peter o havia irritado naquele dia, com uma única frase descuidada.”

Devagar, todo o mistério vai se desvendando. Algumas cenas são realmente horripilantes, então se você é facilmente impressionável (como eu já falei lá no começo), vai sofrer um pouco se lê-lo sozinha à noite em casa.

A descrição dos monstros, o pânico de imaginá-los através dos olhos das crianças te leva de volta a sua infância e ao medo. Eu brincava com meus monstros durante o dia, para que à noite eles me deixassem me paz.

No decorrer da leitura você é levado a pensar em várias explicações e a acreditar em diversas coisas, diversas razões para a existência de tais criaturas, mas o final lhe pega de surpresa. Fiquei um pouco triste com o que o destino reservou às famílias Keenan e Weller, mas havia coisa demais entre eles. A tristeza, toda raiva contida e angústia era palpável no relacionamento existente.

Acredito que a lição passada é: se você não lida com suas partes ruins, elas podem acabar tornando-se seus monstros.

A qualidade do livro é Darkside, né gente. Capa dura, com alguns relevos ásperos. No final, tem um espaço para você desenhar seus medos, seus sonhos e outras coisas que achei bem interessante. Não sei se eu terei coragem, mas para aqueles que tem e o fazem bem, achei uma boa pegada!

Nota no Skoob: 5 estrelas.



22 comentários:

  1. Acho o trabalho desse livro muito bonito. Já vi algumas pessoas comentando sobre ele, mas não sabia muito sobre a premissa do livro.

    Beijos
    http://aguardandoogatobranco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Pri, já ouvi muitos elogios ao livro e confesso que mesmo com muita vontade de ler eu sou bem medrosa e me assusto com qualquer coisa, mas quero muito conhecer a obra e essa edição esta um arraso, a caveirinha fecha!

    Bjs Jany


    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Ainda não li nada da Darkside, mas todas as resenhas que leio dos livros deles sempre me deixam com muita vontade de ler, mesmo quando não é um gênero que curto muito.
    Não sou de ficar impressionada facilmente com uma leitura, mas esse livro parece ser bem intenso!
    Espero conferir em breve!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Pri! Quantos livros da DarkSide! <3
    Nossa! Parece ser o tipo de livro que deixa a gente vidrada na história e não se pode ler à noite. Mas ao mesmo tempo é um livro que trata de assuntos delicados.
    Eu comprei o livros faz um tempinho e ainda não pude fazer a leitura. Em breve farei. o/
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  5. Oiii,

    Eu estava louca para ler este livro, como sempre fico com quase todos os lançamentos da DarkSide, mas eu sou dessas que sonha com qualquer coisa, e se você se impressionou a ponto de sonhar com a história assim, eu já fiquei com medinho kkkkkk, mas quem sabe em um momento mais corajoso da minha vida eu dê uma chance pra história né?

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com/

    ResponderExcluir
  6. É quase impossivel não se impressionar com os livros da Darkside, não só pela estética mas sim pelas histórias, como amo essa editora! Tô querendo ler esse livro tem um bom tempo, mas saber que ele te deixou assustada me deixou com um pé atrás, sou medrosa também.

    ResponderExcluir
  7. Ola Pri sou uma medrosa para esse gênero, mas achei muito interessante a premissa desse livro, do menino que desenha monstros, pelo visto o enredo prende a atenção e cumpre seu papel ao deixar o leitor apreensivo. Quem sabe leio em outro momento. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
  8. Oie! Tudo bem? Eu tenho e não tenho curiosidade em realizar a leitura desse livro, não são todos os livros desse gênero que me chamam a atenção principalmente por eu ter medo de escuro então, depois de ler que você ficou com medo acho que por enquanto vou passar a dica e quem sabe futuramente eu o leia, mas por enquanto não! kkk
    Bjss

    ResponderExcluir
  9. o enredo em si é bom, só não é aquilo que estou procurando no momento para minhas leituras
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá!! :)

    Eu não conhecia este livro e fiquei bem curioso com a premisso e isso dos montros, e de os nossos problemas poderem assumir tais proporções.. :)

    Enfim, adoro também que os finais sejam surpreendentes, e especialmente tristes poelo fim que as personagens tiveram.. :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Priscila, eu tive a oportunidade de trabalhar com autistas e foi o maior desafio da minha vida. Esse livro deve ser espetacular. Está na minha lista há tempos, e está na minha estante há uns 3 meses... logo me aventurarei por suas páginas! Abraços

    ResponderExcluir
  12. Que capa linda!!
    Gostei muito do fato do menino ser autista, pois já tive contato com algumas crianças e achei incrível o modo como elas se focam em algo e realmente se dedicam aquilo, do jeito delas, é claro.
    Fiquei bem curiosa sobre esse livro e com um pouco de receio também. Gosto de livros onde o psicológico dos personagens é explorado, e esses livros são sempre os que mais me tocam. Por isso o receio, já que as cenas assustadores realmente mexem com o leitor.
    Espero poder ler em breve.

    Abraços, Lara.
    Psiu, Vem Ler!

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem? Eu não me impresso assim tão fácil, mas esse livro tem me deixado com uma grande curiosidade desde que li a sinopse e algumas resenhas. Não tenho lido tanto livros assim, mas esse ano prometi que sairia da zona de conforto e mudaria algumas coisas. O menino que desenhava monstros está na minha lista já há algum tempo e sua resenha me animou ainda mais, quero saber mais sobre os personagens e principalmente os monstros. Ótima resenha, beijos.

    ResponderExcluir
  14. Olha, eu aposto que também teria pesadelos depois de ler ou até mesmo durante a leitura, mas sempre soube que sou muito impressionável, então fugi desse livro desde o lançamento. Cenas horripilantes não são pra mim de jeito nenhum, não quero saber descrições de monstros não, obrigada. É um livro que definitivamente não foi feito para mim.

    ResponderExcluir
  15. Oie!
    Realmente, depois são esses monstros criados por nós mesmos, que não nos deixam fazer algo. Eu ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas depois da sua resenha fiquei bem intrigada com a história.
    bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  16. Olá, tudo bom?
    Eu ainda não li esse livro, mas, acho que minha reação vai ser exatamente como a sua! Sou muito medrosa e me impressiono facilmente com qualquer coisa que leio/assisto. Fiquei bem curiosa com essa premissa e principalmente com a frase que colocou em sua resenha que " se você não lida com suas partes ruins, elas acabam tornado-se seus monstros". Fiquei bem curiosa com esse desfecho que te deixou um pouco triste. Sugestão anotada!

    Beijos!
    @PollyanaCampos
    Entre Livros e Personagens

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Que livro incrivel!
    Ainda não li, mas pela resenha, me parece um terror psicológico bem intenso.

    ResponderExcluir
  18. Eu não fiquei tão impressionado como você quando li o livro, mas a história me cativou. E consegui tirar a mesma conclusão que você: Quando não cuidados do nosso mal, ele pode ultrapassar para a realidade. Adorei ver como você gostou da leitura, apesar de ter deixado você marcada. Adorei o desfecho da história.

    ResponderExcluir
  19. Eu amo seu espaço. O blog é tão lindo!
    Bom, em relação ao livro, não tive uma experiência de leitura tão boa... achei ele bem arrastado, foi complicado de ler :/ mas que ótimo que ele te impressionou a ponto de te marcar *não que ficar com pesadelos seja algo bom*.
    Www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  20. Oi. Esse livro está na minha lista de leituras desde o ano passado. Quando li sobre o lançamento pela DarkSide e depois que fui lendo os comentários das pessoas, minha vontade de comprar o livro só aumentava. Ainda não consegui comprá-lo, mas desse ano não passa. Espero gostar muito da leitura.

    ResponderExcluir
  21. Oi, tudo bem?

    Eu já pude ler algumas resenhas desse livro. A edição está maravilhosa, mas a DS arrasa sempre, né?
    Sobre o enredo... eu não sou nada fácil de ser impressionada, então acho que esse não seria um problema pra mim. Só que eu não tenho interesse em fazer essa leitura por conta do enredo que, de certa forma, não me chama muito a atenção, sabe?
    Mas fico satisfeita que você tenha apreciado a leitura apesar do medo! rsss

    Beijo

    ResponderExcluir
  22. Olá!
    Menina, se você ficou assim depois de ler, vou passar beeem longe do livro, pensa em uma pessoa medrosa hahahaha as edições da dark são maravilhosas, não tem como não querer o livro de qualquer jeito, vou ver se compro para o meu irmão que curte esse tipo de história!
    Beijos,

    Luana

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.