Menu

25.3.17

{O menino que vê filmes} Grandes Personalidades do Cinema

Woody Allen

Introdução

Oi gente! EU JUROO que tentei ir assistir A Bela e A Fera. Deixei passar uns dias pra fugir de filas... Não adiantou nada! Cheguei no shopping essa semana com uma certa antecedência e vi a fila dando voltas e mais voltas. Não encarei não... Vocês me perdoam? Bom, se é que tinha alguém esperando resenha desse filme, estou apenas supondo, a julgar pela expectativa e pelo tamanho da fila hehehe...

Por outro lado, resolvi atender ao pedido da minha amiga muito querida, Mary Ferraz, que por sinal é fã do trabalho de Woody Allen, fazendo um pequeno resumo aqui da sua vida e obra. 


Não há como falar de cinema sem pincelar a obra de alguns cineastas/diretores/roteiristas. Woody Allen certamente está entre eles!

Adianto desde já que vou evitar entrar na área pessoal da vida de Woody Allen, que é permeada por polêmicas. Meu objetivo aqui é focar na obra deste grande profissional da sétima arte.

Espero que gostem!

Sobre Woody

Nascido Allan Stewart Königsberg, Woody Allen é um nova-iorquino que começou sua carreira escrevendo roteiros para a TV e, eventualmente, realizando trabalhos de stand-up comedy, tendo sido um dos precursores deste estilo de apresentação humorística.

Algum tempo depois, Allen passou a roteirizar filmes para o cinema, inicialmente no estilo pastelão, atuando em alguns deles. Curiosamente, embora tenha interpretado diversos personagens ao longo dos anos, a personalidade dos mesmos é extremamente parecida: um intelectual neurótico com pouca ou nenhuma habilidade para o convívio social. Atrapalhados e irritadiços, os personagens criados e interpretados por Allen resumem o estilo de comédia que o consagrou: o stand-up. 

Em outras palavras, nos longas em que Allen participa atuando a estória baseia-se em situações em que os personagens metem-se em confusões o tempo todo. 

Já nos anos 70, influenciado pelo cinema europeu, Allen passa a produzir materiais voltados para o drama, onde mais uma vez mostraria a desenvoltura de sua mente criativa.

A cidade de Nova Iorque é o cenário da maioria dos filmes de Allen. Um fato curioso é que, embora tenha recebido diversas indicações ao Oscar, Allen nunca compareceu à premiação, tendo aberto uma exceção na cerimônia que sucedeu os ataques de 11 de setembro, quando realizou uma homenagem à sua amada cidade.

Além de cineasta, Woody Allen também é um talentoso clarinetista e amante de jazz, se apresentando eventualmente em pequenos bares de Manhattan. Ele é também o responsável pela escolha da trilha sonora de seus filmes.

A Parceria com Diane Keaton

Woody Allen sempre teve uma vida amorosa conturbada. Quando tornou-se conhecido do grande público e, já naquela época, colecionava dois divórcios.

Allen sempre se relacionou com belas as mais atrizes de sua época, dedicando a elas os papeis principais em seus filmes.

Keaton e Allen 
Foi assim com Diane Keaton, que estrelou alguns dos clássicos de Woody Allen, como os reconhecidíssimos Annie Hall e Assassinato em Manhattan.

A fracassada parceria com a DreamWorks

O Escorpião de Jade
Em meados dos anos 2000, Woody Allen fechou contrato com a DreamWorks, empresa de Steven Spielberg, dando início ao que seria considerada a pior fase de sua carreira. 

Nesse período, Allen teve participações em O Escorpião de Jade, FormiguinhaZ (???) e um dos meus filmes favoritos do diretor, Poucas e Boas.

Ao final do contrato, o próprio Woody reconheceu estes filmes como sendo os piores de sua carreira, em especial o Escorpião de Jade, onde ele teria detestado a própria atuação. Vai entender...

Filmografia

A obra completa de Woody Allen, que é super extensa, pode ser conferida aqui.

Porém, não posso deixar de citar aqui alguns dos meus preferidos (que também são muitos) hehehe...

1) Um Misterioso Assassinato em Manhattan (Manhattan Murder Mistery, 1993):




Estrelado por Diane Keaton, esta sensacional comédia conta a estória de Carol Lypton, uma mulher obcecada por descobrir a verdade sobre a morte de uma conhecida que supostamente havia sofrido um ataque cardíaco. Woody Allen interpreta Larry Lypton, um judeu nova-iorquino neurótico e fracassado, que tenta a todo custo dissuadir a esposa de sua investigação. O pano de fundo é obviamente a ilha de Manhattan e os desencontros que se sucedem são garantias de boas risadas!




2) Desconstruindo Harry (Desconstructing Harry, 1997):






Novamente, Allen encarna um personagem neurótico e com sérios problemas de relacionamento, o escritor Harry Block. Block tem por hábito misturar pequenos detalhes de sua vida pessoal em suas obras. Ocorre que essa prática acaba ocasionando divertidíssimas situações. Ri demais assistindo esse filme!






3) Poucas e Boas (Sweet and Lowdown, 1999):



O Foco de Allen aqui é o drama. Este longa narra a triste (porém comum) história de um músico de jazz chamado Emmeth Ray, que aqui é interpretado pelo fantástico Sean Penn. Embora tenha conseguido certo reconhecimento nos EUA na década de 30, Ray era refém de seu próprio estilo de vida, que envolvia cafetinagem, bebidas e gastanças vultosas de dinheiro. Embora fosse considerado um excelente guitarrista, Emmeth vivia assombrado pela técnica de seu rival, Django Reinhardt. Sua total inabilidade de se manter-se fiel no amor levou-o a cometer o que viria a ser o maior erro de sua vida. O filme se desenrola através dos relatos de diversas celebridades do mundo da música e do cinema, incluindo o próprio Woody Allen, por meio de incursões durante o filme.

4) A Rosa Púrpura do Cairo (The Purple Rose of Cairo, 1985):






Filme que pra mim está entre os clássicos dos clássicos, este arrebatador longa metragem conta a estória de Cecília (Mia Farrow), uma humilde garçonete tentando sobreviver à chamada Grande Depressão e tendo que sustentar seu marido bêbado e violento. Sonhadora, Cecília tenta esquecer seus problemas assistindo repetidas vezes à sessões de seus filmes favoritos e, durante um deles (que carrega o título do filme), ela vê o “mocinho” saltar da tela e oferecê-la outra vida. Simplesmente maravilhoso! 



Conclusão

Pra finalizar, queria ressaltar a grande importância de Woody Allen para o cinema como o conhecemos. Ele praticamente “inventou” um estilo próprio de fazer cinema, principalmente no que diz respeito à comédia. 

Ao lado de grandes nomes da sétima arte e, aquém de toda polêmica que envolve sua vida pessoal, o nome deste grande cineasta já está escrito nos anais cinematográficos da história.

Até a próxima, gente!

31 comentários:

  1. eu gostei de conhecer mais da história e trabalho desse grande ator
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. OI Lucas
    Ótimo seu post!
    Sou fã do trabalho de Woody Allen, mas confesso que nao assisti todos os seus filmes.
    Gostei muito de saber mais sobre este grande e talentoso profissional.
    Assisti A Bela e a Fera e gostei muito.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cláudia! Fico feliz que tenha gostado! Também não assisti a todos, são muitos! Seja sempre bem vinda! Bjos

      Excluir
  3. Oi, amei o post!!!
    Eu não sei se gosto do Wood Allen, talvez porque não tenha gostado de todos os filmes que ele participou, mas a personalidade dele é bem marcante e tenho certeza que até quem não maja nada de cinema, sabe quem ele é.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ivi! Também confesso que não foram tidos que eu assisti que me agradaram. Mas alguns outros recomendo bastante! Bjos!

      Excluir
  4. Ola
    Esse é um post muito enriquecedor, não há dúvidas, especialmente porque Wood Allen tem u a trajetória de trabalho muito conhecida e que merece destaque. Impossível não ter ouvido nada a seu respeito, ainda mais aos admiradores do cinema. Foi ótimo conferir um pouco a seu respeito.
    Beijos, F
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  5. Sabe quando vc não consegue separar a vida pessoal do profissional!Sou eu comWood Allen não consigo gostar dele mas nem por isto posso desmerecer as grandes obras lançadas no cinema por ele!Fiquei com uma mega vontade de ver o último que vc falou !Vou procurar e ver se encontro parece ser maravilhoso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Charlene! Ótima escolha! A Rosa Púrpura do Cairo é um clássico! 😃

      Excluir
  6. Olá,
    Para quem gosta de cinema sabe que ele é um grande talento da indústria. NÃo tenho uma opinião particular sobre ele, mas já assisti algumas coisas.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá Lucas,
    Não conhecia o Woody Allen, mas é notável a importância dele para o cinema como conhecemos. Não sou muito ligada em filmes, então, fico meio perdida numa postagem assim.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  8. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia sobre sobre Woody Allen, a verdade e que não costumo ver muitos filmes, e os que vejo não ligo para diretor nem ator nem nada...

    Enfim, não há problema com A Bela e o Monstro... ahah :P

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bom?
    Apesar de não curtir muito o trabalho do Woody Allen,é inegável a importância do mesmo para o cinema como o conhecemos, principalmente no que trata de comédia. Achei interessante saber que ele só abriu uma exceção em relação ao 11 de setembro para prestar uma homenagem.
    Enfim! Adorei a postagem e acho super válido para quem curte o Wood fazer uma maratona da sua extensa obra.
    Parabéns pelo post!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Adorei seu post!
    Sempre ouço falar sobre o Woody, mas eu acho que nunca cheguei a assistir nada dele (não que eu me lembre), nenhum que faça parte do sue post. Mas sempre que penso nele, penso em drama (não sei por que), nunca imaginaria ele fazendo stand-up, haha.

    Virando Amor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz sentido Carol! Allen faz graça com as tragédias do ser humano, daí a sua peculiaridade. Seja sempre bem vinda!

      Excluir
  11. Adorei conhecer mais sobre o Woody !

    Esse post ficou massa!! Parabéns!

    Beijos!
    Jess
    www.pintandoasletras.com.br

    ResponderExcluir
  12. Oi, Lucas!

    Eu não conhecia muito sobre a história do Woody então seu post foi super válido. Adorei o post! <3

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Hi baby, tudo bem? apesar das polemicas em relação a vida pessoal gosto muito do trabalho dele, além de ser um ótimo diretor também atua muito bem, meus filmes preferidos dele é Annie Hall e Midnight in Paris <3 adorei seu texto, parabéns!

    Lilian Valentim
    http://speakcinema.blogspot.com.br/
    beijinhos

    ResponderExcluir
  14. Olá, Lucas

    Eu não lembro de ter assistido a nenhum dos filmes citados na postagem. Eu meio que assisto sempre aos mesmos filmes, a não ser que haja um blockbuster que eu queira muito ver, como é o caso de A Bela e a Fera, por exemplo! Hahahaha
    Eu ouvi falar de A Rosa Púrpura do Cairo na semana passada, em um evento literário, onde uma autora disse que escreveu um conto inspirado nesse filme, no fato do carinha sair da tela e tal...

    Beijos
    - Tami
    http://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  15. Olá, Tudo bem?
    Nossa, desde 2012, venho ouvindo falar de Woody Allen. Tenho uma amiga que adora o cineasta. Até achava que já conhecia tudo sobre a vida dele de tanto ela comentar, mas fiquei bem contente de conhecer algumas coisas que ainda não sabia. Vou até comentar com ela.
    Abraço!


    meuniversolb.wixsite.com/meuniverso

    ResponderExcluir
  16. Olá!
    Nunca assisti nada dele, mas é inegável a sua importância no cinema. Infelizmente, minha opinião sobre o eu pessoal dele é bem negativa, graças a todos esses escândalos que surgiu, mas não posso negar que se trabalho é uma obra de arte, por tudo que já vi por aí.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  17. oie, bacana você retratar a vida desse grande cineasta sobre quem eu sempre ouvi falar mas nem sabia detalhes. Como não sou fã de filmes, raramente algum me chama atenção, mas nas suas menções a rosa púrpura me despertou uma curiosidade intensa.

    ResponderExcluir
  18. Oie
    gosto muito dele como diretor tanto quanto autor e ja vi alguns, o que mais gosto é Mahatthan e Magia ao luar, ambos são muito legais

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Com toda certeza Woody Allen tem muita importância para o cinema, apesar de todas as polemicas da sua vida pessoal. Assisti Magia ao Luar e gostei muito, é bem legal e sempre recomendo aos meus amigos. Não sou fã dele, mas admiro seu trabalho.
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.