Menu

4.3.17

{Resenha} P.S.: Ainda amo você



Título Original: P.S.: I Still Love You
Autora: Jenny Han
Editora: Intrínseca
Sinopse: Lara Jean sempre teve uma vida amorosa muito movimentada, pelo menos na cabeça dela. Para cada garoto por quem se apaixonou e desapaixonou platonicamente, ela escreveu uma bela carta de despedida. Cartas muito dela, muito pessoais, que de repente e sem explicação foram parar nas mãos dos destinatários.Em "Para todos os garotos que já amei", Lara Jean não fazia ideia de como sair dessa enrascada, muito menos sabia que o namoro de mentirinha com Peter Kavinsky, inventado apenas para fugir do total constrangimento, se transformaria em algo mais. Agora, em "P.S.: Ainda amo você", Lara Jean tem que aprender como é estar em um relacionamento que, pela primeira vez, não é de faz de conta. E quando ela parece estar conseguindo, um garoto do passado cai de paraquedas bem no meio de tudo, e os sentimentos de Lara por ele também retornam.Uma história delicada e comovente que vai mostrar que se apaixonar é a parte fácil: emocionante mesmo é o que vem depois.

Aviso: pode conter spoiler!!!

“Acho que não dá para a gente se agarrar ao passado só porque não quer soltar.”
Finalmente consegui alcança-lo na minha meta de leitura (de 2016!)! Lido em poucas horas, empolgadíssima em rever personagens que tanto gosto!

Sinceramente, eu gostei mais deste que do livro anterior, Para todos os garotos que já amei. P.S.: Ainda amo você possui uma pegada feminista sem radicalizar. Nos aponta uma questão importante: o slutshaming e o cyberbullying.

No primeiro livro, Lara Jean e Peter Kavinski terminam após uma pequena confusão (resenha do livro aqui). Então, logo no ínicio deste livro há a criação de um novo contrato de relacionamento e tudo fica bem – para Lara Jean.
“... Você não me puxou para baixo. Foi o contrário. Você me libertou, Peter. Me deu minha primeira história de amor. Não deixe que tudo acabe agora.”
Pelo menos é o que somos levados a pensar. No livro anterior, nosso casal possui um momento quente... E isso trouxe todo o centro deste livro, pois o momento foi filmado e alguém publicou o vídeo na internet.

Como não poderia ser diferente, Lara Jean surta – e não é para menos: a jovem é “certinha” e isso não é algo que ela faria normalmente. É toda “certinha” e dedicada aos estudos e a família, não a garotos. E apenas ela é responsabilizada pelo ato, apenas ela é julgada. E Peter é parabenizado pelos amigos e sua participação, ignorada por todos os adultos da escola.

Sua vida vira de pernas para o ar por conta do vídeo e ela tenta descobrir quem é o responsável por divulgá-lo – embora tenha ideia de quem possa ter sido.
“A sociedade está sempre pronta para envergonhar a mulher por gostar de sexo e aplaudir o homem – afirma Margot – Todos os comentários são sobre Lara Jean ser piranha, mas ninguém está dizendo nada sobre Peter, e ele está bem ali com ela. É ridículo como são dois pesos e duas medidas.”
É um assunto bem polêmico, o slutshaming: um tipo de bullying que pode ser interpretado por ridicularizar uma menina por ser “fácil”: se um menino pegar todas as meninas numa noite, ele é o foda. Agora, se uma menina fizer isso, é vadia ou rodada ou fácil ou tudo isso junto. E o mais “impressionante” é que meninas fazem isso com meninas, colaboram com a divulgação dos vídeos que homens postam como vingança contra as mulheres (também conhecido como revenge porn). As pessoas comentam no vídeo de Lara Jean com ofensas e nomes pejorativos, julgando seu comportamento. Basicamente é também o que acontece com vídeos assim na realidade e, quanto as mulheres permitirem que isso seja feito e divulgado, os homens continuarão a sentir que possuem direito de fazer o mesmo e nos tratar desrespeitosamente. Portanto, se virem um vídeo nesse teor, não divulguem. Façam a corrente morrer. O slutshaming é causa de depressão e suicídio, então não colaborem com isso!

E, como se tudo o que ela está passando com os colegas da escola, as professora da jovem – até mesmo aquelas que ela mais gosta – parecem responsabilizá-la por tudo, dizendo-lhe basicamente para não ser uma menina fácil. As garotas são sempre responsáveis por tudo. É muito injusto.
“... E estou pensando na Sra. Duvall, no que ela me disse antes. Ela provavelmente classificaria Chris junto com as garotas festeiras, as que ficam com vários garotos, as que são ‘melhores do que isso’. Ela estaria errada. Somos todas iguais.”
Há muito mais questões nesta história, assim como também há outros relacionamentos: as irmãs Song estão preocupadas com a solidão do pai e tentam encontrar para ele um par: site de relacionamentos, convites de jantar... Mas tudo isso sem realmente perguntar para ele o que ele quer.

Lara Jean, depois de muito cobrar a si mesma – e Margot a cobrar, e seu pai a cobrar, etc. – inicia um trabalho voluntário no mesmo asilo onde sua irmã mais velha foi voluntária e tem grandes lições de vida com as pessoas que lá residem. E nós também temos, pois vemos que não é porque você está velho que você não pode ainda aproveitar a vida. Vamos ver o exemplo de Stormy, uma senhora que, ao mesmo tempo é “prafrentex” e possui uma visão de vida liberal, também é um pouco conservadora, é claramente feminista, embora o estigma da palavra a faça ter “nojinho” do feminismo.

Para além disso, há também na trama o retorno de velhos amigos, o que deixa nosso casal um pouco balançado. Ainda uma consequência do ato de Kitty ter colocado no correio as cartas da irmã.
“Ninguém consegue gostar de duas pessoas exatamente do mesmo jeito.”
A leitura é rápida e bem dinâmica, envolvente. Você nem percebe que está chegando ao fim e quer continuar lendo. Quando acaba, você quer mais.

E teremos mais!!!

Segundo informações quentíssimas da Editora Intrínseca, o livro Always and Forever, Lara Jean (ainda sem título em português, mas espero que traduzam ao pé da letra porque é mais bonito), tem previsão de lançamento para abril de 2017, simultaneamente com os Estados Unidos.

Capa Original
"Na continuação, Lara Jean está aproveitando ao máximo o último ano do ensino médio. O namoro com Peter está indo bem, seu pai finalmente vai se casar com a vizinha, Sra. Rothschild, e Margot estará de volta nas férias, a tempo de participar da cerimônia. Mas muitas mudanças estão prestes a acontecer. Apesar de Lara Jean estar se divertindo ajudando a organizar a festa do pai, ela não pode ignorar as grandes decisões que estão pela frente. Mais precisamente, escolher em qual faculdade vai estudar e descobrir como lidar com o impacto que essa resolução poderá ter em seu relacionamento com Peter. Lara Jean acompanhou de perto as consequências das decisões de Margot, e agora será sua vez de deixar para trás a família — e, possivelmente, o garoto que ama. Quando o coração e a cabeça dizem coisas diferentes, qual deles devemos ouvir?"
Já tô ansiosa, Instrínseca!!!

7 comentários:

  1. confesso que apesar de romântico o enredo em si não me atraiu, não leria por agora
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oie,
    Devorei a leitura desse livro e confesso que até curti... mas não foi a das mais preferidas leituras.
    Adorei sua resenha, e confesso que tive uma nova percepção sobre a leitura, parabéns.
    Além disso as fotos estão uma graça!
    Beijoka!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Essa autora tem feito a cabeça de muitos leitores aqui no Brasil não é mesmo? Eu já conheço a série é sei por cima do que se trata, e tenho bastante curiosidade de ler e saber se irei gostar mesmo. Acho essas capas muito lindas, assim como da autora série da autora. E esse terceiro volume vai ser publicado no mesmo dia que no EUA se eu não estou enganado. Até mais ver
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi Priscila,
    Quero muito ler esse livro, quando li o primeiro gostei mais do que imaginava e como acaba daquele jeito inacabado fico na agonia para ler esse.
    Por sua resenha realmente dá para ver que a trama desse é muito melhor. E sabe que nem lembrava desse momento quente do primeiro livro. kkk vou pegar e ver as marcações que fiz para refrescar a memoria.
    Se esse último for sai em abriu então vou segura e comprar logo os dois juntos.

    Bjs,
    Garotas de Papel

    ResponderExcluir
  5. Olá, ainda não conhecia a série em si, mas vendo como você a descreveu, fiquei bem curioso quanto ao enredo e espero ter a chance logo de lê-lo. Os temas tratados na narrativa, como o bullying, são realmente necessários para conscientizar que algumas atitudes não são certa,s e que brincadeiras podem passar dos limites. Anotei a dica.

    ResponderExcluir
  6. É bom ver que a autora discute temas importantes hoje em dia e que de certa forma são considerados tabu, mas ainda não me animei em ler nenhum dos livros.

    Ah! o link para a resenha anterior parece não estar funcionando

    bjos

    ResponderExcluir
  7. Olá! O primeiro livro da série e esse estão na minha lista de desejados a muito tempo, rs. Após ler sua resenha a respeito desse e do anterior fiquei ainda mais instigada para fazer logo essas leituras a tempo do próximo volume, rs. Adorei sua resenha! <3 Beijos.

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.