Menu

24.4.17

{Resenha}Dois Mundos - Tesouro da Tribo de Dana # 1


 Oiee amorecos! 😊


 A leitora que vos fala está ainda entorpecida depois de ler Dois Mundos da autora Simone O. Marques.
Fazia tempo que não lia algo tão bom, pra mim distopia que tem aquela mistura de fadas, deusas, deuses, guerreiros maravilhosos e um mundo totalmente desconhecido fora dos portões onde vivem, Dois Mundos é a combinação perfeita pra uma sucessão de livros incríveis.
Confere a resenha aí negrada!


Dois Mundos - Tesouro da Tribo de Dana # 1 - Simone O. Marques

Sinopse:

Num futuro distópico, Marina é uma jovem brasileira que carrega a força e os poderes de três grandes deusas celtas. Ela é aquela que cria, acolhe e mata. Protegida por guerreiros, perseguida por mortais e desejada por deuses, precisa encontrar os míticos tesouros da Tribo de Dana se quiser salvar o que restou do mundo...
Ano de 2021. A Terra está devastada e poucos são os sobreviventes. No Brasil, grupos se reúnem em pequenas vilas em torno da água potável. O oásis neste caos fica na Chapada dos Veadeiros, na Fazenda Tribo de Dana, onde vive um povo guerreiro que acredita tudo ser parte dos planos da Grande Mãe. Neste paraíso vive Marina. Considerada o avatar de três grandes deusas celtas, precisa lidar com poderes diversos de cura, vida e morte. Ao abrir o véu que separa o mundo de mortais e deuses, a jovem liberta antigas divindades. E dois domínios distintos estão prestes a colidir quando ela descobre que detém nas mãos o destino da humanidade.”


Resenha

Dois Mundos mistura fantasia e distopia, o que só deixa a estória incrível de uma forma inesquecível.
Temos Marina( Pequena Dana/Pequena Deusa) como a protagonista, sendo um avatar onde representava fisicamente uma Deusa Celta chamada Dana. No meio da Chapada dos Veadeiros numa fazenda chamada Tribo de Dana.
O desejo de uma Deusa é atendido com exatidão e precisão, pois ela corria perigo.
O caos havia se instalado em vários lugares do mundo, mortes, destruição e devastação.


Após cincos anos num futuro distópico de 2021, Marina havia atingido a maioridade e morava esse período na fazenda com seus pais, onde teve que se adaptar a um novo estilo de vida, totalmente diferente do que vivia há anos atrás.
Sua realidade agora era outra: carregar a força da Grande Deusa: Dana, a grande mãe; Morrigan, a deusa da guerra e da destruição; e Brigite, a deusa da luz.
Marina não gostava de ser tratada com reverência e de ser chamada de Pequena Deusa, se sentia presa naquele lugar maravilhoso carregando um fardo pesado demais e isso a incomodava. Daí vinha uma teimosia sem tamanho, pois dizia sempre pra si mesma que conseguia se virar sozinha, que não precisava de ninguém há vigiando o tempo todo.

A Pequena Dana era protegida constantemente por quatro guerreiros pessoais dela: Artur, Johnny, Dylan e Brian que foram devidamente treinados para isso.
Marina apelidou seus guerreiros de Os Sombras, pois a seguiam por todos os lugares, isso a irritava e tentava ignora-los ao máximo.


Brian e Artur cresceram e treinaram juntos o que ocasionou em uma amizade forte, o que acarretava de os dois estarem sempre juntos vigiando e protegendo Marina de longe, sem incomoda-la ou chateá-la. O que me deixou encantada pelos dois e não tem como não adora-los. Impossível!

Brian a observava de longe, mas sempre atento aos seus passos e decisões, em minha opinião era o guerreiro mais dedicado por motivos que ele até então desconhecia.
A Pequena Dana contava com a ajuda de druidas, sacerdotisa, guerreiros treinados para qualquer situação e Pedro, O Oráculo que também será uma peça importante.


A teimosia dela ainda a colocaria em muitos apuros, o que não foi diferente nos eventos que ocasionou Brian, Artur e Marina a caírem numa caverna desconhecida embaixo do Sídhe (local onde se guardava os mortos/portal para o Outro Mundo), ficando presos sem saber como sair dali.
Marina tinha visões e numa dessas o presságio não era nada animador, pois o avatar da Deusa Dana teria que encontrar os tesouros de sua tribo ou as pessoas que amava morreriam e nada sobraria na fazenda...tudo seria destruído.
Pedro teria que voltar a fazenda para contar algo muito estranho que havia visto, e a mensagem que recebeu era de extrema importância para o povo de Dana.
Tudo se tornava perigoso demais, sentimentos conflitantes e decisões precisavam ser tomadas de imediato.


Pedro em um dos sonhos com Marina é avisado de que ela corre perigo e vai ao encontro dela, mas a ajuda que lhe foi dada por seu tio não estava em seus planos. Ninguém poderia saber a localidade da fazenda e ele teria em alguma hora despistar seu primo e capangas do tio.
Só não contava com a aparição de uma menina maltrapilha, suja e amedrontada no seu caminho. Liban era alguém especial e importante naquele momento.
Merlin é inteligente e parece sentir tudo ao seu redor, carinhoso e receptivo com Pedro desde o primeira vez.


Simone O. Marques nos leva a um mundo cheio de encanto, magia e perigos desconhecidos.
Dois Mundos me lembrou muito a Série Fadas da Aprilynne Pike, uma das melhores leituras sobre distopia que já li em meus trinta e um anos.
Onde a protagonista era uma fada chamada Laurel e tinha um destino selado e vivia entre dois mundos, no caso de Marina sendo um avatar o peso e o perigo de carregar três Deusas com personalidades diferentes e também viver entre dois mundos as deixam bem parecidas nesses quesitos, com guerreiros para protegê-las e sendo irresistíveis. 

Tamani (guerreiro elfo de Laurel) e Brian (guerreiro de Marina) são parecidos por amar suas protegidas e não medir esforços para protegê-las.
A autora intercala a estória em dois cenários, um na terra (o que sobrou dela) e um no outro mundo.
Durante a leitura me peguei muitas vezes dentro da estória, por lugares desconhecidos e fascinantes, sendo presa na leitura do começo ao fim.


Dois Mundos é regado de muitas aventuras, e a autora soube conduzir a estória de uma forma excepcional.
Fiquei realmente entorpecida depois de finalizar a leitura, e me perguntando como que uma autora termina o livro daquele jeito! S-E-N-H-O-R!
Fiquei lendo da mesma forma que se come um delicioso chocolate... Apreciando, me deliciando com as cenas, com o romance que ali crescia e um possível triângulo amoroso que vai se formando. Desde já sou #TeamBrian, porque não tem como não torcer por ele.


Marina junto com as três Deusas.
Na figura acima, as deusas estão na seguinte ordem: Morrigan é a Anciã (a guerra, a morte, a experiência), Dana é a Mãe (a criação, o cuidado), Brigite é a donzela (a virgem, a pureza) e Marina é a que está de azul de corpo inteiro. 


Sim, a pessoa estava tão fissurada na leitura que levava o livro pra todo lugar.
Nada melhor do que comer aquele açaí com tudo que tem direito, acompanhada de uma estória de tirar o fôlego.


Dois Mundos é brilhante, majestoso, incrível e absolutamente fantástico.
Eu só posso agora esperar a Editora Butterfly publicar a continuação, com muita ansiedade e expectativa.
Simone me conquistou com sua escrita direta e bem desenvolvida, o que acaba conectando o leitor durante a trama.


É excepcional o enredo e me encantei pela afeição de forma doce e respeitosa de Brian com Marina. Só amor esses dois. 💗💗
Quem adora esse gênero não pode deixar de ler, vai se surpreender como aconteceu comigo.
A autora revelou que a série será composta de cinco livros, e o meu desespero pra esperar cada um ser lançado vai ser grande. #Misericórdia


Acabei indo atrás de outros livros da autora e comprei a Saga As Filhas de Dana. As capas são sensacionais e eu preciso de mais da escrita de Simone, realmente fiquei encantada. #VireiFã


Confere aí o Book trailer:


Então é isso amores!
Anotem essa dica de leitura porque é pica das galáxias.
Tchau!


Título: Dois Mundos
Autor (a): Simone O. Marques
Editora: Butterfly
Número de Páginas: 256

23.4.17

{Resenha} A garota que perseguiu a lua


Título Original: The girl who chased the moon
Autora: Sarah Addison Allen
Editora: Planeta
Sinopse: Como você pode achar seu caminho? Seguindo as nuvens ou a lua? Emily Benedict foi para Mullaby após a morte de sua mãe. Ao chegar à cidade e conhecer seu avô ela percebe que os mistérios do lugar nunca são resolvidos: eles são uma forma de vida. Existem quartos cujo papel de parede muda de acordo com o seu humor, luzes estranhas aparecem no quintal à noite e Julia Winterson, a vizinha, consegue cozinhar a esperança em forma de bolos. Emily percebe que sua mãe esteve envolvida no maior mistério da cidade, e conta com a ajuda de Julia para desvendá-lo. Em Mullaby nada é o que parece.


Esse livro para mim foi uma pequena surpresa. Li algumas coisas boas a respeito dele, que me animaram a lê-lo e, juntando com essa sinopse intrigante, finalmente me rendi à leitura.

Emily é uma jovem de 17 anos que viveu com uma mãe, Dulcie, ativista e dona de uma escola para meninas, onde o bom caráter era super valorizado e as atividades extracurrilares voluntárias eram vistas com bons olhos. Dulcie através dos olhos da jovem Emily parece ter sido uma pessoa incrível, daquelas com a qual você pode contar sempre que precisar.

Só que, ao chegar na cidade natal de sua mãe, pouco a pouco ela descobre que nem sempre Dulcie havia sido essa bondade de pessoa.

Primeiro, a mãe nunca lhe contou nada sobre seu passado, então a menina nem sabia sequer que tinha um avô. Ainda mais um avô gigante! Imagine, você chegar na casinha já parcialmente arruinada e, de dentro dela, sair um senhor de mais de 2m de altura! Seu nome é Vance Shelby, um dos incríveis habitante de Mullaby: a cidade dos pequenos mistérios!
“Nesse momento, a porta sanfonada foi aberta bruscamente, e Emily deu um pulo para trás. Um homem idoso, de cabelos grisalhos, surgiu, abaixando-se sob o arco para evitar bater a cabeça. Ele era incrivelmente alto e caminhava com um passo rígido, suas pernas eram como pernas de pau. Ele parecia mal construído – um arranha-céu feito de madeira macia em vez de concreto. Dava a impressão de que ele poderia rachar a qualquer momento.”
Eu fiquei encantada com o lugar, de certo modo, por conta das pessoas que ali residem. Na minha cabeça imaginei algo como Stars Hollow, de Gilmore Girls, huahuah! Vance é um senhor viúvo, que se perdeu após o falecimento da esposa. Como ele sempre se sentiu deslocado por conta de sua altura e, até mesmo seus pais, pelo que li, meio que o renegavam como filho por conta de sua anormalidade. Mas ele é um gigante gentil que tem em suas mãos uma neta desconhecida, que não sabe nada sobre o futuro que sua filha construiu depois de sair da cidade. Nem sequer sabia que tinha uma neta, então são dois estranhos em uma casa estranha. E sabe o que é mais estranho nela? No quarto de Emily, há algo bem misterioso, algo que ela não entende, mas seu avô parece saber.


Em seu primeiro contato com as pessoas da cidade, ela percebe que algo aconteceu ali no passado que deixou uma ferida aberta. E a única coisa que ela sabe é que envolvia a sua mãe.

O primeiro a lhe apontar isso é Win Coffey, um adolescente excêntrico da família mais tradicional da cidade, só não mais rica que a família Shelby. Win é uma incógnita para nossa protagonista desde o começo, uma vez que aparece e desaparece na mesma velocidade. Há uma atração instantânea entre os dois. Para além disso, Win é quem dá a entender que sua mãe fez algo muito ruim naquela cidade e que tem haver com a família Coffey.

Pouco a pouco, Emilly vai descobrindo mais sobre o passado de sua mãe, que se tornou um tabu no qual ela acaba sendo vítima. Seu avô não é de muitas palavras, então nossa protagonista se apega a vizinha Julia, antiga colega de escola de Dulcie.
“Julia não gostava da ideia do que a garota tinha pela frente. Isso a deixava tensa e ansiosa. Viver seu próprio passado já era bem difícil. Não se deveria viver o passado de outra pessoa.”
Julia é uma personagem maravilhosa. Sua história é tocante e garanto que muitas mulheres, pelo menos em alguns aspectos, se identificarão com ela. Seu estilo de vida é muito legal de se ver, também é bastante decidida quanto a seus objetivos. Ela reside com Stella, uma mulher de seu antigo colégio que também tem muita história para contar e é muito extremamente divertida. 

Dona de uma mecha de cabelo cor de rosa, Julia se coloca à disposição de Emily para lhe apresentar a cidade. As duas se identificam uma com a outra, pois tem questões semelhantes... Como lidar com um passado que não faz jus à pessoa que são.
“(...) Nós podemos escolher aquilo que nos define.”
Achei a escrita da autora muito carinhosa. A realidade que ela criou, apesar de fantasiosa, não é focada nisso, mas sim nas relações existente entre os personagens. Em como a relação entre Vance e Emily se firmam, a relação de Julia e um antigo amor do passado. A família Coffey. É muito interessante analisar como a confiança e o amor cresce nesse livro. E como os segredos podem adoecer a relação familiar.



Sarah Addison Allen criou um livro doce e esperançoso, suave em sua escrita. Você se apaixona desde o primeiro momento, desde a primeira linha. A capa é linda (embora eu tenha medo de borboletas, haha!). A escrita do título está em relevo metálico. As folhas são amareladas e ásperas, de boa pegada. A fonte é de tamanho médio, não agride os olhos e a diagramação é muito interessante. Em cada início de capítulo, as linhas são tortas, livres como o voo das borboletas. Não achei muitos erros de digitação, acredito que foram um ou dois só que em nada incomodam na leitura.

Se você deseja uma leitura rápida e leve, para esquentar seu coração, esse é seu livro!

“Estou sempre com saudade de casa – ela disse sem olhar para ele. – Só não sei onde é minha casa. Há uma promessa de felicidade por aí, eu sei disso. Até a sinto às vezes. Mas é como perseguir a lua: bem na hora em que você acha que a tem, ela some no horizonte. Eu fico triste e tento seguir em frente, mas depois o maldito troço volta na noite seguinte, me dando esperanças de pegá-la novamente.


22.4.17

{Lançamentos} Abril: Companhia das Letras


Sabe aqueles lançamentos de arrasar quarteirão? E que são bomba e a você só basta aceitar?

É o tipo de lançamento que o Grupo Companhia das Letras tem para nós este mês!

É uma lacração atrás da outra, deuses dos livrinhos!!!

Confira abaixo os lançamentos de Abril e não se esqueçam: clicando nos títulos dos livros, se´ra redirecionado à página da editora dedicado ao mesmo!

Simbora!

O ceifador 

Scythe #1
Neal Shusterman

Título Original: Scythe #1
Lançamento: 17/04
Primeiro mandamento: matarás
A humanidade venceu todas as barreiras: fome, doenças, guerras, miséria… Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe de comportar a população por toda a eternidade.
Citra e Rowan são adolescentes escolhidos como aprendizes de ceifador — um papel que nenhum dos dois quer desempenhar. Para receberem o anel e o manto da Ceifa, os adolescentes precisam dominar a “arte” da coleta, ou seja, precisam aprender a matar. Porém, se falharem em sua missão — ou se a cumplicidade no treinamento se tornar algo mais —, podem colocar a própria vida em risco.

Fera

Brie Spangler

Título Original: Beast
Lançamento: 28/04
Dylan e Jamie sempre foram julgados pela aparência, e não pelo que são — até encontrarem um ao outro
Dylan não é como a maior parte dos garotos de quinze anos. Ele é corpulento, tem quase dois metros de altura e tantos pelos no corpo que acabou ganhando o apelido de Fera na escola. Quando ele conhece Jamie, em uma sessão de terapia em grupo para adolescentes, se apaixona quase instantaneamente. Ela é linda, engraçada, inteligente e, ao contrário de todas as pessoas de sua idade, parece não se importar nem um pouco com a aparência dele.
O que Dylan não sabe de início, porém, é que Jamie também não é como a maioria das garotas de quinze anos: ela é transgênera, ou seja, se identifica com o gênero feminino, mas foi designada com o sexo masculino ao nascer. Agora Dylan vai ter que decidir entre esconder seus sentimentos por medo do que os outros podem pensar, ou enfrentar seus preconceitos e seguir seu coração. 

Tempestades de cristal

A Queda dos Reinos #5
Morgan Rhodes


Título Original: Crystal Storm
Lançamento: 28/04
Mítica está sob o controle do Império Kraeshiano, mas talvez nem o amor mais puro consiga combater a mais forte das magias.
Amara, a implacável imperatriz de Kraeshia, assumiu o trono de Mítica, e um sentimento de incerteza paira sobre Paelsia, Limeros e Auranos. Então Magnus e Cleo procuram um jeito de retomar o poder. Assim, acabam seguindo Gaius até a casa de Selia, sua mãe exilada. A avó de Magnus é uma bruxa poderosa que pode ajudar a liberar a magia dos cristais da Tétrade e recuperar Mítica. Mas, para concretizar seus planos, a família Damora deverá se juntar ao rebelde Jonas e o grupo formado por Nic, Felix e o misterioso Ashur ressuscitado.
Enquanto isso, grávida de um Vigilante e temida por todos, Lucia foge do deus do fogo e viaja em busca de Gaius e Magnus. Mas o tempo está acabando. A tempestade iminente indica que a profecia sombria de que o Vigilante Timotheus falou está se aproximando. O destino da feiticeira está traçado, e inclui ninguém menos que o rebelde Jonas.

Shirley Jackson

Título Original: We always lived in the castle
Lançamento: 28/04
Com um humor macabro, Sempre vivemos no castelo conta a história deliciosamente sombria da família Blackwood.
Merricat Blackwood vive com a irmã Constance e o tio Julian. Há algum tempo existiam sete membros na família Blackwood, até que uma dose fatal de arsênico colocada no pote de açúcar matou quase todos. Acusada e posteriormente inocentada pelas mortes, Constance volta para a casa da família, onde Merricat a protege da hostilidade dos habitantes da cidade. Os três vivem isolados e felizes, até que o primo Charles resolve fazer uma visita que quebra o frágil equilíbrio encontrado pelas irmãs Blakcwood. Merricat é a única que pressente o iminente perigo desse distúrbio, e fará o que for necessário para proteger Constance.
"Sempre vivemos no castelo" leva o leitor a um labirinto sombrio de medo e suspense, um livro perturbador e perverso, onde o isolamento e a neurose são trabalhados com maestria por Shirley Jackson.

O que é o fascismo? e outros ensaios

George Orwell

Lançamento: 04/04
Nesta seleção de ensaios inéditos em livro no Brasil, o criador de 1984 reflete sobre política, literatura, cinema e outros temas de sua galeria de obsessões pessoais
Romancista celebrado pelas distopias de 1984 e A revolução dos bichos, George Orwell também foi um prolífico repórter e colunista. Entre as décadas de 1930 e 1940, o autor de O que é fascismo? colaborou em diversos veículos da imprensa britânica. Nesta coletânea de 24 ensaios publicados em revistas e jornais, Orwell explora um amplo espectro de assuntos, sempre perpassados pela política, sua principal obsessão intelectual e literária.
Com temas que variam de Adolf Hitler à pornografia, de W. B. Yeats a O grande ditador, os textos selecionados pelo jornalista Sérgio Augusto compõem um inteligente mosaico das opiniões de Orwell durante o período crítico da Segunda Guerra Mundial e do início da Guerra Fria. Com sua visão irônica do mundo conflagrado da época, os ensaios demonstram a potência criativa do “socialismo democrático” adotado pelo escritor como credo político após sua experiência na Guerra Civil Espanhola, em contraposição aos totalitarismos de esquerda e de direita então em voga.

Manual da faxineira

Lucia Berlin


Título Original: A manual for a cleaning women
Lançamento:04/04
Pela primeira vez no Brasil, a obra de uma lendária contista norte-americana que vem conquistando cada vez mais leitores
Lucia Berlin teve uma vida repleta de eventos e reviravoltas. Aos 32 anos, já havia vivido em diversas cidades e países, passado por três casamentos e trabalhado como professora, telefonista, faxineira e enfermeira para sustentar os quatro filhos. Lutou contra o alcoolismo por anos antes de superar o vício e tornou-se uma aclamada professora universitária em seus últimos anos de vida.
Desse vasto repertório pessoal, Berlin tira inspiração para escrever os contos que a consagraram como uma mestre do gênero. Com a bravura de Raymond Carver, o humor de Grace Paley e uma mistura de inteligência e melancolia, Berlin retrata milagres da vida cotidiana, desvendando momentos de graça em lavanderias, clínicas de desintoxicação e residências de classe alta da Bay Area.

A insustentável leveza do ser

Milan Kundera


Título Original: Nesnesitelná Lehkost Bytí
Lançamento: 04/04
Um clássico da literatura contemporânea relançado em nova edição de capa dura
Neste que é sem dúvida um dos romances mais importantes do século XX, ficção e filosofia se entrelaçam por meio da história de quatro adultos capazes de quase tudo para vivenciar o erotismo que desejam para si. Como limite, encontram um tempo histórico politicamente opressivo e o caráter enigmático da existência humana.
Infidelidade, amor, compaixão, eterno retorno, acaso e arbítrio são alguns dos grandes temas que Kundera articula num romance de ideias e paixões, em que o leitor percorre conceitos filosóficos de braços dados com cada um dos personagens — Tereza, Tomas, Sabina e Franz — e acompanha suas histórias de vida com a profundidade de um estudo. O resultado é uma obra em tudo original, um clássico da literatura contemporânea.

A garota-corvo

Erik Axl Sund

Título Original: Krakflickan, Hungerelden e Pythians Anvisingar
Lançamento: 20/04
Neste thriller sombrio e eletrizante, um crime brutal é o ponto de partida para a investigação de um mal que assola a sociedade sueca
Tudo começa em um parque da cidade de Estocolmo, onde o corpo de um menino é encontrado. A detetive superintendente Jeanette Kihlberg lidera a investigação, lutando contra um promotor apático e uma força policial burocrática que não quer dedicar recursos para resolver o assassinato de uma criança imigrante. Todavia, com a descoberta dos cadáveres mutilados de mais duas crianças, fica claro que um serial killer está à solta.
Kihlberg procura a psicóloga Sofia Zetterlund, uma especialista em recuperar crianças que sofreram violência, e as vidas das duas mulheres se entrelaçam de forma quase instantânea — profissional e pessoalmente. À medida que se aproximam da verdade sobre os assassinatos, as duas vão aos poucos perceber que os crimes escondem um mal subterrâneo que parece abraçar toda sociedade sueca. Na veia da série Millenium, A garota-corvo é um thriller sombrio e de tirar o fôlego, e uma investigação dos recantos mais sombrios da mente humana.

Me diga quem eu sou

Helena Gayer

Lançamento: 05/04
Em um texto comovente e perturbador, percorremos os altos e baixos da vida da gaúcha Helena Gayer
Como num grito de alerta, Helena Gayer transmite as nuanças de uma pessoa apunhalada pelo transtorno bipolar. Com crueza, minúcia e fervor, a autora narra seus mergulhos ora em depressão ora em mania e as muitas experiências por que passou, correndo risco de morte e abusos. Ao se abrir e descrever com detalhes as inúmeras tentativas de ter uma vida normal, os episódios de completa alienação e as internações, ela deixa escapar, a cada linha, um pedido tênue, uma súplica fugaz, para que tenhamos um olhar mais apurado em direção à pessoa, não só à doença.
Helena nos apresenta um relato íntimo sobre como é viver, sobreviver e constantemente se rearranjar nessa realidade tão dura e tantas vezes negligenciada. Diagnosticada aos 21 anos, ela remove e nos mostra cada estilhaço de sua trajetória, enquanto seguimos com ela numa jornada de dor e descoberta, mas, acima de tudo, de superação.

Romancista como vocação

Haruki Murakami

Título Original: Hokugyo Toshite no Shosetsuka
Lançamento: 11/04
Mesclando detalhes da própria vida com digressões sobre o valor da literatura, um dos maiores escritores contemporâneos fala sobre o ofício da escrita
Haruki Murakami é um dos mais conhecidos autores contemporâneos do Japão. Quando seus livros são lançados, a imprensa noticia filas enormes nas livrarias de Tóquio e traduções para mais de quarenta idiomas. Ícone da escrita fluida, Murakami transita bem em diversos estilos narrativos: ficção, ensaio, reportagem, nada parece estar fora de seu talento literário.
Para abarcar toda essa multiplicidade, chega agora Romancista como vocação, uma série de proposições sobre a escrita, a literatura e a vida pessoal do recluso escritor. Escrito na linguagem acessível típica de Murakami, este livro é um convite a todos que desejam habitar o mundo dos romancistas, bem como uma declaração de amor ao ato da escrita.

21.4.17

{Bate-Papo} Blog As meninas que leem livros e Revista 9 3/4


E aí pessoal?

Quem acompanha nossa página no facebook ficou sabendo que essa semana eu e a Amanda fomos convidadas para realizar um bate-papo com os jovens da Revista 9 ¾!

Nessa conversa, falaríamos como é ser um blogueiro/influenciador digital literário, uma vez que esse pessoal está muito interessado em ingressar nessa área deliciosa dos blogs!

Para tanto, eu pensei em escrever um texto, porque até então, eu nunca havia pensado nisso, sabe? Então para me localizar no bate papo, eu escrevi esse texto abaixo. É claro que não li ele na hora, né! Foi só pra riscar as partes importantes e eu me localizar! Vou anexar também fotos desse encontro tão legal! 

Como é ser resenhista de livros em um blog?

Estava eu pensando como começar a falar sobre isso. Talvez com a minha história de como comecei nesse ramo de formadores de opinião/blogueiros/influenciadores digitais?

Então... Para aqueles que já acompanham o blog há alguns anos, devem se lembrar de que comecei a resenhar livros em janeiro de 2015. Vi um anúncio da Juliana, antiga administradora do blog, convocando resenhistas e resolvi arriscar. Depois de alguns minutos de insegurança, demonstrei meu interesse e disse que só começaria a resenhar se ela aprovasse a minha resenha.

Meu primeiro livro resenhado foi Extraordinário, de R. J. Palacio que eu havia lido alguns meses antes e amado de coração. Lembro que foi muito emocional para mim e acredito que transmiti isso em minha resenha, por todos os comentários que recebi pelo mesmo. Esta foi minha porta de entrada para o blog e tenho muito orgulho do que faço!

Ler livros para mim é um prazer imenso, desde que era pequena (tá, pequena ainda sou, mas criança!). Minha mãe sempre teve esse costume e minha avó sempre me estimulou muito a ler. Lembro-me de que quando íamos dormir (dividíamos o quarto), ela me pedia para ler os quadrinhos da Turma da Mônica para ela, uma vez que sua visão já estava prejudicada. Eu lia até perceber que ela havia pego no sono... Então a leitura, para mim, antes de tudo é nostalgia. 

Muitos devem acreditar que não conseguiriam escrever uma opinião acerca do livro que leu. Eu achei que teria dificuldades para tal, mas hoje já me acostumei. Leio já pensando no que direi sobre ele, futuramente, na resenha. Às vezes faço anotações para não esquecer, outras vezes apenas marco as páginas com aqueles post its de setinha, aí o que eu ia dizer na resenha é relembrado quando vou analisar o que marquei.

Então vamos lá... Para ser resenhista de livro, a primeira coisa necessária é: Gostar – amar – de leituras. 

A segunda coisa, é formar uma opinião sobre aquilo que se lê.

Sim. Uma coisa que me tornei ao ler livros, foi uma pessoa muito crítica com aquilo que irei consumir. Como uma pessoa que precisa transmitir uma opinião, você precisa pensar em qual é o público ao qual seu texto é voltado. Por exemplo... Não leio muito romances em que uma das pessoas do casal é agressiva com o outro, abusa de sua sanidade e boa vontade. Sabem por quê? Muitas pessoas lerão sua resenha elogiando uma história sobre uma relação tóxica, mesmo que a parte em questão no final fique bonzinho... Ninguém precisa sofrer para tal pessoa mudar de comportamento, não é? Serão... Sei lá, centenas de pessoas que lerão sua opinião e acharão legal suportar um martírio enorme na esperança da luz no fim do túnel. 



Como formadores de opinião, precisamos sempre ser sinceros ao dizer o que pensamos a respeito da história. Obviamente, sem agredir o autor... Já vi autores deixarem de divulgar seus livros porque um blogueiro esculachou sua história, isso é desnecessário. Assertividade é sempre bom quando você não gosta de uma ou outra coisa na história. Quem escreveu o livro é humano completo de sonhos, como nós mesmos!

O que as editoras parceiras querem são pessoas e deem suas opiniões de modo coeso e coerente, que falem também sobre a estrutura física do livro: capa, folhas, fonte... Afinal, é mentira quando dizem que não julgam o livro pela capa, porque todo mundo faz isso! A sinopse precisa ser muito do seu agrado para que você ignore a capa que não é muito atrativa para seu gosto. E isso é uma coisa muito pessoal, cada um tem o seu.

Mas faço isso com todos os livros que resenho, não só os de parceria com autores e editoras.

Como receber livros? Comprando! Huahuahuah! Sim, grande parte do meu acervo é de aquisição própria... Sou a doida dos livros, preciso ter um autocontrole imenso pra não sair comprando todos os lançamentos que gosto!

Mas vamos lá, para receber livros via editora e autores, é necessário fazer parcerias! E isso é um stress tremendo para qualquer blogueiro literário!

Uma vez por ano (ou a cada semestre) as editoras abrem um processo seletivo, onde você poderá se inscrever para a parceria anual (ou semestral) com elas. Cada editora tem seu modus operandi de avaliar os blogs: inscritos, quantidade de postagens semanais, comentários de visitantes, etc... Há um período para se inscrever nesse processo seletivo, um período de avaliação e aí... O Doce (ou amargo) resultado!

A partir da aprovação, as editoras entram em contato, descrevem como será a parceria. Algumas editoras cedem apenas um livro por mês, outras cedem dois, outras cedem um para cada resenhista do blog, outras cedem apenas e-books. Isto é muito íntimo da disponibilidade das mesmas e do blogueiro.

Muitas permitem que o blogueiro escolha os livros desejados de todo o seu catálogo; outras enviam uma seleção dos lançamentos para você escolher. Outras ainda lhe enviam de acordo com a análise de gosto do blog. Novamente, é muito particular da editora, mas tudo isso sempre está descrito no momento da inscrição. Então é de cada blogueiro inscrever-se nos processos seletivos das editoras que mais lhe atraem e que mais combinam com o intuito do blog.

Quanto a parceria com autores, há também dois modos: eles entram em contato com você se tiverem afinidade com seu blog, ou abrem processos seletivos. 

Às vezes, pode acontecer do livro que você recebeu não ser muito do seu gosto. Aí vem a questão de você ler mesmo assim e dar sua opinião sincera sobre o mesmo. Digo, não é porque o livro não é do seu gênero preferido que você vai detonar a história, né? Você precisa ser um profissional e avaliar a proposta toda: se foi bem escrito, se teve coerência, se os acontecimentos foram surpreendentes ou bem clichês... Se todos os nós da história foram desfeitos e o final foi bom e seguiu o proposto. Você pode acabar se surpreendendo e gostando da história, se der a chance a mesma. Agora, se além de não ser do seu gosto, o autor não desenvolveu bem, faltou coisa, teve coisa sem sentido... Você precisa dizer também. Mas lembre-se: seja sempre educado!


Mas, geralmente, é você quem escolhe o livro que quer ler para resenhar. E pode acabar amando ou não gostando da escolha! A regra é a mesma: seja sempre sincero!

Aprendi com o Auggie algo muito importante, que sempre carregarei comigo:
“Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil.”
Bom... Para mim, ser resenhista de livros é isso! Espero que tenham gostado!

Já conhece a Revista Página 9 3/4?

Acesse nas redes!


No final, fomos escolhidas para o projeto criado pelo Biblioarte nos entregou um livro para lermos e esquecermos por aí! Em breve teremos resenha e deixarei por aí na cidade para alguém encontrar!!!




{Dica de Leitura} Graciela Paciência


Sexta-feira é dia de Dica de Leitura!

Dia dedicado a leitura de nacionais aqui no blog, então hoje vamos indicar a autora Graciela Paciência!

O primeiro livro da autora retrata um tema polêmico para muitas pessoas: gravidez na adolescência. Em seu livro, ela tentou incluir as coisas que gosta, como música, cinema e literatura, citando diversas obras no decorrer da estória. Criou até mesmo uma playlist para seu livro, você pode conferir aqui enquanto segue com a leitura!

É janeiro de 2011 e Mirella, de 16 anos, descobre que está grávida de 4 semanas de seu namorado, Fabrício, que também é jovem e nunca esteve tão apaixonado por Mirella. O namoro vai muito bem, obrigado, mas nem por isso a gravidez será uma fase fácil para eles. Mirella precisa lidar com o julgamento das pessoas ao seu redor e com a sua própria insegurança, já que Fabrício acaba de começar a faculdade e conhece pessoas novas, incluindo uma garota superbonita com quem se identifica mais do que com sua namorada. Enquanto passa por desafios diários, Mirella se pergunta como vai lidar com tudo isso.

Sobre a autora

Graciela Paciência nasceu e cresceu em São Paulo. Por muito tempo acreditou que seu futuro estivesse na direção de videoclipes e se formou em Rádio e TV.
Mais tarde, percebeu que não precisa se limitar a apenas um segmento e descobriu-se escritora. As dúvidas e inseguranças apareceram, mas ela optou por enfrentar as dificuldades, seguir em frente e publicar seu primeiro livro, “Confissões de uma adolescente grávida”, lançado pela editora Círculo das Artes.


Nas redes





20.4.17

{Evento} 1º Encontro de Dragões Online!



Eu, uma simples historiadora dos Knights da Editora PenDragon, tenho o orgulho de estar presente no Encontro de Dragões!!!


É a Primeira Maratona Online da Editora PenDragon e você não pode ficar fora dessa!

Serã 25 autores, 5 Blogs e a Editora PenDragon, sorteando prêmios no dia 6 de maio (anota na agenda para não esquecer, marque no calendário do seu celular, pendure na porta do seu quarto, no espelho do banheiro, na porta da geladeira, cole um post it no seu computador, qualquer coisa que te ajude a não esquecer!), a partir das 13:00 às 20:00 (no horário de Brasilia, não vá se esquecer!)!

Os prêmios são váaarios! Livros físicos, e-books, marcadores, canecas... É tanta coisa que, se você perder esta contenda, irá se arrepender!

E o que você precisa fazer para concorrer?

Primeiro, entra no evento aqui: 1º Encontro de Dragões Online

Aí é só seguir as brincadeiras que estarão ocorrendo no dia! Fácil, não é?

O que???? Você não poderá ficar o dia todo online?

NÃO TEM PROBLEMA!!!

A maior parte das brincadeiras estarão disponíveis até domingo, dia 07/05. E os sorteios serão enviados na segunda com código de rastreio nos próximos 20 dias.

Fácim fácim!

Agora pegue sua espada/chicote/machado/bola mágica de poder e participe do evento que você não pode ficar de fora!!!

Só para não esquecer, não deixe de clicar em participar do evento!

19.4.17

{Evento Literário} Flipoços 2017

Bom dia pessoal!!!

Hoje estou aqui para trazer novidades quentinhas para vocês.... Assim como divulgamos aqui no ano passado, e ainda fizemos uma cobertura para vocês saberem tudo o que rolou, nesse ano também fechamos uma parceria com a FLIPOÇOS, o Festival Literário de Poços de Caldas, juntamente com a 12ª Feira Nacional do Livro de Poços de Caldas.


Não sei se vocês sabem, mas nós aqui do blog somos divididas entre Meninas de Poços e Meninas de Fortaleza rsrs Então, enquanto as meninas de Fortaleza estão se divertindo na Bienal por lá, nós estamos aqui aguardando ansiosas pela FLIPOÇOS, que chega por aqui no final desse mês. 

Esse ano, teremos Moçambique como país homenageado, portanto diversas atividades terão esse país africano como tema, além da participação de escritores moçambicanos e até mesmo a realização de um jantar temático com a comida típica desse país.

Pela primeira vez no Brasil, um Festival Literário recebe ao mesmo tempo, sete escritores moçambicanos para um evento único. É uma honra para Poços de Caldas e para os frequentadores do Flipoços 2017, conviver por nove dias com esses renomados escritores - Ungulani Ba Ka Khosa, Paulina Chiziane, Lucilio Manjate, Sangare Okapi, Dany Wambire, Mbate Pedro

HOMENAGEM A AMAZONAS E MOÇAMBIQUE 
Levando em consideração todas as influências do Flipoços 2017, o chef Henrique Benedetti prepara um jantar com sabores amazonenses e moçambicanos.
Entrada - Tapioca de tucumã e queijo coalho (entrada típica de Manaus)
Principal - Feijoada de Frutos do mar (prato típico de Moçambique)
Sobremesa - Torta de Chocolate em texturas (um verdadeiro drama, o romance preferido do Chef) Valor por convidado: R$ 89,00 (Bebidas à parte)
Somente com reservas antecipadas pelo: 35 3712 8077
Local: Ollivia Gastronomia - Av. João Pinheiro, 1135 - Centro 

Algumas atividades da Feira, como as Palestras Master, precisam de ingresso para participar. Para trocá-los, basta apenas doar um livro em boas condições. Mas sempre têm aquelas palestras que esgotam rapidinho, então se você se interessar, melhor correr!

Campanha Doe 1 Livro Ao doar 1 livro de literatura em bom estado você ganha 1 ingresso para participar de 1 atividade master do Flipoços 2017. Escolha a atividade de sua preferência e faça a troca na GSC Eventos, na rua Prefeito Chagas, 305 - sala 308 - Edifício Manhattan, no centro de Poços de Caldas ou no local do evento com pelo menos 1 hora de antecedência do início da atividade escolhida. 

Esse ano, contaremos novamente com a presença do ilustre Clóvis de Barros Filho, sempre um dos meus preferidos na hora das palestras; Milton Hatoum, que também é o patrono da Flipoços esse ano; D. Bertrand de Orleans e Bragança (Príncipe Imperial do Brasil) - sim, o Brasil tem um príncipe, joguem no Google, porque foi o que nós fizemos rsrs - ; Jacques Fux Tati Bernardi, falando sobre Literatura, Amor e Loucura; Deltan Dallagnol – promotor do Ministério Público e o coordenador responsável pela força-tarefa da Lava Jato e muito muito muito mais coisas interessantíssimas, para todos os gostos!!



Confiram a programação completa aqui e aproveitem a oportunidade para conhecer a cidade mais linda de Minas Gerais, e modéstia à parte, do Brasil!! A Flipoços acontece do dia 29/04 a 07/05!! Não percam!!



Hospedagem e Alimentação 
Hotéis e Restaurantes conveniados disponibilizam serviços com valores especiais para os visitantes da 12ª Feira Nacional do Livro de Poços de Caldas e do Festival Literário - Flipoços 2017. Acesse o link: www.flipocos.com/2017/servicos.html para conhecer os parceiros.