Menu

21.4.17

{Bate-Papo} Blog As meninas que leem livros e Revista 9 3/4


E aí pessoal?

Quem acompanha nossa página no facebook ficou sabendo que essa semana eu e a Amanda fomos convidadas para realizar um bate-papo com os jovens da Revista 9 ¾!

Nessa conversa, falaríamos como é ser um blogueiro/influenciador digital literário, uma vez que esse pessoal está muito interessado em ingressar nessa área deliciosa dos blogs!

Para tanto, eu pensei em escrever um texto, porque até então, eu nunca havia pensado nisso, sabe? Então para me localizar no bate papo, eu escrevi esse texto abaixo. É claro que não li ele na hora, né! Foi só pra riscar as partes importantes e eu me localizar! Vou anexar também fotos desse encontro tão legal! 

Como é ser resenhista de livros em um blog?

Estava eu pensando como começar a falar sobre isso. Talvez com a minha história de como comecei nesse ramo de formadores de opinião/blogueiros/influenciadores digitais?

Então... Para aqueles que já acompanham o blog há alguns anos, devem se lembrar de que comecei a resenhar livros em janeiro de 2015. Vi um anúncio da Juliana, antiga administradora do blog, convocando resenhistas e resolvi arriscar. Depois de alguns minutos de insegurança, demonstrei meu interesse e disse que só começaria a resenhar se ela aprovasse a minha resenha.

Meu primeiro livro resenhado foi Extraordinário, de R. J. Palacio que eu havia lido alguns meses antes e amado de coração. Lembro que foi muito emocional para mim e acredito que transmiti isso em minha resenha, por todos os comentários que recebi pelo mesmo. Esta foi minha porta de entrada para o blog e tenho muito orgulho do que faço!

Ler livros para mim é um prazer imenso, desde que era pequena (tá, pequena ainda sou, mas criança!). Minha mãe sempre teve esse costume e minha avó sempre me estimulou muito a ler. Lembro-me de que quando íamos dormir (dividíamos o quarto), ela me pedia para ler os quadrinhos da Turma da Mônica para ela, uma vez que sua visão já estava prejudicada. Eu lia até perceber que ela havia pego no sono... Então a leitura, para mim, antes de tudo é nostalgia. 

Muitos devem acreditar que não conseguiriam escrever uma opinião acerca do livro que leu. Eu achei que teria dificuldades para tal, mas hoje já me acostumei. Leio já pensando no que direi sobre ele, futuramente, na resenha. Às vezes faço anotações para não esquecer, outras vezes apenas marco as páginas com aqueles post its de setinha, aí o que eu ia dizer na resenha é relembrado quando vou analisar o que marquei.

Então vamos lá... Para ser resenhista de livro, a primeira coisa necessária é: Gostar – amar – de leituras. 

A segunda coisa, é formar uma opinião sobre aquilo que se lê.

Sim. Uma coisa que me tornei ao ler livros, foi uma pessoa muito crítica com aquilo que irei consumir. Como uma pessoa que precisa transmitir uma opinião, você precisa pensar em qual é o público ao qual seu texto é voltado. Por exemplo... Não leio muito romances em que uma das pessoas do casal é agressiva com o outro, abusa de sua sanidade e boa vontade. Sabem por quê? Muitas pessoas lerão sua resenha elogiando uma história sobre uma relação tóxica, mesmo que a parte em questão no final fique bonzinho... Ninguém precisa sofrer para tal pessoa mudar de comportamento, não é? Serão... Sei lá, centenas de pessoas que lerão sua opinião e acharão legal suportar um martírio enorme na esperança da luz no fim do túnel. 



Como formadores de opinião, precisamos sempre ser sinceros ao dizer o que pensamos a respeito da história. Obviamente, sem agredir o autor... Já vi autores deixarem de divulgar seus livros porque um blogueiro esculachou sua história, isso é desnecessário. Assertividade é sempre bom quando você não gosta de uma ou outra coisa na história. Quem escreveu o livro é humano completo de sonhos, como nós mesmos!

O que as editoras parceiras querem são pessoas e deem suas opiniões de modo coeso e coerente, que falem também sobre a estrutura física do livro: capa, folhas, fonte... Afinal, é mentira quando dizem que não julgam o livro pela capa, porque todo mundo faz isso! A sinopse precisa ser muito do seu agrado para que você ignore a capa que não é muito atrativa para seu gosto. E isso é uma coisa muito pessoal, cada um tem o seu.

Mas faço isso com todos os livros que resenho, não só os de parceria com autores e editoras.

Como receber livros? Comprando! Huahuahuah! Sim, grande parte do meu acervo é de aquisição própria... Sou a doida dos livros, preciso ter um autocontrole imenso pra não sair comprando todos os lançamentos que gosto!

Mas vamos lá, para receber livros via editora e autores, é necessário fazer parcerias! E isso é um stress tremendo para qualquer blogueiro literário!

Uma vez por ano (ou a cada semestre) as editoras abrem um processo seletivo, onde você poderá se inscrever para a parceria anual (ou semestral) com elas. Cada editora tem seu modus operandi de avaliar os blogs: inscritos, quantidade de postagens semanais, comentários de visitantes, etc... Há um período para se inscrever nesse processo seletivo, um período de avaliação e aí... O Doce (ou amargo) resultado!

A partir da aprovação, as editoras entram em contato, descrevem como será a parceria. Algumas editoras cedem apenas um livro por mês, outras cedem dois, outras cedem um para cada resenhista do blog, outras cedem apenas e-books. Isto é muito íntimo da disponibilidade das mesmas e do blogueiro.

Muitas permitem que o blogueiro escolha os livros desejados de todo o seu catálogo; outras enviam uma seleção dos lançamentos para você escolher. Outras ainda lhe enviam de acordo com a análise de gosto do blog. Novamente, é muito particular da editora, mas tudo isso sempre está descrito no momento da inscrição. Então é de cada blogueiro inscrever-se nos processos seletivos das editoras que mais lhe atraem e que mais combinam com o intuito do blog.

Quanto a parceria com autores, há também dois modos: eles entram em contato com você se tiverem afinidade com seu blog, ou abrem processos seletivos. 

Às vezes, pode acontecer do livro que você recebeu não ser muito do seu gosto. Aí vem a questão de você ler mesmo assim e dar sua opinião sincera sobre o mesmo. Digo, não é porque o livro não é do seu gênero preferido que você vai detonar a história, né? Você precisa ser um profissional e avaliar a proposta toda: se foi bem escrito, se teve coerência, se os acontecimentos foram surpreendentes ou bem clichês... Se todos os nós da história foram desfeitos e o final foi bom e seguiu o proposto. Você pode acabar se surpreendendo e gostando da história, se der a chance a mesma. Agora, se além de não ser do seu gosto, o autor não desenvolveu bem, faltou coisa, teve coisa sem sentido... Você precisa dizer também. Mas lembre-se: seja sempre educado!


Mas, geralmente, é você quem escolhe o livro que quer ler para resenhar. E pode acabar amando ou não gostando da escolha! A regra é a mesma: seja sempre sincero!

Aprendi com o Auggie algo muito importante, que sempre carregarei comigo:
“Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil.”
Bom... Para mim, ser resenhista de livros é isso! Espero que tenham gostado!

Já conhece a Revista Página 9 3/4?

Acesse nas redes!


No final, fomos escolhidas para o projeto criado pelo Biblioarte nos entregou um livro para lermos e esquecermos por aí! Em breve teremos resenha e deixarei por aí na cidade para alguém encontrar!!!




Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.