Menu

3.4.17

{Lançamento} Crowdfunding: Mapinguari


Olá pessoalzinho, como estão as leituras? Devo dizer que ultimamente não tenho tido tempo de ler nada! Mas é por um ótimo motivo!

Estou fazendo parte de um projeto super demais e hoje o texto vai ser um pouquinho diferente. Vale também como uma Dica de Leitura, mas principalmente como divulgação.

O projeto que falei é a História em Quadrinhos do meu irmão, Mapinguari, que foi lançada no Catarse recentemente.

Pra quem não sabe, o Catarse é uma plataforma de financiamento coletivo (também conhecido como Crowdfunding) que permite a realização de projetos, através do apoio financeiro de amigos, familiares e todos àqueles que desejam ver essas ideias ganhando vida no mundo real. Ao apoiar algum projeto você ainda recebe recompensas, de acordo com o valor que você escolher. Demais não é? 

Bom, então vamos para a história em si! 


Mapinguari, que dá nome à obra é uma criatura que faz parte do nosso folclore. Ele é conhecido por atormentar as pessoas que habitam a região amazônica, atacando pessoas e arrancando-lhes a cabeça, mas na história o personagem é apresentado como uma releitura do autor que traz muita fantasia, misticismo e suspense.

A HQ conta com uma personagem feminina bem valente, a guerreira indígena Kaná, que busca vingar a morte do pai após seu contato com Mapinguari. 

Em meio ao terror de seu povo pelas mortes que estão ocorrendo, Kaná se manifesta para derrotá-lo, porém conforme o enredo prossegue surge circunstâncias que comprometem sua tribo, fazendo com que sua busca por vingança se misture com algumas revelações místicas que mostram seu verdadeiro destino.

A obra terá 80 páginas, sendo 52 páginas de história e 28 páginas de extras que incluem uma incrível galeria de artistas com artes fantásticas de vários artistas convidados, making off e alguns estudos de personagem. E está em campanha no Catarse podendo ser acessada em HQ Mapinguari.

Sei que muita gente fica meio que com o pé atrás quando se ouve falar de folclore brasileiro, mas como li em um texto recentemente e concordo plenamente é que esse lance de "folclore nacional é chato" vem do fato de não termos sido introduzidos no assunto como poderíamos ter sido. Podia até fazer parte da nossa infância, mas para por aí. Não crescemos assistindo filmes sobre a Mula-sem-cabeça, jogando jogos sobre Saci muito menos lendo quadrinhos sobre o Mapinguari. Por isso vejo essa HQ como uma grande chance tanto para os que ainda estão dispostos à entrar nesse mundo quanto para às próximas gerações. 

"Hoje em dia, temos apenas produtos para o público infantil - como Turma da Mônica, que são ótimas - mas não atingem adolescentes e adultos", conta Rodrigo. "Então pensei: dá pra fazer mais com tantas boas histórias, dá pra ser mais agressivo." 

Sobre o autor: 

Rodrigo Otäguro é quadrinista e ilustrador, tem 30 anos e mora na cidade de Indaiatuba. Seu trabalho como quadrinista é recente e seu primeiro trabalho chamado Continuum, foi publicado na coletânea ZineBox em Janeiro/2016.

Instagram: @rodrigootaguro
Facebook: @rodrigootaguroartist
Twitter: @rodrigootaguro



Espero que gostem! Quem se interessar em apoiar o projeto, já tem o link ali em cima, se não puder também, pode simplesmente compartilhar com aquele amigo que você sabe que vai curtir. Manda pros irmãos e pra quem mais você achar que vai adorar a ideia! :) 

Beijos, até a próxima! (✿´꒳`)ノ°

6 comentários:

  1. Oi
    sucesso para o seu irmão com esse hq, acho o folclore brasileiro interessante e da pra ser muito aproveitado nas histórias.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. oie, desejo sucesso ao seu irmão, eu mesma ainda não conhecia essa plataforma de financiamento, mas achei interessante!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sim! Aproveita e dá uma olhada por lá que também tem outros projetos super demais :)
      Obrigada!

      Excluir
  3. Show de bola! Valeu demais Bi!! :-D Curti muito!

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.