Menu

22.5.17

{Resenha} Cleópatra


Autora: Arlete Salvador
Editora: Contexto
Sinopse: Reproduzida pelos pintores, biografada por escritores, representada por estrelas de cinema, Cleópatra é um dos grandes mitos da História. Optando por um olhar inovador e contemporâneo, a autora deste livro capta uma Cleópatra sedutora e fascinante, mas também culta e inteligente, uma mulher do nosso tempo no Egito de 20 séculos atrás. Cleópatra possuía uma cultura invejável: grande negociante, estrategista militar, falava pelo menos oito línguas e era versada em filosofia, alquimia e matemática. Distante da imagem de simples objeto sexual, que certos filmes e livros tentaram passar, Cleópatra era uma política hábil e uma líder respeitável, em um período fundamental para a consolidação do poder de Roma.
Ao optar por um olhar desmistificador, Arlete Salvador, jornalista especializada em política, nos apresenta um livro fascinante. Ao se decidir por uma narrativa leve, sem erudição desnecessária, nos revela uma rainha mais próxima do leitor, com dúvidas e inquietações que poderiam ser de qualquer um(a) de nós. Daí que o livro, escrito com surpreendente bom humor, é daqueles que se deixa ler com grande prazer. 

Não é segredo nenhum que eu gosto de ler livros com mulheres protagonistas fortes. Então é natural que, visitando o catálogo da Editora Contexto, eu escolhesse justamente o livro sobre essa mulher que ficou na história, entre tantas outras tão memoráveis quanto e simplesmente foram esquecidas com o passar dos ventos.

O livro traz em seu conteúdo: “Como a última rainha do Egito perdeu a guerra, o trono e a vida e se tornou um dos maiores mitos da história.” Isso me levou a refletir bastante, como ela teve sua vida julgada pelos historiadores da época, cujos relatos vivem até hoje. Mas também, de certo modo, graças a eles seu nome ainda estão vivo.

O livro então baseia-se bastante nos relatos de Cassio Dio e Plutarco, perpassando também por um pouco de Shakespeare (que por sua vez buscou no segundo historiador citado acima para construir sua versão do mito) e nos permite ter uma visão bem ampla da realidade em que Cleópatra viveu, seu momento na história. 

Gosto de relatos reais históricos, como também já disse diversas vezes, adoro mitologia e a egípcia é uma das que mais admiro, junto com a celta. Porém, o mito aqui não é o de uma deusa, mas sim de uma mulher cuja grandeza alcançou esse status. Cleópatra utilizou a imagem de Ísis para representar a si mesma, uma vez que a mesma era muito admirada pelos egípcios pela crença de que a deusa “protegia os humanos e favorecia a fertilidade, o casamento e a natureza”.

A autora nos guia a partir dos predecessores ao trono do Egito, até chegar ao seu pai, Pmtolomeu XII, que enfrentou diversos problemas em seu reinado. Cleópatra preciso retomar seu reino após os conselheiros de seu irmão mais novo lhe tomarem o trono que era seu por direito. A mulher era uma estrategista e conhecedora da política. Conheceu Júlio César em seu excílio e com ele teve um filho, que seria herdeiro de Roma por direito, se os romanos aceitassem o romance que existiu entre eles.


Após a morte de Júlio César, Cleópatra investiu no romance com Marco Antônio, um dos três nomes do Triunvirato. Tiveram um relacionamento de anos e filhos, porém novamente o romance não era aceito, uma vez que Marco Antônio era casado com a irmã de Otávio, outro pertencente ao Triunvirato e quem começou os rumores de que a rainha do Egito era uma feiticeira sexualista que estava dominando a mente do nobre e honrado Marco Antônio.

Muito discutiu-se a respeito das razões de dois grandes homens caírem de amores por ela. Sua beleza, sua inteligência, sua sagacidade... Os romanos não entendiam como dois de seus maiores líderes deixariam sua pátria para dar forças ao Egito, uma terra que já havia sido meio que dominada por Roma. Os dois historiadores já citados acima relataram toda a história como se ambos os imperadores romanos fossem vítimas diante do poder fascinante de Cleópatra.

A autora nos apontou em grandes detalhes como a vida da mulher transformou-se em mito. Gostei muito de conhecer essa obra, recheada de imagens de quadros e estátuas de Cleópatra. Fica fácil de imaginar como foram os acontecimentos. As folhas são brancas, o que pode incomodar um pouco, mas compensa pelas figuras. A diagramação ficou bonita, com hieróglifos e outras características egípcias.

É de leitura fácil, de modo que você que não é historiador entende facilmente. Leitura recomendada se você quer conhecer mais sobre o mito da Cleópatra, umas mulheres mais instigantes da história!



21.5.17

{Lançamentos} Maio: Companhia das Letras


Tem tanta coisa boa nos lançamentos de maio da Companhia das Letras e seus Selos! 

Tem lançamento de livro de Stephen King (amo!), tem fantasia, tem Young Adult! É muita coisa boa esse mês!

Confira abaixo e lembre-se: Basta clicar no título de cada livro que será redirecionado a página do mesmo no site da editora!

A melodia feroz 

Monstros da Violência #1
Victoria Schwab

Título Original: This savage song
Lançamento: 24/05
Kate Harker e August Flynn vivem em lados opostos de uma cidade dividida entre Norte e Sul, onde a violência começou a gerar monstros de verdade. Eles são filhos dos líderes desses territórios inimigos e seus objetivos não poderiam ser mais diferentes. Kate sonha em ser tão cruel e impiedosa quanto o pai, que deixa os monstros livres e vende proteção aos humanos. August também quer ser como seu pai: um homem bondoso que defende os inocentes. O problema é que ele é um dos monstros, capaz de roubar a alma das vítimas com apenas uma nota musical. Quando Kate volta à cidade depois de um longo período, August recebe a missão de ficar de olho nela, disfarçado de um garoto comum. Não vai ser fácil para ele esconder sua verdadeira identidade, ainda mais quando uma revolução entre os monstros está prestes a eclodir, obrigando os dois a se unir para conseguir sobreviver.

Crueldade

Crueldade #1
Scott Bergstrom

Título Original: The cruelty
Lançamento: 31/05
O mundo de Gwendolyn Bloom vira de cabeça para baixo quando seu pai desaparece durante uma viagem de trabalho. Ela logo descobre que ele não é o homem que, por dezessete anos, achou que fosse - e essa é só a primeira de muitas revelações que Gwendolyn terá pela frente. Sem poder contar com a ajuda de mais ninguém para encontrá-lo, a garota parte em uma jornada tão perigosa quanto alucinante, seguindo os rastros do pai pela Europa. Porém, para se infiltrar - e sobreviver - em um novo mundo cheio de maldade e perversão, ela precisará deixar toda a sua vida para trás, assumir uma nova identidade e se tornar alguém tão cruel quanto seus piores inimigos.


Nossas noites

Kent Haruf

Título Original: Our souls at night
Lançamento: 31/03
Um romance delicado sobre amar, envelhecer e aproveitar as segundas chances que a vida nos oferece - mesmo quando parece ser tarde demais
Em Holt, no Colorado, Addie Moore faz uma visita inesperada a seu vizinho, Louis Waters. Viúvos e septuagenários, os dois lidam diariamente com noites solitárias em suas grandes casas vazias. Addie propõe a Louis que ele passe a fazer companhia a ela ao cair da tarde para ter alguém com quem conversar antes de dormir. Embora surpreso com a iniciativa, ele aceita o convite. Os vizinhos, no entanto, estranham a movimentação da rua, e não demoram a surgir boatos maldosos pela cidade. Aos poucos, os dois percebem que manter essa relação peculiar talvez não seja tão simples quanto parecia. Neste aclamado romance, Kent Haruf retrata com ternura e delicadeza o envelhecimento, as segundas chances e a emoção de redescobrir os pequenos prazeres da vida - que pode surpreender e ganhar um novo sentido mesmo quando parece ser tarde demais.

Prisioneiras

Drauzio Varella

Lançamento: 09/05
O trabalho de Drauzio Varella como médico voluntário em penitenciárias começou em 1989, na extinta Casa de Detenção de São Paulo, o Carandiru. Os anos de clínica e as histórias dos presos, dos funcionários e da própria cadeia seriam retratados nos aclamados livros Estação Carandiru (1999) e Carcereiros (2012). Em 2017, Drauzio encerra sua trilogia literária sobre o sistema carcerário brasileiro com Prisioneiras. Alçando as mulheres encarceradas a protagonistas, o médico rememora os últimos onze anos de atendimento na Penitenciária Feminina da Capital, que abriga mais de duas mil detentas. São histórias de mulheres que não raro entram para o crime por conta de seus parceiros - inclusive tentando levar drogas aos companheiros nas penitenciárias masculinas em dias de visita -, mas que são esquecidas quando estão atrás das grades. As famílias conseguem tolerar um encarcerado, mas não uma mãe, irmã, filha ou esposa na cadeia. No ambiente carcerário feminino, há elementos comuns às penitenciárias masculinas. Assim como no Carandiru, um código de leis não escrito rege as prisioneiras; o Primeiro Comando da Capital (PCC) está presente e mostra sua força através das mulheres que integram a facção; e a relação entre aquelas que habitam as cadeias não é menos complexa. As casas de detenção femininas, no entanto, guardam suas particularidades - diferenças às quais o médico paulistano dedica atenção especial em sua narrativa. Desde a dinâmica dos atendimentos e a escassez de visitas até os relacionamentos entre as presas, fica nítido que a realidade das prisões escapa ao imaginário de quem vive fora delas. Prisioneiras é um relato franco, sem julgamentos morais, que não perde o senso crítico em relação às mazelas da sociedade brasileira. Nesse encerramento de ciclo, Drauzio Varella reafirma seu talento de escritor do cotidiano, retratando sua experiência e a vida dessas mulheres com a mesma disposição, coragem e sensibilidade que empreendeu ao iniciar seu trabalho nas prisões há quase três décadas.

Amores improváveis #4
Elle Kennedy

Título Original: The goal
Lançamento: 26/05
De todos os jogadores de hóquei da Universidade de Briar, John Tucker se destaca por ser o mais sensato, gentil e amável. Diferente de seus amigos mulherengos, ele sonha com uma vida tranquila: esposa, filhos e, quem sabe, um negócio próprio. Mas nem mesmo o cara mais calmo do mundo estaria preparado para o turbilhão que ele está prestes a enfrentar. Sabrina James é a pessoa mais ambiciosa, dedicada e batalhadora do campus. Seu jeito sério e objetivo é interpretado por muitos como frieza, mas ela não está nem aí para sua fama de antipática. Tudo o que ela quer é passar em Harvard, tirar ótimas notas e conquistar a tão sonhada carreira como advogada. Só assim ela conseguirá escapar de seu passado difícil. Um acontecimento inesperado vai colocar a vida desses jovens de cabeça para baixo. Juntos, eles aprenderão que a vida é cheia de surpresas - e que o amor é a maior conquista de todas.
#1 – O acordo
#2 – O erro
#3 – O jogo

A sombra do vento

O Cemitério dos Livros Esquecidos #1

Título original: La sombra del viento
Lançamento: 26/05
Nova edição do aclamado livro de Carlos Ruiz ZafónBarcelona, 1945. Daniel Sempere acorda na noite de seu aniversário de onze anos e percebe que já não se lembra do rosto da falecida mãe. Para consolá-lo, o pai leva o menino pela primeira vez ao Cemitério dos Livros Esquecidos. É lá que Daniel descobre A sombra do vento, romance escrito por Julián Carax, que logo se torna seu autor favorito, sua obsessão. No entanto, quando começa a buscar outras obras do escritor, Daniel descobre que alguém anda destruindo sistematicamente todos os exemplares de todos os livros que Carax já publicou, e que o que tem nas mãos pode muito bem ser o último volume sobrevivente. Junto com seu amigo Fermín, Daniel percorre a cidade, adentrando as ruelas e os segredos mais obscuros de Barcelona. Anos se passam e sua investigação inocente se transforma em uma trama de mistério, magia, loucura e assassinato. E o destino de seu autor favorito de repente parece intimamente conectado ao dele.

A zona morta

Stephen King

Título original: The dead zone
Lançamento: 26/05
Misturando suspense, terror sobrenatural e elementos de ficção científica, a trama vai manter o leitor virando as páginas compulsivamente até o fim.
Depois de quatro anos e meio, John Smith acorda de um coma causado por um acidente de carro. Junto com a consciência, o que John traz do limbo onde esteve são poderes inexplicáveis. O passado, o presente, o futuro - nada está fora de alcance. O resto do mundo parece considerar seus poderes um dom, mas John está cada vez mais convencido de que são uma maldição. Basta um toque e ele vê mais sobre as pessoas do que jamais desejou. Ele não pediu por isso e, no entanto, não pode se livrar das visões. Então o que fazer quando, ao apertar a mão de um político em início de carreira, John prevê o que parece ser o fim do mundo?

20.5.17

{Unboxing} Turista Literário: Abril... ou como apanhei para abrí-la.




E finalmente saiu o unboxing do Turista Literário de Abril!!!!

Foi divertido gravar esse video porque foi meu primeiro video filmando sozinha, yay!

Então, se você gostou, clique em gostei e inscreva-se no nosso canal!

Conheça o Turista Literário!
Unboxing de Fevereiro.

18.5.17

{Resenha} O Terceiro Testamento


Autor: Christopher Galt
Editora: Jangada
Sinopse: O mundo parece estar enlouquecendo!
Em toda parte, as pessoas começam a ter visões. Um adolescente francês assiste Joana D'Arc ser queimada na fogueira, e até tenta tirar uma foto com o celular, e a presidente dos Estados Unidos tem visões de seus antecessores dentro da Casa Branca. Ninguém sabe se essas misteriosas aparições são uma espécie de alucinação coletiva, uma doença virótica causada por bioterrorismo ou se são sinais do Apocalipse. Ocorrem suicídios em massa em várias partes do mundo, e o psiquiatra e neurocientista John Macbeth, à frente de um projeto para criar uma inteligência artificial autônoma, busca freneticamente uma resposta antes que seja tarde demais. Ele descobre que a verdade por trás de tudo pode mudar os rumos da humanidade para sempre. E até custar a sua vida. Uma história eletrizante que o fará questionar sua perspectiva da realidade. E até mesmo a sua sanidade.

O mundo ficou maluco!!!! Como? Quando? Por quê?

O livro se inicia com uma mulher explicando sobre um projeto muito importante que vai revolucionar o mundo, o Projeto Um. O projeto tem objetivo de criar uma inteligência autônoma que possa mostrar a natureza humana e quem sabe toda a concepção do universo.

John Macbeth, psiquiatra e neurocientista cognitivo, está envolvido no Projeto Um e é enviado de Copenhague, Dinamarca, a Boston para apresentar o projeto ao Instituto Schilder de Pesquisa Neurocientífica. Durante sua estadia em Boston, John que é alheio a informações que não sejam sobre sua área, se vê envolvido com visões que algumas pessoas estão tendo há algum tempo.

Essas muitas visões são fantasmas do passado. Em alguns momentos, não apenas fantasmas, mas momentos importantes da história, como se fossem lembranças do passado. As visões sempre são seguidas com a sensação de dejà-vú. Além disso, várias pessoas começam a cometer suicídio e extremistas religiosos acreditam que o fim do mundo está próximo.

Como cientista renomado em sua área, John acaba se envolvendo em várias situações onde sua especialidade em psiquiatria é solicitada. E essas várias situações acabam se revelando um emaranhado de perguntas e dúvidas. Mas como John poderá ajudar? E o que significam os sonhos estranhos que ele anda tendo?


Eu adorei a capa! Ela combina perfeitamente com o que a história trata. A edição está simples, as folhas são amarelas e de boa qualidade. A narração é feita em terceira pessoa. A divisão do livro é feita em várias partes e capítulos e, dentro deles tem com visões diferentes de vários personagens, mas com um foco maior em John Macbeth.

A primeira coisa que chamou minha atenção foi os dizeres na capa Michael Crichton encontra Matrix. O Michael Crichton é autor do livro Jurassic Park, que eu amo! E eu adoro a franquia Matrix. Então a curiosidade bateu forte em mim!!! Como não ir atrás desse livro?

John Macbeth é um personagem um tanto distante e inacessível ao leitor. Sua mente funciona de modo diferente e nós temos pouco acesso a ela, acredito que seja por conta do livro ser em terceira pessoa. A nossa relação com John acaba sendo superficial, mas isso não atrapalha de jeito nenhum a leitura. Pelo contrário, o personagem se torna uma incógnita para o leitor. Até seu passado e história tem momentos esquisitos. Quem é o John?

Temos vários pontos de vistas com vários acontecimentos individuais de cada um. No início eu me perdi um pouco, mas tudo vai se encaixando e se conectando aos poucos. As peças podem até não fazer sentido no começo, porém a cada página tudo vai ganhando forma, mesmo que de maneira lenta.

O Terceiro Testamento é um livro bem mais complicado do que eu imaginava quando estava lendo a sinopse. Você pode ler essa premissa e ainda assim não ter toda a dimensão do que o livro vai te trazer. Desde o primeiro momento me senti intrigada pela história e fiquei cada vez mais envolvida por esse enredo tão misterioso e fascinante. E quando o final chegou... UAU! Será que esse livro tem uma sequência e eu não sei?! Estou fazendo essa resenha dois dias depois e ainda em processo de assimilar todo esse enredo fantástico. Alguém aí já leu? Por favor, venha conversar comigo sobre esse livro!

Esse livro tem uma perspectiva muito maluca sobre a nossa realidade e como ela funciona, mas o livro só vai nos revelando detalhes importante aos poucos. Isso é o que faz o livro ter um suspense e mistério tão bons. O livro só me deixava mais intrigada e com um gosto de “quero saber mais sobre isso”! 


Christopher Galt é pseudônimo de Craig Russell. O autor já tem alguns prêmios e indicações por seus livros, além de vários deles já publicados pelo mundo. Como só agora temos livros desse autor no Brasil? Quero mais! 

17.5.17

{Resenha} O Guardião Invisível - Trilogia Baztán # 1




Trilogia: Baztán
Autora: Dolores Redondo
Editora: Planeta
Sinopse: Série que une fantasia e policial, teve mais de 1 milhão de cópias vendidas e chegou ao cinema.
O corpo de uma adolescente é encontrado às margens do rio Baztán, num pequeno povoado em Navarra, na Espanha, e para desvendar o caso a investigadora Amaia Salazar precisa voltar à sua terra natal,uma região da qual sempre tentou escapar – por motivos que nem seu marido conhece, mas que ainda a atormentam na forma de pesadelos. Amaia sabe que o local, marcado pela inquisição espanhola, é cheio de velhas crenças pagãs. O que ela não imagina é que, com o avanço da investigação e a descoberta de novos corpos, a fronteira entre mitologia e a realidade ficará cada vez mais tênue. O desafio agora é descobrir se os crimes resultam da ação de um serial killer ou de uma criatura mítica conhecida como basajaun, “O Guardião Invisível”.
Adaptado para o cinema em 2017, o romance O Guardião Invisível é um thriller impactante que une os misteriosos seres que habitam a mitologia basca com o rigor de uma investigação policial. Foi com este romance que a escritora Dolores Redondo se tornou best-seller internacional. Primeiro da Trilogia de Baztán, que já teve mais de 1 milhão de exemplares vendidos.



Amaia é uma investigadora que acabou sendo nomeada a investigadora principal em um caso estranho e curioso de adolescentes mortas próximo a sua cidade natal,na qual ela passa anos fugindo daquele lugar. Sendo assim ela terá que deixar esses pesadelos um pouco de lado se quiser resolver esse caso.

Com o aparecimento de novos corpos todos com o mesmo modo operandi (um doce local deixado em cima dos corpos),as crenças de anos sobre uma criatura guardiã da floresta começa a se propagar o que acaba gerando diversas opiniões entre os investigadores.

Além de toda essa comoção na cidade pela morte dessas jovens,Amaia tem que lidar com traumas pessoais e os dramas de seus familiares,ou melhor de suas irmãs,uma que está se separando do marido e a outra que seguiu com os negócios da família e é uma megera.Ao passo que a investigação vai tomando rumo Amaia descobre que coisas que ela pensava não existir realmente existem pra quem crê e mal sabe ela que está a um passinho de pegar o assassino dessas garotas.

Comecei a leitura com grandes expectativas por conter sobrenatural na estória,mas me decepcionei amargamente,a Amaia é bem chatinha,tem uma irmã megera,e uma que finalmente cansou de ser barriga branca e tomou as rédeas de sua vida e saiu um pouco do comodismo. A única que me cativou do inicio ao fim foi a tia da Amaia (quero essa senhorinha pra mim).

A leitura não foi fluida,na verdade foi bem arrastada e muito chato,muita encheção de linguiça,mas confesso que aquele final me surpreendeu,realmente não esperava aquilo e sinceramente não vejo necessidade de uma trilogia só esse livro já seria o suficiente... Primeira 1 estrelinha do ano.

Não vou dizer pra não lerem,porque nunca faço isso,um livro que não deu certo pra mim pode dar certo pra você. Então deixo que tirem as próprias conclusões e me digam se gostaram ou não :)

16.5.17

{Resenha} Querido Mundo, Como vai você?





Título: Querido Mundo, como vai você?
Autor: Tobby Little
Editora: Fontanar
Sinopse: "Querido mundo,
Tenho cinco anos, vivo na Inglaterra e me chamo Toby Little. Estou cheio de perguntas a fazer, por isso resolvi escrever cartas para pessoas de todos os países do planeta. Espero que elas também queiram conversar comigo." 



Quatro meses depois de tomar essa decisão ambiciosa e de receber o apoio dos pais, Toby atingiu seu objetivo. E, para sua surpresa, o mundo escreveu de volta! Nesta coletânea, que conta com mais de 150 dessas cartas, você encontrará as conversas adoráveis e inusitadas entre Toby e os mais variados destinatários: de um cientista que vive na Antártica ao papa Francisco, passando pelo palácio de Buckingham e por uma escola no Turcomenistão. Em meio a cartas enviadas a um astronauta canadense e a Nelson Mandela, você redescobrirá, através do olhar infantil de Toby e de seu encantamento pelo outro, um mundo feito de culturas diferentes, mas com pessoas semelhantes na vontade de torná-lo um lugar melhor. Um mundo que fica até pequeno se comparado ao alcance que tem o sonho de uma criança com determinação para alcançá-lo.

Esse é um livrinho muito diferente. Em um mundo dominado pela tecnologia onde o costume de cartas está morto, o bravo autor desse livro exerce um missão "enviar uma carta para cada país do mundo!

O livro começa com uma introduçãozinha narrada pela mãe de Toby de como nasceu essa ideia de enviar cartas para uma pessoa de cada país do mundo, ela nos explica que é mais complicado do que parece, principalmente no caso de países que estão em guerras,nesses países, ele escreve para algumas instituições, correspondendo com algumas crianças que aceitam escrever para ele. Além disso, Toby arrecada dinheiro para montar várias Shelter Box, que é como uma cesta básica para as pessoas necessitadas em meio a guerra.

Toby começou seu projeto quando tinha apenas 5 anos, atualmente já está com 9 anos. Suas cartas são bem simples, perguntas sobre pontos turísticos de cada país, o que se veste, o que se come, o que se faz quando quer se divertir, etc. Sua mãe explica que ele demora mais de uma hora para conseguir escrever uma carta! As respostas que ele recebe são todas calorosas, desde as de crianças até às de adultos. Os contatos foram adquiridos através de amigos, da sua pagina no facebook e alguns outros meios.
" A casa de um amigo nunca é distante "
Apenas algumas cartas foram colocadas no livro, pois, até hoje Toby tem esse costume de escrever mundo afora, apesar de já ter concretizado o projeto, ele mantém o hábito, conseguindo novos amigos, então são muitas cartas. Ele escreveu até mesmo para o Papa Francisco! 

O interior do livro é um amorzinho, tem várias ilustrações que foram enviadas para o autor, cartões postais e selos. No final, nas últimas páginas, tem um apêndice com a tradução do que está escrito em cada imagem.

Uma das cartas, que eu diria minha favorita, é de um moço no Japão, na qual ele explica para Toby as coisas que faz para se divertir e que mais tarde iria com sua esposa para um restaurante, onde levariam também seu pinguim de estimação!

Sabine, a mãe de Toby, criou um site onde coloca todas as cartas que enviaram e receberam, pois muitas vezes uma resposta demora muito para chegar e podem acabar esquecendo das perguntas ou do conteúdo que mandaram, tendo onde olhar para relembrar fica bem mais fácil. Assim como o site, eles tem uma página no facebook - que estarei colocando o link no fim do post - onde você pode deixar seu endereço e, se tiver sorte, conseguirá que ele escreva para você!

A capa também muito delicadinha e bonitinha. É um livro diferente e descontraído, rápido e de fácil leitura.

Deixo aqui o site de Toby "writingtotheworld" e sua página no facebook.

15.5.17

{Lançamento} Maio: Editora Pedrazul


Neste mês de maio a Pedrazul tem um lançamento incrível: A Estrangeira, um romance de época, escrito pela autora brasileira Chirlei Wandekoken!

No século XIX, o conde de Northumberland, conhecido por lorde Hotspur, um dos descendentes de Sir Percy, um cavalheiro medieval envolvido na Batalha de Otterbourne, travava uma luta bem menos sangrenta. Obrigado por honra a se casar com uma prima por quem ele não nutria nenhuma simpatia, ele se depara com uma misteriosa recém-chegada às imediações de Alnwick Castle. A misteriosa estrangeira, vestida à moda de vinte anos atrás, mexe com a imaginação de todo o condado e, principalmente, com a vida do conde. Pouco se sabe sobre a moça, apenas que é metade inglesa e metade prussiana. Com apenas alguns Shillings e um cão, que apareceu sem ser convidado, a vida de Eliza se cruza com a do conde Hotspur, o cavalheiro que herdara de seu antepassado, além do apelido, o ímpeto e a beleza. Entretanto, fala-se no condado que o clã Northumberland, além de ter a estranha tradição de se casar com primos, no passado casava-se com seus próprios irmãos. O encontro entre o conde Hotspur e a pobre dama vai desenterrar antigas contendas, ela querendo se esconder e ele desvendar o passado.
Inspirado na Batalha real de Otterbourne, A Estrangeira narra duas histórias ao mesmo tempo. Embora intercaladas por 442 anos, a primeira influenciará a segunda: o amor proibido de Sir Percy Hotspur por Miss Evans, e o envolvimento do conde Hotspur, com Eliza. Ambas cheias de mistério, mas desconcertantemente belas.

Sobre a autora

Chirlei Wandekoken é jornalista, coordena a área editorial da Pedrazul Editora, a qual foi idealizadora juntamente com seus sócios. É apaixonada pelos livros desde criança e, atualmente, a sua preferência literária, além dos clássicos ingleses, são os romances contemporâneos de época e os históricos. Além de A Estrangeira, o primeiro livro da série independente O Quarteto do Norte, é dela também os demais livros da série: A Ama Inglesa, Um Cocheiro em Paris e Fronteira da Paz. A autora possui mais dois romances publicados, ambos contemporâneos, cujos enredos se passam no Brasil: Por Trás da Escuridão e O Vento de Piedade.

{Evento} Flipoços 2017



Aeee!! Demorou um pouquinho, mas também resolvi aparecer para deixar minhas impressões sobre esse super evento, que mora no nosso coraçãozinho! <3 

Bomm... Pra começar, no dia 19 de abril, aconteceu uma coletiva de imprensa para o lançamento do evento, no restaurante mais lindo e charmoso da cidade! Fomos apresentados a todas as atrações e novidades e ainda conhecemos esse lugar tão aconchegante...


E então finalmente a Flipoços 2017 começou... Meu primeiro dia lá foi 30 de abril, assistindo a mesa dos youtubers poços-caldenses... Confesso que eu ainda não conhecia os canais, mas achei superlegal a quantidade de pessoas aqui em Poços se esforçando para produzir conteúdos legais para o Youtube. Adorei conhecê-los e foi um bate-papo super divertido, cheio de dicas para quem pensa em seguir esse caminho. (Antes disso eu já tinha dado uma voltinha e comprado algumas coisinhas hehe)


O dia 01 de maio já foi um pouco mais agitado para mim... Passei praticamente o dia todo no evento, assisti a três palestras e ainda passei uma vergonha alheia...

Bom, a primeira palestra que fui assistir, por pura e simples curiosidade, foi uma decepção enorme!!
Vocês sabiam que ainda temos membros remanescentes da família real no Brasil? Pois é, nem eu sabia. Mas o D. Bertrand de Orléans e Bragança é o nosso príncipe imperial, bisneto da Princesa Isabel, e trineto de D. Pedro II.

Ele veio lançar seu livro, chamado Psicose Ambientalista, cujo título já me deixou imaginando (WTF) o que ele queria dizer.

Resumindo, o cara é adepto daquela teoria de que não existe aquecimento global, mas que as mudanças climáticas são cíclicas e as ondas de calor derivam de explosões solares. Até aí tudo bem. Já conhecia mais ou menos essa teoria. Mas daí veio uma história de que não existe desmatamento no Brasil, e que nosso país conserva 61% de sua vegetação original. Depois ele disse que transgênicos são ótimos, pois diminuíram o uso de inseticidas. Não existe risco, é um progresso, e não uma ameaça. Em sua mente perturbada, nosso príncipe acredita que correntes ideológicas igualitárias não querem o progresso e fazem falsas propagandas. Acredita que a garantia de liberdade está na propriedade privada e tudo vale em nome do progresso.

D. Bertrand assumiu o ápice da barbaridade ao dizer que nossos índios devem ser catequizados, reconhecer os dez mandamentos da lei de Deus, e por fim, que homossexualismo (notem que esse termo não é mais utilizado, por seu sufixo indicar um sentido de "doença") é um defeito e que todos pensam assim. Se não bastasse ouvir tudo isso, nosso príncipe ainda foi aplaudido de pé!!

Minha única reação foi me levantar e sair do auditório, porém sem conseguir acreditar que ainda existem tantas pessoas com esse tipo de pensamento em pleno 2017!! Vergonha alheia por ele e por seus fãs é o sentimento que me define!!

Após esse fiasco, lá fui eu fazer mais algumas comprinhas para relaxar... rsrs 
Logo após, a Pri se juntou à minha pessoa para uma palestra maravilhosa com os escritores moçambicanos homenageados... Rolou até uma capoeira na abertura, além de muito aprendizado sobre a literatura africana!





E para finalizar o dia/noite, meu adorado Clovis de Barros Filho, lançando seu livro em parceria com Leandro Karnal, Felicidade ou Morte. Cheia de frases de impacto (como sempre), a palestra do Clovis impressiona a todos com cada toque de realidade, cada identificação que temos com suas histórias e lições. Comprei o livro para ele autografar, e o li em poucas horas, já que é bem curtinho. Porém, já havia anotado algumas de suas frases de impacto para compartilhar com vocês.

"A intensidade do amor é a intensidade do desejo."

"O desejo é a falta."

"Você ama o que deseja e deseja o que não tem."

"Um segundo de vida feliz terá valido à pena se você pensar que quer repetir."




Autografamos nossos livros, tiramos foto e demos um marcador de páginas do blog para ele, que continua sendo um dos meus preferidos!! <3 


No dia 05 de maio foi o dia da linda da Thalita Rebouças. Gente, confesso que nunca li nenhum livro dela, talvez algum texto na internet apenas... Mas achei ela maravilhosamente linda, simpática, divertida... Foi um enorme prazer conhecê-la e espero ter a oportunidade de ler seus livros ainda. Apesar de termos esperado 2h na fila para conseguir autografar os livros e tirar uma fotinho, com certeza valeu à pena!! 




E então, no dia 06 de maio, mais uma maratona de Flipoços hahaha Comecei o dia cedo já para acompanhar o bate-papo do meu amigo Tokinho Carvalho com o poeta Pedro Gabriel, da série de livros Eu Me Chamo Antônio. Sou super fã do trabalho do Pedro, e amei conhecer um pouco mais sobre ele, sua infância na África e sobre seu processo de criação. Além disso, o Tokinho mandou super bem na mediação e o bate-papo foi leve, uma delícia ouvi-los falando! Comprei um livro para autografar, esperando tirar uma foto com ele também, porém devido ao atraso da palestra anterior, eu tive que sair um pouco mais cedo para um compromisso e acabei ficando sem conhecê-lo. Mas ele já é de casa, logo teremos ele de novo aqui em Poços! hehehe






Após meu compromisso, voltei pra Flipoços correndo para encontrar a Pri e assistirmos à palestra de outra fofa, a Carina Rissi! Mais uma que eu só conhecia de nome e fiquei curiosíssima para ler seus livros. Que simpatia, que carisma! Enfrentei mais uma filinha para autografar um livro e tirar uma fotinho com ela, que fez questão de fazer uma pose com nosso marcador!







Para terminar, no mesmo dia, enquanto a Pri mediou um BookGame que fazia parte da programação, eu fui assistir à palestra da Tati Bernardi com o Jacques Fux. Foi uma delícia, super divertida, os dois falaram bastante sobre seus estilos de escrita e seus projetos futuros. Porém, dessa vez, eu já estava tão exausta que não aguentei ficar para as fotos. De qualquer forma, espero ter outras oportunidades para conhecê-los!




Bom pessoal, é isso!! Esse é o resumo da minha participação no Flipoços 2017!! Aproveitei o máximo possível, respeitando meus horários de trabalho, acabou sendo um pouco cansativo, mas valeu à pena cada segundo! Obrigada GSC Eventos por fazer nossa alegria todos os anos com esse evento maravilhoso que nos traz tanto conhecimento e oportunidades de conhecermos grandes nomes da literatura nacional e internacional! 

Ahhh!! Eu estava tentando entrar em modo economia esse ano, porém mantive a média de compras de todos os anos... 12 livros e mais o livreto Espelho, lançado pelo Tokinho Carvalho, que recomendo fortemente! (Conheçam o trabalho dele aqui) <3  Obrigada Flipoços, e até o ano que vem!!



13.5.17

{O menino que vê filmes} Série: 13 reasons why



Elenco: Dylan Minnete, Katherine Langford, Christian Navarro, Brendan Flynn, Alisha Boe, Justin Prentice, Miles Heizer, Ross Butler, Devin Druid

Sinopse: Clay Jensen é um típico adolescente norte americano, dividindo seu tempo entre o interesse por garotas, estudos e tendo que lidar de vez em quando com os valentões do colégio Liberty High. Porém, o mundo de Clay é estremecido com o repentino suicídio de sua melhor amiga, Hanna Baker, sobretudo quando o jovem encontra em sua soleira uma caixa contendo sete fitas do tipo K7, nas quais Hanna teria relatado os motivos que a levaram a tirar a própria vida.

AVISO: ALERTA DE SPOILER! Se você ainda não assistiu à série em questão, prossiga por sua conta e risco!


Oi gente! A resenha de hoje vai tratar de um assunto muito sério, mas que infelizmente ainda é visto de maneira equivocada por grande parte da sociedade: Bullying. E nenhuma outra série ou filme que eu tenha assistido mergulha tão fundo e tão intensamente no tema como 13 Reasons Why.

Quando eu era criança, sofri bullying (embora na minha época esse termo ainda não fosse utilizado). Aposto que muitos de vocês também sofreram. Alguns lidam com o bullying de maneira natural, como parte do desenvolvimento infanto-juvenil. Outros enxergam a toxicidade da prática como um mal a ser combatido. Não importa sua opinião: você irá rever seus conceitos após assistir 13 Reasons.

A razão é muito simples: a série mostra, de maneira muito simples e completamente plausível, como o que parece ser uma brincadeira inocente pode evoluir para tragédias (muitas vezes anunciadas). 

Sobretudo, essa série original da Netflix retrata como o ambiente escolar pode esconder verdadeiros sociopatas.

O que é Bullying?

Define-se como bullying (expressão que deriva do verbo em iglês to bully, que significa aterrorizar, amedrontar, tiranizar) todo e qualquer tipo de violência praticada de maneira intencional e repetida, sobretudo entre jovens no período escolar.


Não pretendo aqui adentrar na parte sociológica do tema, mas queria falar um pouco da minha percepção sobre a prática do bullying.

Não é raro observar que para o bully (ou valentão/agressor) suas práticas não são ou não deveriam causar medo ou constrangimento à vítima. Em outras palavras, o agressor sempre acha que a culpa não é dele se a vítima é que é sensível demais. Isso aplica-se também à violência física, mas principalmente à violência psicológica.

É o caso da nossa protagonista, que é vista por todos (às vezes até mesmo pelo telespectador) como excessivamente sensível ou dramática simplesmente por nãpo saber lidar com todas as pressões, agressões e traições por parte de seus colegas. 

Vamos falar de Hanna Baker...

Oi! Eu Sou Hanna! Hanna Baker...

Assim começa a primeira das fitas gravadas por Hanna, uma linda jovem de classe média que mudou-se recentemente para a cidade para começar uma nova vida, juntamente com seus pais, pequenos comerciantes fugindo dos grandes empreendimentos da cidade grande.


A identificação com Hanna é imediata. Propositalmente, a jovem interpretada por Katherine Langford é um personagem contruído para despertar empatia no espectador.

Hanna lida diariamente com todo tipo de questões da adolescência e, desde o começo, torna-se muito próxima de seu colega de escola e de trabalho, Clay Jensen, sobretudo após a partida de sua melhor amiga para outra cidade.

Porém, como aluna nova, Hanna acaba se tornando alvo de outros alunos. 

Todos com quem Hanna se envolveu durante a sua curta estadia em Liberty High a machucaram de alguma forma, por ações ou omissões. Em outras palavras, Hanna sempre acabava se vendo maltratada, abusada e ridicularizada por seus colegas, não importava o que fizesse. 

Hanna Baker era uma adolescente gritando por socorro. Mas ninguém, nem seus pais, nem a direção da escola ou seu único amigo, ouviram. Pelo menos não até que fosse tarde demais.

Clay, seu nome significa argila!

Clay Jensen é um jovem tímido que acabou tornando-se bem próximo de Hanna. Ambos trabalhavam no cinema local e eram colegas de classe.

Clay sempre foi secretamente apaixonado por Hanna, embora não tenha tido chance de expressar seus sentimentos.

Ao receber em sua porta, de maneira misteriosa, sete fitas K7 gravadas por Hanna, cada um dos lados dedicados a uma pessoa específica, detalhando como tal pessoa contribuiu para que ela tomasse a decisão de tirar a própria vida.

Clay começa a investigar os acontecimentos sob a ótica de Hanna, vindo a descobrir fatos aterradores praticados por seus colegas e mantidos em segredo pelos mesmos. 

O único que se dispõe a ajudar Clay de alguma forma é Tony, seu melhor amigo e guardião das fitas deixadas por Hanna. 


De outro lado, os outros alunos começam a assediar Clay para que o mesmo abandone as investigações.

Conclusão

Indico 13 Reasons Why a todos os pais, educadores e profissionais da área psicossocial. A trágica estória de Hanna Baker é fictícia, mas acontecem todos os dias, com milhares de crianças e adolescentes ao redor do mundo.

É preciso que saibamos identificar determinados sinais, tanto por parte das vítimas quanto por parte dos agressores. A luta contra o bullying começa dentro de casa e é responsabilidade de todos.

É preciso acabar de vez com a cultura que minimiza este tipo de violência. Só assim poderemos construir uma sociedade mais sadia.

Até a próxima gente!

12.5.17

{Resenha} Antologia Entre Amigos






Organizadora: Giuliana Esperandio
Editora: Sinna
Sinopse: Amigos são capazes de cometer loucuras. Não devem, mas se despedem. Misturam as estações e se amam. São a salvação um do outro. Fazem sacrifícios. Colorem a vida. Mostram o que realmente importa para ser feliz e, às vezes, infelizmente partem para sempre ao cumprirem suas missões aqui. Mesmo assim, a vida Entre Amigos é mais feliz.

Primeira vez lendo uma antologia com esse tema, na verdade acho que é minha primeira vez lendo uma antologia, haha!

Escolhi esse livro por causa do tema: amizade. Achei muito bonitinha a capa, com cara de scrapbook, arte pela qual sou apaixonada e simplesmente não consigo aplicar! <o>

Os autores são diversos: Nuccia de Cicco, Ayumi Teruya, Gika Mendonça, Wesley Mendonça, entre vários outros. Achei muito interessante a proposta, uma vez que cada autor tem sua própria versão do que seria um relacionamento de amizade. Outros, preferiram escrever sobre suas próprias experiências, como Nuccia de Cicco fez.

Alguns contos bem que poderiam ser verdade. Uns me tocaram mais que outros, ao ponto de, em pleno ponto de ônibus circular ao meio dia completamente lotado, me fazer sentir lágrimas aos olhos. Acredito que Pê e Zar foi o único conto que de fato mexeu comigo, entre tantos outros que chamaram a minha atenção por se relacionar mesmo com a amizade pura, como Foge que é furada!, onde uma amiga tenta verdadeiramente auxiliar a outra!

Outros eu não gostei tanto, pois no final se transformava em amor entre casal. Sei que é bonitinho ver o casal amigo de infância crescer e tornarem-se amantes, mas para mim teria sido legal ter ficado no significado de amizade. Sei que nossos companheiros devem ser nossos melhores amigos e, de fato, são. Mas acreditei que a proposta seria diferente, mas enfim.

Vou falar um pouco então sobre o conto que mais me tocou: Pê e Zar - Zarmira. O autor Vinícius Machado conta a história de uma mulher em situação de rua e seu fiel cãozinho. Ambos são os únicos seres que se importam um com o outro e que cuidam, a seu próprio modo, um do outro. Meu coração ficou arrasado, pois é um tipo de história que já vimos acontecer tantas e tantas vezes... E também, por ser uma pessoa comum que faria uso do meu antigo trabalho, me senti muito próxima do caso, quase me arrancou lágrimas em pleno ponto de circular lotado, como eu já disse lá em cima. Só não chorei porque minha chefe estava próxima e me pegou bem no meio do meu momento de fraqueza, haha!



Houveram outros contos tão bons quanto esse, mas esse foi o mais tocante, em minha opinião.

11.5.17

{Lançamento} Antologia: Os animais também vão para o céu



A Editora Sinna, como se já não fosse uma das melhores editoras em ascenção do Brasil, está lançando uma antologia de causa nobre!

Os animais também vão ao céu é o tema do próximo lançamento da Editora Sinna, que reunirá contos diversos acerca do quão nossos queridinhos de quatro patas - ou duas, ou uma cauda - são importantes para nossas vidas. E sabe o que é melhor? Toda a verba recebida com a venda dos exemplares será revertida para instituições em alguns estados do Brasil!  O livro contará com uma ficha ao final passando dados importantes sobre estas instituições para que mais pessoas possam ajudar.

Se a meta de 7 mil reais - projeto no Catarse - for atingida até meados de julho, serão produzidos 600 exemplares e o lançamento ocorrerá ainda este ano na Bienal do Rio. 

Há 10 autores convidados da editora e também selecionarão 10 contos que serão publicados gratuitamente na Antologia. Acesse aqui o edital e acesse aqui o projeto no Catarse.

Vídeo da Tabatha, do canal Floretizas, falando sobre a antologia.

Faça parte desse projeto, seja enviando se conto, seja adquirindo um exemplar. A causa é nobre!