Menu

12.6.17

{O menino que vê filmes} Clássicos dos anos 80!




AVISO: ALERTA DE SPOILER! Se você ainda não assistiu aos filmes em questão, prossiga por sua conta e risco!

Oi gente! Hoje vamos render homenagens a um período na história da humanidade que, assim como a década de 70,  representou uma grande revolução na cultura pop mundial.

Absolutamente tudo que foi feito durante a década de 80 em termos de música e cinema se tornou clássico na memória popular. Não é pra menos! Se nos anos 60 e 70 houve um boom de filmes e diretores consagrados pela sétima arte, os anos 80 vieram quebrar os paradigmas de toda aquela intelectualidade que já dava sinais de cansaço.


Em outras palavras, o cinema dos anos 80 veio trazer leveza ao que era pesado. Trazer humor ao que era cisudo. Veio, enfim, transformar o cinema em entretenimento puro e simples, mostrando ao mundo que as pessoas podiam (e deviam) ir ao cinema não só pra chorar ou refletir, mas também pra rir, se emocionar e, porque não dizer, criar tendências.

Porém, há que se ressaltar que foi um período dominado por Hollywood, ou seja, quase tudo que foi feito de relevante nesse período diz respeito ao american way of life.

UM DIA NOS ANOS 80

Ok, eu sei. Vocês provavelmente acham estranho aqueles cortes masculinos repicados, com o topete arrepiado e um mullet atrás. Calças de Lycra colorida que vinham até quase o peito, tênis brancos gigantescos, um casaco (que agora voltou à moda) que parece um colete salva-vidas)... Bandas de hard rock em plena profusão hormonal...

Duran Duran 
Surfistas californianos que queriam continuar surfando durante o inverno adaptaram rodinhas em pranchas menores e fizeram das calçadas as suas ondas. Nascia assim o Skateboarding, ou Skate, ou simplesmente SK8 (como a molecada diz hoje).

O mundo foi invadido pelos chamados Yuppies, os filhos da geração de 1969, do Woodstock, do amor livre. Espantosamente, os filhos dos Hippies eram "caretas", mimados, competitivos em seus ternos caros, mostrando-se como o inverso de seus desapegados pais.


No âmbito do cinema, o colorido, a irreverência e toda a identidade de uma geração que veio pra mudar o mundo. Eu era criança durante os anos 80 (nasci em 78) e passei muito medo com todos aqueles personagens clássicos do terror que surgiram naquela década.


Vale dizer que alguns dos filmes que citarei aqui hoje foram feitos antes, mas são considerados clássicos dos anos 80 porque foi nesse período que se tornaram populares no Brasil.

Vem comigo no meu DeLorean nessa viagem no tempo! (Se você não sabe o que é um DeLorean, calma. Já explico).

CURTINDO A VIDA ADOIDADO 

(Ferris Bueller's day off - EUA, 1986)


Sempre que posso eu reassisto a esse filme. Não há, na minha geração, quem não conheça este filme que alavancou ao estrelato a carreira do então jovem ator Mathew Broderick, que já havia dado o ar de sua graça como um excelente coadjuvante um ano antes em outro clássico, O FEITIÇO DE ÁQUILA (Ladyhawk - EUA, 1985).

Descompromissado e divertido, esse filme narra as aventuras de Ferris Bueller,  um típico adolescente americano de classe média-alta que só queria - acreditem - matar um dia de aula para se divertir. O problema é que nos EUA há um rigoroso controle de frequência escolar e uma falta não justificada pode levar à reprovação do aluno ou até mesmo à sua expulsão.

Assim, Ferris embarca numa aventura pelas ruas de Nova York, levando consigo seu tímido amigo Cameron Frye (Alan Ruck) e sua namorada Sloane Peterson (Mia Sara), tentando evitar ser pego pelo terrível (e impagável) diretor Ed Rooney (Jeffrey Jones).

O FEITIÇO DE ÁQUILA 

(Ladyhawk - EUA, 1985)


Não ia falar deste, mas já que toquei no assunto, aqui vai...

O FEITIÇO DE ÁQUILA é uma bela estória de amor entre o valente Capitão Ettiene de Navarre (Rutger Hawer) e a bela Isabeau DeAnjou (Michelle Pfeiffer), um casal amaldiçoado pelo corrupto e ciumento bispo de Áquila a viverem "sempre juntos, eternamente separados", ou seja, embora andassem pelo mundo juntos, o casal jamais coexistia como homem e mulher, pois enquanto Navarre, à luz do dia, era um homem, Isabeau se transformava num falcão. À noite, enquanto Isabeau era uma mulher, Navarre transformava-se num enorme lobo negro.

Uma pitada de humor fica por conta de Phillipe Gaston (Mathew Broderick), conhecido como "O Rato", fiel escudeiro de Navarre, um ladrão que escapou das masmorras de Áquila.

DE VOLTA PARA O FUTURO 

(Back To The Future - EUA, 1985)


Esta sensacional trilogia conta as aventuras do adolescente Marty McFly (Michael J. Fox) e seu amigo, o fantástico Dr. Emmet Brown (Christopher Lloyd), que constrói uma máquina do tempo num DeLorean, um tipo de carro que acabou não sendo muito popular nos anos 80 por ser exageradamente futurista para a época.

Acontece que o Dr. Brown envia o jovem McFly acidentalmente ao passado e sua chegada dá início a uma cadeia de eventos que pode destruir o futuro de ambos se não for corrigida a tempo.

Para tanto, Marty deve garantir que seus próprios pais, no passado, venham a se apaixonar e posteriormente se casar para que ele próprio venha a existir.

JASON VOORHES & FREDDY KRUEGER


Sem dúvida, de todos os filmes de terror nascidos nos 80's nenhum é mais icônico do que os clássicos SEXTA FEIRA 13 (Friday The 13th, 1980) e A HORA DO PESADELO (A Nightmare In Elm Street, 1985).

SEXTA FEIRA 13 mostra de forma explícita a fúria assassina de Jason Voorhes, um psicopata morto-vivo que teria sido afogado por outros jovens no lago Crystal, retornando do inferno para satisfazer a sua sede de vingança.

Já em A HORA DO PESADELO, um grupo de jovens é aterrorizado durante o sono pelo fantasma de um assassino de crianças, o terrível Freddy Krueger.
Interessante frisar que uma tendência marcante dessa época são as inúmeras sequências. SEXTA FEIRA 13 conta com 12 continuações e A HORA DO PESADELO, com 8. Nos dois casos, conta-se o crossover (expressão que nem existia na época da produção) Freddy vs Jason, filme que colocou os maiores assassinos da história do cinema em conflito.



RAMBO



Outro personagem icônico dos anos 80 é o soldado vivido por Sylvester Stallone em RAMBO, que conta com 4 sequências.

O primeiro filme (que na minha opinião deveria ter sido o único) foi baseado no livro First Blood, de David Morrell, e retrata a trágica estória do Boina Verde (elite da marinha americana) John Rambo, um ex-combatente da guerra do Vietnã.

Traumatizado pelo horror da guerra como tantos outros ex-soldados da vida real, Rambo tenta sem sucesso se readaptar à vida em sociedade.

Trata-se de um bom filme, uma vez que a realidade vivida pelo personagem reflete o drama vivido por todos aqueles que voltaram da guerra, sofrendo de transtornos psicológicos e, muitas vezes, sendo abandonados pela família e até mesmo pelo Estado.

Porém, as sequências que sucederam o primeiro filme ganharam uma roupagem hollywoodiana, tendo seus enredos voltados à propaganda norte-americana, colocando os EUA como os grandes heróis do mundo, o que é uma grande falácia.


CONCLUSÃO

Eu podia passar horas resenhando sobre o tema. Vivi a época em questão, época que foi tão marcante que tem sido frequentemente homenageada no cinema e na TV, a exemplo da excelente série Stranger Things, da Netflix, que foi nada menos do que uma enorme referência à cultura pop dos anos 80.

E vocês? Tem algum clássico dessa época que aquece seu coração? Participe! Deixe seu comentário! Uma troca de ideias é sempre bem vinda =)

Até a próxima gente!

2 comentários:

  1. Amei o post! Nossa, sou super fã do De volta para o futuro e apesar de preferir o Balboa, gosto bastante do Rambo tb <3 E curtindo a vida adoidado é um super clássico!! Super nostálgico esse post, adorei!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  2. eu ja assisti algumas vezes curtindo a vida adoidado e gostei
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.