Menu

9.6.17

{Resenha} Três Sombras

Título: Três Sombras
Autor: Cyril Pedrosa
Editora: Quadrinhos na Cia.
Sinopse: Joachim e seus pais - Louis e Lise - vivem distantes do resto do mundo. A vida é tranquila e cheia de pequenos prazeres na casinha rodeada por colinas. Mas um dia três sombras surgem no horizonte, montadas em cavalos, com capas negras e os rostos cobertos por capuzes. Sua presença silenciosa aos poucos se torna onipresente, aterrorizando a família e levando Louis à terrível conclusão de que as três entidades estão ali para buscar Joachim. Então Louis recusa-se a aceitar as engrenagens do Destino, e parte com o filho em uma viagem febril e desesperada. Pai e filho atravessarão lugares inóspitos povoados por seres trapaceiros e imorais, enquanto tentam, de todas as maneiras possíveis, escapar do encontro com a morte.

"Naquela época... a vida era simples e alegre. Aliás, tudo era simples e alegre. O sabor das cerejas... o ar fresco... o aroma verde de um riacho... Era assim que vivíamos, no meio das colinas... protegidos das tempestades... ignorando o mundo como em uma ilha... agradável e tranquila...E depois... depois tudo mudou..."
Quando as sombras aparecem, a família tenta seguir com a vida. Fingir que não é nada, afinal, são só viajantes! "Viajantes passam pela colina...!" O que há de estranho nisso?

Mas, quando elas continuam a espreita, cada vez mais próximos da casa, não tem como não se preocuparem, as perguntas que rodeavam pela cabeça não se calavam de jeito nenhum "quem são?" "o que querem?". Até que Louis proíbe Joachim de sair de casa e pretende ele mesmo dar conta das tais sombras. No entanto, ao verem que isso não era possível, Lise vai atrás de uma velha conhecida, uma espécie de conselheira, para tentar descobrir o que poderia estar acontecendo por aquelas colinas e para sua tristeza... ela obtém a resposta.

"Não podemos fazer nada... Mas escute bem, minha querida: não tente lutar contra "sombras", é inútil... Aproveite cada instante com Joachim... enquanto ele está entre vocês..."



Louis se recusa a aceitar o fato inevitável e toma a decisão de partir com Joachim, enquanto ainda é noite.

 A história em si conta o decorrer dessa fuga de Joachim e seu pai em uma tentativa assombrosa e delirante de desafiar a própria morte. Ao longo dessa jornada muita coisa acontece. (Muita mesmo!)
O autor traz para nós uma aventura dramática misturada com misticismo e recheada de muita emoção. Desde as emoções mais vis dos humanos aos desejos mais sinceros de um pai.

Poderia dizer muita coisa sobre esse livro, ao mesmo tempo que praticamente nada. Acho que a essência em si dele é algo bem simples, mas o que atrai e nos puxa pra dentro dessa história é como ela é foi contada. E nesse ponto também gostaria de ressaltar sobre o traço de Cyril, que sem dúvida é um traço um pouco diferente do que eu estou acostumada, mas ainda assim é um traço dele. E o que eu quero dizer com isso é que ele consegue fazer os desenhos dançarem conforme à música. Ele soube dar a devida intensidade e a devida delicadeza aos traços nos momentos certos e acho que isso é algo que traz bastante fluidez à leitura, essa "coerência".

Em relação aos personagens, devo dizer que gostei muito dos personagens "secundários", aqueles que Joachim e Louis vão conhecendo ao longo da jornada. São todos bem interessantes e bem "humanos" em questão dos desejos, da cobiça, de seus ideais e suas visões morais (ou nem tanto), o que contribui bastante para o desenvolvimento da história e dos personagens centrais, em especial Louis.
Na verdade eu diria que o crescimento durante a história foi dele e não do Joachim, afinal Joachim era apenas parte da "circunstância" para esse desenvolvimento. O tempo todo, embora ele ainda fosse uma criança e agisse como tal, ele sempre demonstrou uma estabilidade como personagem, muito diferente de seu pai que de certa forma me parecia um pouco "infantil" principalmente no que diz respeito à não querer aceitar as coisas que não se pode mudar e querer fugir ou querer dar de cara com algo em vez de ser mais sensato. Mas claro que isso é tudo ligado à um forte sentimentalismo de paternidade e podemos ver isso, além do medo e do principio do delírio que ele demonstra em determinado ponto da história, quando a ansiedade e a tensão da situação toda acabam por tomar a sanidade ou ao menos, parte da razão dele.

Porém! Gostaria muito muito de fazer um comentário ou ao menos apontar sobre outra personagem que acabou por ficar meio que "ofuscada" por conta do foco da história, mas que me cativou logo no início: Lise.

Quando eu li a sinopse do livro eu reparei no fato de apenas o pai de Joachim ir com ele nessa tal jornada, mas não levei muito em conta, nem pensei nada demais sobre. Mas quando eu comecei a ler e ver a Lise ali, como ela fazia parte daquilo tudo eu não podia deixar de me perguntar "por que ela não vai com eles?". Ela desde o começo fica apreensiva em relação às sombras, ao passo que seu marido tenta dar como algo qualquer "são só viajantes". Ela sugere já de início ir procurar sua amiga Dona Pique para poder conseguir conselhos sobre, mas ele logo recusa, mesmo assim, quando as entidades se aproximam de Joachim, sua mãe acaba "pressentindo" o que provavelmente ela não teria coragem de dizer em voz alta e é aí que ela vai sozinha no meio da noite, deixando apenas um bilhete à Louis dizendo que vai até sua amiga para conselhos.

Lise é uma mãe amorosa, provavelmente seu amor por Joachim seria muito maior do que a de qualquer um e acima de tudo ela é uma mulher forte e é justamente por esse fato que ela dá seus últimos momentos com seu filho pra Louis, para que ele possa se despedir devidamente, porque ela sabe que ele precisa mais do que ela e mesmo que isso à doa, ela decide fazer esse sacrifício pelos dois.

"Eu não vou impedir você de partir, mas não sei se poderei perdoá-lo. Joachim vai nos deixar, eu sei disso, e estou pronta. Você não. [...] Esses últimos momentos com meu filho, esse tempo... eu dou a você."


 Bom, eu sei que nem todo mundo é chegado em quadrinhos ou não tem a paciência para lê-los ou qualquer outro motivo que seja, mas tenho que dizer que essa história vale a pena ser lida. Todo o sentimentalismo e as lições de vida são retratadas de uma forma tão simples ainda que bem feitas, que a leitura flui muito bem.
Li o livro em uns 3 dias, quando tinha um tempinho e olha que eu tava tentando me segurar pra poder terminar em uns 4, mas isso não deu muito certo (risos).

Em todo caso, é uma história muito bonita. E tenho que dizer isso principalmente pelo final, pois o livro termina com a mesma tranquilidade em que começa, na tal "ilha agradável e tranquila" e acho que essa é uma das mensagens que ele traz. A de que, embora haja tempestades e por maiores que sejam, elas passam...

19 comentários:

  1. eu não curto tanto quadrinhos, creio que pela falta de costume com essas histórias, mas é inegável beleza e empatia que a trama e seus personagens geram
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi tudo bem?
    Não costumo ler muitos quadrinhos na verdade acho que nunca li nenhum que não fosse gibi (os da mônica mesmo) mas posso dizer que fiquei com vontade de saber mais sobre essa família e os mistérios da almas, fora que o traço e realmente maravilhoso.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oii!!!
    Eu gosto de histórias em quadrinhos, só me falta oportunidades para ler. Gostei muito desse livro, fiquei curiosa para ver todo o desenvolvimento dessa trama nos quadrinhos. Deve ter ficado incrível. Já vou caçar para ler, sério. Quero criar o costume de ler quadrinhos, então todos que eu vejo e me interessam eu já anoto kkkk. Adorei a resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ola
    Nao sei como ainda não tinha lido nada a respeito desta obra, e é claro que fiquei muito curiosa, seja pela premissa ou pelo fato de ser uma história em quadrinhos, que eu adoro demais. Fiquei bem intrigada sobre os personagens, sem contar que acho super válido ter a exploração de algumas lições de vida.Dica anotada!
    Beijos,F

    ResponderExcluir
  5. Olá...
    Adorei sua resenha!
    Sou obrigada a dizer que não sou muito fã de quadrinhos, a ultima vez que li ainda era criança, os famosos Maurício de Souza. Porém, você falou com tanta paixão que me bateu uma vontade de ler, principalmente, ao mencionar que é uma obra sentimentalista...
    Dica anotada!
    Bjo

    ResponderExcluir
  6. Oie!
    Eu já li muitos quadrinhos, mas faz tempo que não pego um para ler.
    E é claro que aceito todas as indicações, pois estou bem desatualizada do que tem de lançamento.
    Adorei o que indicou e a história é bem do jeito que eu gosto. Essa indicação é perfeita!
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  7. Oi,
    eu gosto bastante de quadrinhos, apesar de não lê-los com a frequência que gostaria, esse eu não conhecia e gostei bastante da premissa, fiquei super curiosa para saber os rumos que essa história tomou e de acompanhar a luta desse pai na tentativa de proteger o filho dessas sombras misteriosas, espero conseguir lê-lo em algum momento.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá! Bom que o autor sobre dar delicadeza e intensidade nos momentos certos. É muito bom quando os personagens secundários nos conquista. Você pensou que Lise teve pouco destaque, mas pela sua resenha e pela sua visão, acredito que você deu muito destaque a ela. Realmente ela apresenta ser uma personagem importante para a trama, além de apresentar ser uma personagem que cativa o leitor. Gostei das ilustrações da história. Dica anotada! Beijos'

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem?
    A história da obra parece muito interessante, mas não consigo ler hq's e quadrinhos, não é algo que me prende a atenção.
    Então irei pura a dica, mas fico feliz que tenha feito uma boa leitura.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  10. Oi, Bianca!
    Esse quadrinho me pareceu realmente interessante, principalmente nessa escolha da mãe em "ceder" seus últimos momentos com o filho para o pai fugir com a criança. Me pareceu uma narrativa bem delicada e uma forma de tratar dos sentimentos humanos bastante trabalhada com sutilizas né? Outra coisa me chamou atenção foi o traço dos desenhos, pelas imagens que você acrescentou à resenha, é um traço bastante distintivo e original né?
    vou marcar o nome dessa HQ aqui preu lembrar mais tarde hehe
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Olá Bianca,
    Ainda não conhecia essa trama, mas adoro essa questão de podermos falar muito e ao mesmo tempo nada de um livro. Que bom que a trama retrata as coisas de uma forma simples e bem feita. Como você ressaltou, eu sou uma das pessoas que não curte muito ler quadrinhos, mas isso é porque nunca dei muita chance a ler esse tipo de obra, sabe? Fiquei curiosa para ler esse livro e espero gostar de coração.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oie! Tudo bem?

    Não conhecia a trama, mas infelizmente faltou alguma coisa na história que despertasse meu interesse em realizar a leitura da obra, estou bem chata com minhas leituras esse ano por isso infelizmente passo a dica dessa vez!

    BJss

    ResponderExcluir
  13. Olá Bianca, que livro mais diferente esse.
    Confesso pra você que eu nunca tive a oportunidade de ler um livro assim, nesse estilo. Gostei muito da sua resenha, a história parece ser realmente muito encantadora e bem tranquila... sem contar que pelas fotos, amei as ilustrações... Entretanto, como disse que não tenho o costume de realizar a leitura de obras nesse estilo, não sei se eesse livro é pra mim.

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  14. Eu sou uma dessas pessoas que não curtem muito quadrinhos, mas a trama até que é interessante. Gostei dessa história de desafiar a morte e particularmente curto quando os personagens secundários são relevantes para a trama. Então se eu ganhasse de presente, por exemplo, eu leria! :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oi
    Adoro quadrinhos!
    Confesso que pela sinopse, esperava um pouco mais desse livro. Sua ótima resenha deixou claro muitas coisas, mas infelizmente não senti vontade de ler.
    Mas ainda bem que, no geral, você gostou.
    Valeu a dica.
    Beijinhos
    Rizia Castro - Livroterapias

    ResponderExcluir
  16. Olá!

    Faz anos que não leio quadrinhos, nunca foi algo que eu gostasse infelizmente...

    Mas, esse achei bem diferente e me chamou a atenção, achei as ilustrações lindas e saber que ele traz lições de vida me deixou curiosa, adoro quando uma leitura me traz boas reflexões!

    Beijos
    Jess

    ResponderExcluir
  17. NÃO conhecia a história, fiquei apaixonada <3 é o tipo de leitura que eu gosto, esses draminhas com pitadas de aventura e emoção. Gostei dessa coisa que você disse a respeito de intensidades e delicadezas, nos momentos certos. Toda história precisa disso. Maravilhosa sua resenha.

    ResponderExcluir
  18. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse quadrinho ainda e confesso que não costumo ler esse gênero, mas eu acho muito bacana e por isso fiquei animada com sua resenha. Eu achei a premissa bem curiosa, toda essa aventura emocionante e dramática. Os personagens parecem ser muito bem construídos mesmo e a Lise já me cativou de cara, pois parece ser uma mãe forte e amorosa mesmo. Enfim, gostei muito da dica de hoje, vou marcar e espero ler em breve.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  19. Oi, tudo bem?
    Eu estou precisando de um livro envolvente para ler no momento, gostei muito da proposta dessa obra e com toda certeza tentarei ler uma hora dessas. Gostei dos personagens e do enredo envolvido, ainda mais que ele tem essa pegada mais familiar, adorei a dica. Ótima resenha!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.