Menu

12.7.17

{Resenha} A Traidora do Trono - A rebelde do deserto #2



Título Original: Traitor to the throne
Autora: Alwyn Hamilton
Editora: Seguinte
Sinopse: Amani Al'Hiza mal acreditou quando finalmente conseguiu fugir de sua cidade natal nos confins do deserto, montada num cavalo de areia com Jin, um forasteiro misterioso. Em pouco tempo, porém, sua maior preocupação deixou de ser sua própria liberdade: a garota descobriu ter muito mais poder do que imaginava e acabou se juntando à rebelião, que luta para livrar o país inteiro do domínio de um sultão sanguinário.
Em meio às perigosas batalhas, Amani é traída quando menos espera e acaba se tornando prisioneira no palácio. Enquanto pensa em um jeito de escapar, ela tenta se aproximar do sultão para descobrir informações úteis para a causa rebelde. Contudo, quanto mais tempo passa ali, mais ela questiona se o governante é de fato o vilão que todos acreditam, e quem são os verdadeiros traidores do país.

Pode ter spoilers do primeiro livro, que você pode conferir a resenha aqui.
“Ele não devia estar ali, segurando uma arma daquela maneira. Mas era isto que o deserto fazia. Transformava as pessoas em sonhadores armados.”
O segundo livro da trilogia A Rebelde do Deserto. E fiquei arrasada, devastada. 

O livro tem início onde o primeiro livro, A Rebelde do Deserto, teve seu fim. Como li há quase um ano atrás, tive alguma dificuldade em me situar, mas com o decorrer da obra as coisas foram voltando. Amani está presa pelo exercito do traidor da Cidade Livre, arrastada através do deserto como uma prisioneira. O metal a impede de usar seus poderes para salvar a si mesma. O cenário não poderia ser pior: aquelas pessoas estão ansiosas para ver o fim da Bandida de Olhos Azuis, embora ainda encontre nos olhares daqueles que a cercam, a admiração por estarem frente a frente com a pessoa daquelas histórias absurdas. E ficam mais admirados ainda que, na verdade, o Bandido de olhos Azuis é uma mulher. Tudo bem ele fazer aquelas coisas absurdas... Mas aquelas coisas absurdas serem feitas por uma mulher é muito mais difícil de acreditar.


Amani continua com sua ironia e sarcasmo, embora esteja um pouco perdida devido aos últimos acontecimentos, depois de ser baleada no final do primeiro livro. Acordou para perceber que a pessoa que ama não estava ao seu lado: deixou-a para morrer por simples e pura covardia – ou ordens de seu irmão. Acredito que depois disso, ela ficou meio relapsa quanto à sua vida e atitudes e age como dá vontade. 
“Teria rido da ironia se não doesse tanto.”
Por isso, descobre que a Vila da Poeira nunca de verdade deixou seu destino. E, por conta disso, fica amolecida e desatenta. O que acaba lhe levando para o palácio do Sultão, em Izman. Não esperava encontrar as pessoas que encontrou lá – nem eu e foi uma tremenda surpresa. É daquelas ironias bem grandes...

A história tem muito mais reviravoltas de tirar o fôlego. É difícil parar de ler, uma vez que tudo o que você acreditava que era verdade é arrancado de sua cabecinha e esperança de leitor. Amani se encontra sozinha em uma situação que não esperava e não sabe muito bem como lidar com isso. O Sultão não parece ser o bicho de sete-cabeças que todos lhe contavam. E como lidar com a imagem que você tem diante de seus olhos, que quebra todas as suas impressões anteriores e lidar com esse novo – que até mesmo a deixa ansiar pela presença do mesmo?

O livro é rico em histórias sobre o mundo de Amani: mitos contados pelas areias do deserto que são tão incríveis quanto a própria história narrada. Descobrimos muito sobre os Djinnis, sobre a criação dos homens e a relação dos primeiros com isso. Acho que a autora capricha nos detalhes de suas histórias e deixa a todos encantados com o mundo que ela criou. Sinceramente, é lindo acompanhar tantas histórias diferentes, até sobre lugares que não são o deserto! 

Passamos pelo dia-a-dia de Amani e sua luta para sobreviver no harém do Sultão e do Sultim. Conhecemos Ayet, uma das mulheres do sultim que se preocupa com sua posição ali, pois as mulheres do harém costumam desaparecer misteriosamente, sem deixar nenhuma pista ou a razão de ter desaparecido. Somos apresentados também a alguns dos filhos do sultim e do Sultão. Leyla é uma das filhas do sultão que dá vontade de colocá-la no colo e abraçá-la bem forte, num primeiro momento. É uma construtora incrível! E há também o Rahim, príncipe e irmão mais velho da Leyla que já te deixa encantado por ele. Um mistério o circunda também e sinceramente, gostei mais dele do que do Jin, haha!
“Nas histórias, os homens roubam desejos. Eles trapaceiam, mentem e enganam para mudar a própria sorte. É por isso que os djinnis perventem seus desejos. Ladrões não prosperam. Mas se o desejo é concedido livremente... – Então não haveria necessidade de distorção. Eles realmente podiam conceder o desejo mais profundo de alguém.”
São tantos acontecimentos à parte da trama principal, que fica difícil falar sem dar muitos spoilers. Só que... A Vila da Poeira tá com tudo. 

O sultão... Até eu fiquei meio balançada por ele. Não parece realmente o monstro que foi pintado pelos rebeldes. Parece até mesmo ser um pai carinhoso para os filhos... Exceto o Sultim. Esse não tem jeito da gente gostar. 

O final do livro é de tirar o fôlego. Fiquei com o coração na mão – mas pensando bem, fiquei com o coração na mão durante o livro todo!


O livro é narrado pela Amani, o que torna tudo mais intimista para o leitor... É como uma conversa que te deixa agoniado, haha! A diagramação do livro é muito bonita, com um desenho intricado no começo de cada capítulo. As letras da capa são metalizadas e a cor roxa da noite é maravilhosa! Segue a mesma linha do primeiro livro! As páginas são amareladas, então torna sua leitura compulsiva agradável de acompanhar, haha!

O terceiro livro se chamará Hero at the Fall (Herói(ina) na Queda – Tradução livre da resenhista) e será lançado provavelmente em 6 de março de 2018 nos Estados Unidos. 

Sinopse: When gunslinging Amani Al'Hiza escaped her dead-end town, she never imagined she'd join a revolution, let alone lead one. But after the bloodthirsty Sultan of Miraji imprisoned the Rebel Prince Ahmed in the mythical city of Eremot, she doesn't have a choice. Armed with only her revolver, her wits, and her untameable Demdji powers, Amani must rally her skeleton crew of rebels for a rescue mission through the unforgiving desert to a place that, according to maps, doesn't exist. As she watches those she loves most lay their lives on the line against ghouls and enemy soldiers, Amani questions whether she can be the leader they need or if she is leading them all to their deaths.
“Quando a atiradora Amani Al’Hiza fugiu de sua cidade natal, ela nunca imaginou que iria se juntar a uma revolução, deixada sozinha. Mas depois que o Sultão de Miraji aprisionou o Ahmed, o Príncipe Rebelde na cidade mítica de Eremot, ela não tem muita escolha. Armada apenas com seu revólver, sua vontade e seus indomáveis poderes Demdji, Amani deve marchar com o que restou dos rebeldes numa missão através do imperdoável deserto para um lugar que, de acordo com os mapas, não existe. Conforme ela assiste aqueles que ama deixarem suas vidas na linha contra ghouls e soldados inimigos, Amani se questiona se ela pode ser a líder que eles precisam ou se ela os está liderando para suas mortes."(Tradução livre da resenhista)
A capa ainda não está disponível, mas eu já quero muito ver o final dessa trilogia, aiai meu coração!!!



10 comentários:

  1. Olá!

    AI-MEU-JESUS-CRISTINHO! Estou super louca de vontade de ler essa livro, porque o primeiro é bom demais e imagino que a autora tenha seguido o seu padrão de qualidade de escrita neste segundo. Seus comentários só fizeram minha ansiedade aumentar em níveis perigosíssimos, preciso ler logoooo! Amei a resenha!

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  2. Ola
    Ainda não li o primeiro livro, mas pretendo, por isso li sua resenha por partes por não pegar spoilers. Quero muito poder conferir essa história, em especial porque já li bons comentarios a respeito. Esse gênero chama muito a minha atenção, além de que suas impressões me deixam ainda mais motivada.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  3. Oi tudo bem?
    Não li toda a resenha por motivos de quero ler o primeiro livro que venho enrolando a um bom tempo alias, já ouvi bons elogios desses livros e pretendo fazer a leitura em breve sua opinião me deixou mais curiosa ainda.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bem?
    Não conhecia essa série nem nunca ouvi falar, mas parece ser muito interessante, apesar de eu não ter lido a resenha toda por conter spoilers haha.
    Garanto que deve ser muito instigante para quem gosta.
    Parabéns pelo blog e pela resenha, beijocas <3

    ResponderExcluir
  5. Oi Pri!
    Confesso que li essa resenha meio por cima, pois ainda estou lendo o primeiro livro hahaha!
    Mas gostei de saber que a continuação é repleta de acontecimentos e tem um final daqueles. Já que que essa trilogia será incrível
    Espero ler em breve!
    Beijinhos
    Rizia Castro - Livroterapias

    ResponderExcluir
  6. Oi, Pri!
    Nem li o primeiro ainda, por isso olhei só suas impressões.
    Se esse livro tem um final de tirar o fôlego, vou deixar para ler a trilogia quando lançarem todos aqui no Brasil. rsrs... N]ão aguento esperar! :P
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  7. Oie! Esses livros estão na minha lista de desejados e não vejo a hora de poder realizar a leitura deles, com certeza irei gostar do que vou encontrar nas obras, até porque até hoje não li nenhuma critica negativa em relação a essas obras!

    Bjss

    ResponderExcluir
  8. Olá Pri,
    Ainda não li o primeiro livro, então, li muito superficialmente sua resenha com medo dos spoilers. Acho interessante termos tantas histórias à parte da trama principal e fiquei contente por você ter curtido.
    Não sabia que tinha continuação e vou anotar a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá...
    Adorei sua resenha!!!
    Toda vez que vejo alguém falar que tal livro tem um final de tirar o folego, deixa o coração na mão, eu corro pra ler, pois, adoro finais impactantes assim... Já tinha vontade de ler essa obra, então, ao ler esse trecho de sua resenha EU PRECISO LER!!!
    Gostei de todos seus comentários e não tenho dúvidas de que é uma leitura que irá me agradar ;)
    Bjo

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Eu li esse livro logo que foi lançado e ainda não superei o final kkkk. A autora pisou no meu coração e estou sofrendo de ansiedade pelo terceiro livro.
    Concordo com tudo que você falou, especialmente a parte do sultão. Fico feliz de saber que não fui a única que ficou balançada por ele kkkk.
    Adorei sua resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.