Menu

13.9.17

{Resenha} Os Miseráveis (Box Tomo 1 e 2)



Oie amores. C-H-E-G-U-E-I!


Trago para vocês um dos livros mais espetaculares que já tive o prazer de ler/reler. Os Miseráveis de Victor Hugo
Obrigada a Editora Companhia das Letras - Penguin pela cortesia maravilhosa.
Vamos conferir a resenha? Bora lá!

Sinopse:


“O clássico de Victor Hugo que correu mundo em adaptações de cinema e teatro agora em edição especial.

Considerado a obra-prima de Victor Hugo, este romance se desdobra em muitos: é uma história de injustiça e heroísmo, mas também uma ode ao amor e também um panorama político e social da Paris do século XIX. Pela história de Jean Valjean, que ficou anos preso por roubar um pão para alimentar sua família e que sai da prisão determinado a deixar para trás seu passado criminoso, conhecemos a fundo a capital francesa e seu povo, o verdadeiro protagonista.
Na via crucis que é o romance sobre a vida de Valjean, são retraçadas as misérias cotidianas e os dias de glória do povo francês, que fez das ruas seu campo de batalha e das barricadas a única proteção possível contra a violência cometida pela lei.”

Resenha

“Enquanto sobre a terra houver ignorância e miséria, livros como estes não serão inúteis. ” – Victor Hugo, 1862

Ate parece que o tempo “congelou”, porque o mundo continua igual ou pior, desde 1862, ou antes, com os ricos mais ricos e os pobres cada vez mais pobres.
Li este livro aos quinze anos na época da escola, onde me perdia nos poucos livros que a biblioteca de uma escola pública tinha nessa época. Era meu lugar preferido, onde não me sentia tão só e estranha, foi a partir dali que amei a leitura. Comecei a me apaixonar pela beleza de ler através de Os Miseráveis, Alvares de Azevedo e William Shakespeare. A releitura depois de anos, só valeu ainda mais a pena.
Fazer a resenha de Os Miseráveis, Tomo 1 e Tomo 2, com mais de mil paginas cada um, não é fácil e nem corriqueiro. É algo estratégico.
Então depois de ler mais de duas mil páginas maravilhosas e instrutivas, optei “estrategicamente”, a comentar o episódio do bispo. D. Bienvenu e Jean Valjean.

O rodapé desses livros são ricos e históricos, o leitor, relembra a História Geral do Segundo Grau, só que mais aprimorada, pois é contada, por quem viveu nela.
As notas são um livro à parte e eu me deliciei com cada uma delas.
É uma obra primorosamente escrita por Victor Hugo, com um conteúdo acessível a todos os leitores, com fatos que prendem o seu imaginário.
Se você não gosta de livro com alta brochura, lhe digo que vai perder a oportunidade de ter abaixo dos olhos algo diferente, que te faz voltar no tempo e concluir que os homens precisam mudar.

Agora, quem começou isso? E mais! Quem e como terminará isso?
O que fazer com a miséria, que é a “chaga” social, que já contaminou todos os lugares?

A estória de Jean Valjean, de família muito pobre, fazia de tudo por uns soldos (trocados), o pai morreu ao cair de uma arvore, a mãe se foi de uma doença febril, ficando-lhe a irmã viúva com sete filhos, isso porque a miséria se diverte com o infortúnio.


E num inverno mais rigoroso, Jean roubou um pão, para matar a fome dos sobrinhos e foi condenado às Galés (trabalho forçado). Tentou fugir várias vezes, sem êxito e isso só aumentava a sua pena.

Por dezenove anos ficou nas Galés, acorrentado, açoitado, virou um número, não era ninguém. Quando a pena se cumpriu e escutou: – Está livre!
Ele pensou que teria um recomeço, mas logo descobriu que o sentimento chamado “Liberdade”, tinha outra conotação.

Começava outro calvário. Por causa do passaporte amarelo de “ex-forçado”, ninguém o recebeu. Desarvorado, acuado, com muita fome, Jean bate na casa paroquial, onde o Bispo de Digne, Charles-François-Bienvenu Myriel o acolhe, dando-lhe comida e um leito. Mas na calada da noite, ele acorda, vai ao armário do bispo, lhe rouba seis pares de talheres de prata e foge como qualquer ladrão.

O final não é esse, mas poderia ser, se as palavras do Bispo, não tivessem expulsado da alma e do coração, a humilhação e o terror de dezenove anos, que Jean passou nas Galés, como prisioneiro. Todo o livro me encantou, mas esse texto me cativou.

Victor Hugo nos mostra em Os Miseráveis a realidade nua e crua do quanto à pobreza e a miséria afetava aquela época, o quanto a exploração e o mal trato com o povo mais pobre, a “gentileza” como eram tratados.

A vida fora de um dos piores lugares para se estar, Jean tem a mudança ao conhecer o Bispo, isso irá mudar completamente sua vida dali por diante.

Simplesmente uma das obras mais incríveis e inesquecíveis que já li.

Por hoje é só amores. Até a próxima. Tchau!


Título: Os Miseráveis (Tomo 1 e 2)
Autor (a): Victor Hugo
Editora: Penguin Companhia


10 comentários:

  1. Só vi o filme e claro que amei, ainda mais que contava com Helena Bonham no elenco.
    Espero em breve poder ler, adorei a resenha e me mostrou um pouco mais do que só vi no filme.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Oi tudo bem?
    Não conhecia as obras e nem o autor mas pelo que li na sua resenha me parecem maravilhosos eu amo um bom livro histórico e esse me parece ser bem emocionante e realista.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oiee Lauri ^^
    Eu sempre vejo o pessoal elogiando muito Os Miseráveis, mas sabe que, apesar de eu sentir curiosidade de conhecer melhor a história, morro de preguiça de ler? haha' e também morro de medo de começar e acabar não gostando, apesar de tratar de temas que chamam muito a minha atenção.
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Esses dias, quando passei pela livraria do Shopping vi Os Miseráveis lindamente em sua capa dura, numa das estantes e era uma das visões mais lindas que eu vi haha
    Nunca cheguei a assistir o filme por completo, mas a história em si me parece fascinante!
    Quem sabe um dia eu dou uma chance, quando tiver tempo :')
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. oi, é maravilhoso quando uma obra nos toca tanto e transforma nossa vida, não é. Eu tenho esse livro na minha lista de futuras leituras e tenho muita vontade de conhecê-lo.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Lauri! Simplesmente amo esse livro! Li uma versão condensada quando estava quase terminando o Ensino Fundamental e me apaixonei. É muito emocionante perceber que traços da época em que se passa a história ainda fazem parte da atual sociedade. É algo que não acaba, muda apenas o tipo de miséria humana. Não conhecia essa edição e um dia vou querer ler a obra completa, pois pela resenha deu pra ver quanto ela é rica em detalhes. Li uma outra obra do autor e achei a tradução um pouco complicada, espero que pelas lançamentos mais recentes elas estejam mais fáceis para compreender.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Obviamente eu já conhecia o autor e sua obra, mas infelizmente ainda não tive a oportunidade de ler o livro. Vontade não me falta, é claro.Gostei muito das informações traga por você, principalmente dessa edição linda, que é um encanto para os olhos. Vou tentar aproveitar a Black Friday desse ano para adquirir uma. Super obrigada pela matéria, adorei! <3

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  8. Oi
    Adorei essa resenha dupla!
    Tenho muita vontade de ler a obra. Por mais que conheça a história, tenha visto filmes e tal, nunca tive contato com o texto. Sua resenha está perfeita, com detalhes suficientes que despertam a curiosidade.
    Espero poder ler em breve!
    Beijinhos
    Rizia Castro - Livroterapias

    ResponderExcluir
  9. Oi, Lauri

    Muito chama minha atenção o peso histórico da obra como um todo. Já assisti as duas adaptações e adorei. Eu tenho muita vontade de ler, mas atualmente não posso me prender a um livro tão extenso.
    Que bom que foi uma leitura inesquecível!

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Esta é uma das histórias que mais me emocionaram na vida, mas até agora só tive contato com a produção de cinema. Seu post me deixou com mais curiosidade em ler o livro.
    Beijos.

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.