Menu

12.10.17

{Resenha} Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra


Título Original: Wonder Woman - Warbringer
Autora: Leigh Bardugo
Editora: Arqueiro
Sinopse: “Se você precisa parar um asteroide, você chama o Superman. Se você deseja resolver um mistério, você chama o Batman. Mas se você quer acabar com uma guerra, você chama a Mulher-Maravilha!”– Gail Simone, roteirista da DC Comics
Antes de se tornar a Mulher-Maravilha, ela era apenas Diana.
Filha da deusa Hipólita, Diana deseja apenas se provar entre suas irmãs guerreiras. Mas quando a oportunidade finalmente chega, ela joga fora sua chance de glória ao quebrar uma lei das amazonas e salvar Alia Keralis, uma simples mortal.
No entanto, Alia está longe de ser uma garota comum. Ela é uma semente da guerra, descendente da infame Helena de Troia, destinada a trazer uma era de derramamento de sangue e miséria. Agora cabe a Diana salvar todos e dar seu primeiro passo como a maior heroína que o mundo já conheceu.

Sou fã da Mulher-Maravilha! Não sigo tudo o que tem dela, mas sigo o que consigo e quando vi esse livro da Editora Arqueiro aberto a solicitações, não hesitei! Logo quis e devorei!
“Não se entra numa corrida para perder.”
A história tem início com uma corrida entre as amazonas, uma tradição já da ilha. Diana está entre as competidoras, desejosa de criar para si um lugar entre elas, ser vista como uma igual. Em suas orações, várias deusas são citadas, não apenas aquelas pertencentes à mitologia grega, mas de todos os locais do mundo. Proferidas por mulheres que morreram em batalha, que foram dignas das deusas e elas atenderam a seus pedidos, renascendo assim na ilha de Temiscira, como amazonas, como irmãs.

Não sei se existe HQ’s sobre o tempo de Diana na ilha de Temiscira, mas eu desconhecia algumas coisas da mitologia acerca da ilha. Mas vamos lá: Diana é uma jovem amazona diferente de todas as outras mulheres que residem ali, pois ela não foi uma brava mulher que foi levada até ali pelas deusas... Mas sim ela nasceu ali, filha de Zeus e Hypólita, a rainha das amazonas. Uma mãe que mantém seu reinado com honra e luta, sem mostrar nenhuma fraqueza, já que rainha podem ser destronadas. Ela não dará sorte ao azar. É uma mãe superprotetora, mas não dá preferencias a Diana: a trata como trata as outras amazonas. E que esconde da filha um segredo...

Vemos que algumas das amazonas veem Diana como uma pária, diferente e destoante. Ela luta para encontrar seu lugar entre as mulheres da ilha, mais do que qualquer uma delas. Embora não saiba se lá é de fato seu lugar, de tanto que falam na cabeça dela com provocações. Desejosa de provar seu lugar, ela entra em uma corrida para provar seu valor e sabe que a verão com desdém se perder. 

Todas as mulheres sabem como é ter que provar para todos que é capaz de realizar todas as tarefas as quais se propõe. Seja no trabalho, seja em sua casa, seja em hobbies e momentos de lazer, como mãe, como ser dona de suas escolhas... Então acredito que todas as mulheres e meninas que lerem esse livro irão se identificar com a protagonista.
“- Como pode ter errado em querer provar o seu valor? – Perguntou a garota, com um brilho feroz no olhar. – Você não errou em ser ousada.”
Durante um grave acidente ela conhece Alia: uma menina que veio do mundo de fora da ilha. Seu passeio acabou sendo interrompido e ela não esperava encontrar uma mulher louca, com roupas de cosplay em uma ilha que não parece nada real. Mas o perigo é bem real e Diana precisa decidir se deixa a ilha matar a adolescente... Ou desobedece as leis das amazonas, as leis de sua mãe, para levar a menina para longe da ilha.

Amo livros com referências mitológicas e Mulher-Maravilha: Sementes da Guerra é recheado delas. As aventuras são constantes, num ritmo quase frenético. Até um simples passeio em uma cidade se prova desafiador devido as circunstâncias em que as protagonistas se encontram. 

Para além delas, também conhecemos jovens incríveis: Nim, uma amiga que todo mundo devia ter no bolso. Fashionista estilosa, melhor amiga de Alia. Dá um show de autenticidade o tempo todo, dona de uma criatividade e ânimo imbatíveis. Ela e Alia passam por coisas pesadas na escola e isso as uniu em uma amizade para toda a vida. 

Jason é o irmão superprotetor e ranzinza de Alia, presidente da empresa Keralis, a empresa que seus pais criou em nome da medicina. É controlador e prepotente, mas pode ser legal quando abaixa a guarda. Theo é filho do melhor amigo dos pais de Jason e Alia, e também é o melhor amigo dos dois irmãos, auxiliando-os na empresa. É sincero e faz todo o possível para auxiliar Jason.

Os dois irmãos Keralis possuem um pequeno problema de relacionamento, uma vez que Alia deseja viver como desejar. E Jason quer sempre estar em sua cola, protegendo-a de um provável apocalipse zumbi. 
“- Não é justo exigir que uma pessoa viva pela metade. – respondeu Diana. – Não podemos viver com medo. Ou fazemos as coisas acontecerem, ou as coisas acontecem com a gente.”
O melhor é o banho de autoestima e motivação que Leigh Bardugo nos mostra em sua história. Como devemos tomar as rédeas de nossa própria história, independente de quem somos e qual o nosso passado. Que não podemos nos deixar levar pela maré e sim lutar pelo nosso lugar no mundo. Desde Nim e sua animação, a dedicação de Theo e a força de vontade de Alia em fazer o que é certo, somos carregados pelo mundo em busca da solução para evitar que o passado de Alia destrua o mundo. Há pessoas que desejam ela viva... E há pessoas que desejam ela morta. O mesmo vale para os seres imortais.

A história tem reviravoltas incríveis. Eu fiquei entre a surpresa e o “eu já devia imaginar”, a autora consegue esconder muito bem quem são os inimigos de Alia e Diana. Fiquei chocada, sério. Tão chocada quanto a Nim ao ver a “belezura” da Diana, mas de um jeito ruim. A escrita da Leigh é apaixonante e te prende de um jeito que não dá para largar o livro. O modo com o que ela descreve as situações nos permite de fato imaginar tudo o que está acontecendo, sem enrolar demais e deixando espaço para sua imaginação funcionar.

Foi meu primeiro contato com uma obra desta autora e já inclui outros dois livros dela nos meus desejados, huahuhaa!



A diagramação está linda, cada início de capítulo tem o símbolo da Mulher-Maravilha. A editora ainda enviou um pôster lindo que não vejo a hora de pendurar em algum lugar! Livro recomendadíssimo para quem quer começar a ler algo sobre a Mulher-Maravilha e não quer começar pelos quadrinhos!
“A coragem humana era diferente da bravura das amazonas. Diana enxergava isso agora. Apesar de toda zombaria com que ouvira sua mãe e suas irmãs se referirem ao mundo mortal, ela não podia deixar de admirar as pessoas com quem estava viajando. Levavam vidas violentas, instáveis, frágeis, mas lutavam por elas mesmo assim, agarradas à esperança de que sua breve estada na terra fosse de alguma valia. Era importante preservar essa fé.”
~Livro cedido em parceria com a Editora Arqueiro

13 comentários:

  1. Eu gostaria muito de ler esse livro, está na minha lista!
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Nunca li nada desse universo, não estou muito familiarizado, mas parece-me muito interessante =)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    grata surpresa essa recomendação sua. Eu assisti o filme e gostei bastante. Quando vi a capa do livro pensei que ele traria o mesmo enredo do filme, mas por sorte é outra narrativa. A sua descrição da história é ótima e me deixou com vontade de comprar o livro para ler.

    ResponderExcluir
  4. a trama é bem legal e mesmo não sendo o que corriqueiramente gosto de ler despertou a minha curiosidade
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá! Tudo bem?
    Nossa!!!! Pense em um livro que eu quero! É esse!
    Sempre fui fã, e acho que vou gostar muito desse!
    Obrigado pela dica!
    @lendocomdaniel

    ResponderExcluir
  6. Eu nem sabia que tinha um livro voltado para mulher maravilha , eu to é passada com a sua resenha de tão boa que é ♥

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Parabéns pela sua resenha, está incrível <3 Estou encantada e muito tentada a realizar essa leitura. Parece ser bastante dinâmico e adorei as questões que você levantou sobre o livro. Não curto muito essas coisas mitológicas mas é bom para sair da zona de conforto. :D

    Um beijo, Carol
    Blog com V

    ResponderExcluir
  8. Que livro lindo. Nunca li nem assisti nada da mulher maravilha. Mas tenho bastante vontade. Sua resenha me fez querer ler esse livro.

    Brijos

    ResponderExcluir
  9. Adorei a tua resenha, está bem completa. Eu adorei saber um pouquinho da Diana, ela é uma personagem muito forte ao meu vez, preciso ler mais livros com personagens assim pois é algo bem positivo, deixa a narrativa mais rica. Eu não sou muito apaixonada por esse universo, mas desde o lançamento fiquei bem curiosa para conhecer a história. E agora estou mais, depois de saber todos os significados que a autora colocou por trás da história.

    Xoxo <3

    ResponderExcluir
  10. Olá, Priscila.
    Eu gosto de obras que trazmem referências mitológicas, mas eu não sei se leria esse livro porque não sou muito fã de heróis e heroínas.
    A história é bem interessante, mas não tenho interesse na leitura.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Olá
    Tirando o Batman e algumas coisas de X-Men não sou muito fã de super heróis, mas estou gostando muito de ler sobre a mulher Maravilha e estou ficando bem curiosa com o universo dela.

    ResponderExcluir
  12. Oi Priscila!!
    Esse livro está na minha listinha, mas ainda não consegui comprar.Fui no evento da Arqueiro até achei que dariam ele, mas recebemos outro.
    Parabéns pela resenha!!
    Bjs
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.