Menu

5.10.17

{Resenha} Quando é inverno em nosso coração



Título: Quando é Inverno em nosso coração
Autor: Américo Simões / Pelo espírito de Clara
Editora: Petit
Sinopse: Clara e Amanda são irmãs que cresceram num lar europeu, do final do século 19, quando os casamentos ainda eram arranjados pelos pais. Clara é apaixonada por Raymond, o jardineiro da família. Por ser a filha mais velha, se vê obrigada a se casar com o rico Raphael. Porém, às vésperas de suas bodas é acometida por uma doença desconhecida que a deixa à beira da morte. Para não interromper o acordo entre as famílias, Amanda se casa no lugar da irmã. Mas a troca das noivas não é bem recebida por Raphael, já que havia se apaixonado por Clara. O rapaz não supera a decisão, alheia à sua vontade, e passa a desconfiar de que a doença repentina da jovem é puro fingimento para evitar o matrimônio. Essa paixão não correspondida e um segredo inviolável marcarão para sempre a vida da jovem Clara e de todos que a rodeiam.

Esse livro eu enrolei mesmo para ler, por uma série de motivos. O primeiro deles é que as páginas não são confortáveis para os olhos, são muito brancas, quase transparentes, e doloridas para ler, sinceramente.

Em segundo porque, livros espíritas são muito, muito interessantes, mas sempre tem que nos lembrar que estamos lendo um livro espírita (risos).

Bom, a história se passa no final do século XIX, nos apresenta as duas irmãs, Clara e Amanda, seu pai Ernest, e Raymond, o jardineiro. Todos vivem na casa da família do pai, Ernest, chamada de Recanto dos Pássaros.

Apesar de Amanda ser a irmã mais nova, desenvolveu um senso maternal por Clara, sempre tentando protege-la de tudo.

Clara e Raymond vivem uma paixão secreta, que não dura muito, nessa época ainda era moda os casamentos arranjados, ainda mais entre as famílias ricas para protegerem seu dinheiro.

Clara então, é prometida para Raphael Monie. A família Monie conseguiu suas riquezas através da agiotagem, cobrando juros impossíveis a cada empréstimo.

Raphael se apaixona a primeira vista por Clara, sua beleza é pura e radiante aos olhos do cavalheiro.
Mas temos um problema, Clara é apaixonada por Raymond, um rapaz pobre “sem eira nem beira”, e quem desenvolve sentimentos por Raphael acaba sendo Amanda.

Ainda que as irmãs tentassem fazer o pai mudar de ideia, o casamento aconteceria, elas querendo ou não. Só que, pouco antes do casamento, uma doença misteriosa afeta Clara, deixando-a a beira da morte.

Para não arranjar problemas com a família Monie, Ernest decide casar Amanda com Raphael, ainda que contra gosto. O pai da família Monie aceita e Raphael se casa com Amanda.

Surpreendentemente Clara melhora rapidamente após o casamento da irmã, isso irrita Raphael, que tanto a amava, como pode ela fingir uma doença para não se casar com ele? Um ódio cresce dentro dele, o faz fazer algo terrível com Clara, ainda mais após descobrir que ela preferia se casar com um pobre como Raymond.

A partir desses acontecimentos, novos acontecem, novos personagens nos são apresentados, observamos muitas escolhas por parte de Clara, que por mim, muitas delas são sem nexo (risos).

Livros espíritas quase sempre contam uma biografia de um determinado “espírito” que quis sua vida psicografada. Então sempre teremos uma vida toda de uma personagem para ler, além de muitos e muitos personagens e ensinamentos sobre a filosofia dessa religião.

Minha família quase toda é espirita, por um tempo tentei seguir o espiritismo, mas não sou fã de suas crenças, como o fato de dizerem que já planejamos nossa vida antes de nascer, ou quando minha mãe diz que uma pessoa esquizofrênica está na verdade sendo obsediada por espíritos ruins. Mas cada um com suas crenças.

Particularmente, os livros espíritas me agradam muito, a história por trás das personagens que trazem sempre me prendem, são divertidos e quase sempre muito atraentes. Vale lembrar sempre que esses livros tem um padrão, os personagens enfrentam muitos problemas com si mesmos, até que do nada encontram alguém que seguem o espiritismo que mostra a solução de tudo. Ainda sim, vale a pena dar uma chance a esses livros.

“Quando é inverno em nosso coração”, me atraiu no começo, depois fui começando a enjoar, mas logo recomeçou a me prender, a minha experiência com ele foi essa montanha-russa. Mas foi muito bom ver como cada personagem foi amadurecendo e se modificando, seja pela ajuda que a religião deu a eles ou pela ajuda de outros personagens.

1 comentários:

  1. só o título ja conquista!
    que proposta bacana!

    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.