Menu

25.12.17

{Resenha} Borboleta Negra - Apple White # 1


Oie amores. 
C-H-E-G-U-E-I!


Trago para vocês um dos livros mais lindos e tocantes que li esse ano. 💗
A pessoa aqui está com o coração quentinho e cheio de amor por Edrick e Ashley. 💗
Sem mais delongas, confere aí a resenha.


*livro cedido pela editora

Sinopse:

Inglaterra, 1870.

Na tarde nublada, sir Edrick Bradley, segundo barão de Westling, sente-se atraído por uma misteriosa jovem. Intrigado, segue-a até que esta entre no hotel da vila. Sem entender sua curiosidade, o barão a espera para que possa abordá-la, apresentar-se.
Ao fazê-lo, qual não é a surpresa ao ser prontamente esnobado. Com seu ego abalado, sir Edrick não consegue partir e se dispõe a descobrir o que ocorre com tão bela jovem para rechaçá-lo sem razão. 
Por sua vez, Ashley Walker abomina o indesejado encontro. Por anos morava na vila vizinha e agradecia o fato de jamais ter cruzado o caminho do nobre cavalheiro. Após as despedidas Ashley queria somente voltar para Wisbury e esquecer que vira o novo barão. 
Entretanto, afastar-se não seria fácil. E com a convivência viria a compreensão de que nem todos os senhores eram maus, nem todos os homens eram violentos, egoístas ou aproveitadores. Ante tal descoberta e incapaz de conter os avanços de sir Edrick, a sólida muralha protetiva que Ashley ergueu ao seu redor começaria a ruir. Algo que não poderia acontecer jamais, pois ela era a borboleta negra e, por mais que desejasse experimentar o amor, não servia sequer para ser amante do barão.



Resenha

Livro maravilhoso!
Estória maravilhosa com diálogos que nos transportam ao século dezenove. Cerimoniosos, cheios de mesuras e salamaleques.
É uma estória de amor, mas com desfechos nada humanizados. Onde um homem idoso abusa uma criança/adolescente, a avó joga a neta aos cães, sem sentir o que aconteceu ou ao menos perguntar como aconteceu, para poder culpar a que de direito.

Quem se deu mal foi Ashley Walker, o barão ficou na dele, ninguém toma conhecimento e os que tomam ignoram e a “criatura” de quinze anos é expulsa, está machucada no corpo e na alma, isso em pleno 1870. Sem rumo, sem ninguém à deriva e entregue à própria sorte ou desdita.
Mas Ashley é aquela pessoa que verga mais não quebra, é equilibrada, tenaz e resolve “trabalhar” naquilo que sobrou para ela e tira proveito disso.
É isso ou morrer de fome, ou perder o resto de dignidade que lhe sobrou.


E dentro do seu inferno particular, surge um anjo que direciona a sua vida.
E ela aproveita esta gota de incentivo e a transforma num oceano de possibilidades para outras pessoas tão marcadas quanto ela.
E o destino, a sorte, a revanche, o que seja, resolve interferir em uma situação já acomodada, estabelecida, através de uma chuva, uma carona de coche e aquilo estabelecido, fica frágil, não aguenta e vem à tona com a violência das revelações.

O amor, a fragilidade, o calcanhar de Aquiles de Ashley é o Edrick Bradley, segundo barão de Westling. Ser rejeitado pela primeira vez mesmo se apresentando como barão, não encanta nem fascina Ashley. Isso o intriga e o faz arquitetar vários planos para tê-la.
Lindo, amoroso, impiedoso, que quebra todos os “lacres”, junto às regras da aristocracia da época e se envolve com ela.
Ashley esconde todo o seu passado e seu presente, ainda que ele pergunte. Mas isso será pra sempre?
Ele vai se contentar com informações pela metade? Ashley sabe que Edrick não vai “digerir” o seu passado.


Como reagirá quando ela fugir dele sem nenhuma explicação?
Que atitude Edrick tomará quando descobrir o maior segredo de sua amada?
Ai meu Deus! Sem nenhuma paciência para esperar o segundo volume, mas o que fazer?
Isso é a sina de quem lê séries. Super recomendo!
Foi uma estória surpreendente, fascinante e cenas de tirar o fôlego, tantas outras que nos fazem suspirar e sorrir feito bobas.
Com colocações e linguagem de época foi o que deixou tudo ainda mais incrível.
Drama rondando o casal, nos trazendo pra algo tão “comum” hoje em dia como o abuso sexual, que mesmo na época em que se passava o livro (1870) já era vitimado o agressor e não a vitima que viveu o abuso e tem que lidar com as lembranças pro resto da vida. Edrick me deixou apaixonada e ele foi à luz que Ashley precisava para ver que o amor também poderia ser vivido por ela.
Não tenho palavras negativas sobre a estória, só elogios.


A autora começou a escrever Borboleta Negra em 2013, daí dividiu em dois volumes com capas lindas e totalmente a ver com o estilo da estória.
Nada melhor do que a combinação de romance histórico e de época. Duas junções que são totalmente perfeitas. Só amo!


Por hoje é só amores.
Vou indo. Tchau!


Título: Borboleta Negra - Apple White # 1
Autor (a): Halice FRS
Editora: Ler Editorial
Número de Páginas: 452

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.