Menu

28.12.17

{Resenha} Relatos de um Gato Viajante




Título Original: Tabineko Ripoto
Autora: Hiro Arikawa
Editora: Alfaguara
Sinopse: O gato Nana está viajando pelo Japão. Ele não sabe muito bem para onde está indo ou por que, mas ele está sentado no banco da van prata de Satoru, seu dono. Lado a lado, eles cruzam o país para visitar velhos amigos. O fazendeiro durão que acredita que gatos só servem para caçar ratos, o simpático casal dono de uma pousada que aceita animais, e o marido abandonado pela esposa que ama animais.
Mas qual é o motivo dessa viagem? E por que todos estão tão interessados em Nana e Satoru? Ninguém sabe muito bem o que está acontecendo e Satoru não diz nada, mas quando Nana descobrir o motivo da viagem, seu pequeno coração passará por uma das mais difíceis provas de suas sete vidas.
Narrado em vozes alternadas, esse romance emocionante e divertido nos mostra um jovem de grande coração e um narrador-gato muito esperto, numa amizade que desafia as fronteiras de um país e da própria vida.
“Eu sou um gato, ainda não tenho nome”
Não sei bem como começar essa resenha, na verdade nunca sei como começar as resenhas (risos). Mas vejamos...
“Memórias de um Gato Viajante” definitivamente entrou na minha lista de favoritos. É um livro calmo, fácil de ler, suas poucas páginas transporta o leitor para a visão das personagens.

A narração é mista,  sempre que estamos na visão de Nana, o gato, é em primeira pessoa, quando observamos pela visão de seu dono Satoru, ou de qualquer outro humano, é em terceira pessoa.

A história de Satoru e Nana é emocionante. Nana nos conta, no início, como conheceu Satoru e um pouco dos anos que viveu com ele. Mas tudo realmente começa quando um dia, Satoru pede desculpas a Nana por ter que deixa-lo, após cinco anos convivendo juntos, um imprevisto acontece e é preciso encontrar um novo lar para Nana.

Então conhecemos todos os amigos de Satoru que se disponibilizaram a cuidar de Nana. Cada nova casa um encontramos novo drama familiar, e Nana aproveita desses dramas para achar meios de não poder ficar, seja ignorando o novo dono ou inventando brigas com os outros animais de estimação, ele não quer, de maneira alguma, deixar o lado de seu precioso dono.

No decorrer da história, conhecemos todo o passado triste de Satoru, o motivo de ter que se mudar tanto quando criança, os vários amigos que teve que se separar, seu primeiro querido gato, Hachi, que veio antes de Nana. Tudo isso, pela visão e comentários de Nana.

É interessante tentarmos ver as coisas pelos olhos de um gato, com seu ar superior e seu jeito de expressar carinho.
“[...] Para nós, gatos, todas as coisas deste vasto mundo em que é possível subir são consideradas vias públicas de acesso livre [...] e se você se distrai e deixa uma pegada? Eles surtam, te botam para correr”
O livro todo estava indignada por Satoru estar querendo se livrar de Nana, mas a explicação vem em uma página, através do comentário de um determinado gato que Nana encontra em uma balsa, no compartimento destinado a animais de estimação. E partir disso, tudo começa a fazer sentido e ficar mais e mais triste e mais e mais cresce o desespero de Nana e Satoru para ficarem juntos.

A viagem deles é curta e longa, passam pelo mar, campos de flores e capim que parecem mar, veem arco-iris e veados passeando, a cada nova visita, o vínculo aumenta entre esses dois companheiros.

É realmente muito prazeroso acompanhar esses dois, todo o momento de leitura me passa um sentimento que conheci através de uma entrevista do Hayao Miyazaki, “Ma”, que é aquela cena em todos os filmes em que tudo para, não há dialogo, mostra apenas o cenário calmo ao redor dos personagens, uma sensação de prazer e calma. Todos os livros de autores japoneses que já li passam esse sentimento, e por isso são tão bons de se ler.
"As vezes é preciso fazer uma longa viagem para descobrir aquilo que está perto de você"

1 comentários:

  1. Ooooh eu gostei desse, parece ser bom! E pelo jeito é triste também :') My kind of book haha XD

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.