Menu

5.12.17

{Resenha} Uma bolota molenga e feliz



Título Original: Big Mushy Happy Lumb
Autora: Sarah Andersen
Editora: Seguinte
Sinopse: As incríveis tirinhas de Sarah Andersen são para nós, que não economizamos dinheiro na livraria, vivemos à base de café, deixamos tudo para a última hora, somos especialistas em roubar o blusão alheio, não sabemos nos comportar em situações sociais e insistimos em Pensar Demais. Esta segunda coletânea continua exatamente onde a primeira parou: debaixo de uma pilha de cobertas, evitando as responsabilidades do mundo real. Este volume traz tiras que acompanham os altos e baixos da montanha-russa implacável que é o começo da vida adulta, além de ensaios ilustrados sobre experiências pessoais da autora ligadas a ansiedade, carreira, relacionamentos e amor por gatinhos. Tudo isso com o mesmo tom sincero, leve e divertido que já conquistou mais de 2 milhões de fãs no Facebook.

Sabe um livro que você pega e, meia hora depois, já chegou ao fim sem nem perceber e acaba por desejar lê-lo novamente – e sabe que vale a releitura?

Sarah Andersen, uma vez mais, nos encanta com as tirinhas da verdades – muitas delas coisas do dia-a-dia que às vezes pensamos e fazemos (ou temos vontade de fazer) e não assumimos para ninguém (nem para nós mesmos!).

Me diverti muito, me encontrando em muitas das tirinhas. Logo de cara, a primeira já nos diz sobre aqueles dias que temos tanta coisa para fazer, mas tudo o que desejamos é ficar escondidas debaixo do cobertor. Quem nunca quis ficar quietinha debaixo da coberta e deixar o mundo lá fora queimar? Quando de fato o receio de encarar o dia lá fora bate com tudo e dá até vontade de voltar a ser criança, o tempo que não havia boletos para pagar, pessoas chatas a engolir... Esconder pensamentos e sentimentos que às vezes – na maior parte das vezes – esconder seus sentimentos é cilada e só pode dar errado! Mas você acaba fazendo mesmo assim...

A desenhista perpassa por todas as fases de ser adulto, das pessoais aos relacionamentos amorosos, o quanto é gostoso roubar as roupas do namorado, uma vez que as femininas são terríveis! O jeans apertado com bolsos inúteis! A blusa com penduricalhos e tecido que faz coçar. Quão confortável é aquele moletom velhinho e quentinho, ainda mais se pertencer a pessoa que amamos, pois o cheiro que tem, o cheiro do amor, é a melhor coisa do mundo! Eu já roubei duas blusas de frio do meu amor, huahuahuha! E não, não pode ser dada... tem que ser roubada, é isso que a torna especial! E nossa bolotinha molenga e feliz sabe muito bem disso, é uma especialista!

O diferencial que encontrei entre este e o livro anterior da autora é que algumas tirinhas meio que viraram histórias, narrativas curtas sobre ansiedade em relação a interagir com as pessoas lá fora. Como uma simples festa pode ser torturante... Se você for e não encontrar ninguém que conhece, ou seus amigos se fecharem com outras pessoas que eles conhecem e você ser deixada de lado? Como Pensar Demais atrapalha nossas relações sociais – a mim é um tormento enorme, sou quase uma tapada social. Pode não parecer, mas é porque tem aqui uma tela entre nós, huahuahuha! – e muitas vezes deixamos de fazer coisas por conta dessa ansiedade.

Também vem nos falar da idolatria aos gatos que tem na internet e como ela lidou com isso – e se tornou uma idólatra de gatos também!

Ela deve sempre se basear em sua própria vida e experiências... É muito divertido acompanhar e tive a chance de mostrar as tirinhas para outra pessoa, que riu e também se identificou em poucos minutos com nossa bolotinha molenga!


Recomendo a leitura desse livro – e seguir a Sarah Andersen nas redes sociais, vai tornar seu facebook melhor, acredite! – para tornar seu dia mais divertido e leve. Irá perceber que todas as neuras que giram na sua cabeça podem estar girando também na cabeça de outras pessoas... Então respire fundo, pegue seu cobertor e sente-se no sofá para ver Netflix... Às vezes é tudo o que você precisa – e seu amigo também!

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.