Menu

7.7.17

{Dica de Leitura} Beatriz Castro



Conheci uma autora excelente nesses grupos da vida, que está se firmando cada vez mais na carreira de escritora, com obras incríveis: Beatriz Castro! Vou mostrar para vocês o novo livro dela:

Pietra

Sobrevivência #1

A que ponto você chegaria para salvar a sua família?
O que você arriscaria?
Até onde iria chegar?
Pietra é uma jovem de 19 que se vê diante de um grande dilema: ver a si mesma e a sua família passando fome ou ocupar o lugar do irmão como provedor. Em Londinium, Centro do Estado do país de Pietra, um homem por família deve trabalhar para que a mesma receba alimentação e suprimento e, após a morte do pai, a responsabilidade recai sobre os ombros da jovem. Em meio a diversos problemas e conflitos que deve resolver, Pietra é a única esperança para salvar sua família e, quem sabe, ainda mais.
O livro mistura uma Mulan futurística com distopia e uma leve pitada de romance. Te convido a conhecer uma história de ficção com fundo de realidade e a pensar temas como meio ambiente, diferença de gêneros e a luta pela igualdade entre os povos.

Beatriz Castro

Escritora de ficção científica e fantasia, se apaixonou pela leitura assim que aprendeu a ler aos quatro anos de idade. Formada em Letras (Português-Francês) pela UFRJ e cursando mestrado em Letras Clássicas na mesma instituição, Beatriz sempre foi uma devoradora de livros. Ainda no Ensino Médio ganhou dois prêmios de escrita, sendo um pela Embaixada Americana no Brasil e outro pela Academia Brasileira de Letras. Com a faculdade, se afastou um pouco de sua amada escrita, mas retornando em 2016 com seu livro Pietra, que já tem mais de 25 mil leituras no Wattpad e é o primeiro livro da Trilogia Sobrevivência, conseguiu se achar novamente. Além de Pietra, que será lançado em versão física na Bienal, Beatriz também lançou o livro Belas Monstruosidades, que traz contos de fadas com uma visão mais monstruosa. No ano de 2017, já foi selecionada para mais de cinco coletâneas e antologias com seus contos. Para o conto da seleção da Taverna, escolheu um viés voltado mais para a ficção científica, questionando até que ponto nós devemos nos afastar dos perigos do mundo.
Além de escritora é revisora, tradutora e contadora de histórias e tem uma coluna literária na revista Litere-se.

Se você irá na Bienal do Rio de Janeiro, irá encontrar a Bia em dois dias realizando sessões de autógrafo: 01/09 às 14hs e 03/09 às 10hs na Ler Editorial, Pavilhão azul, estande H-29 em frente à Rocco.

Beatriz nas Redes


Onde comprar: Mercado Livre||Amazon

6.7.17

{Dica de Jogos} Stardew Valley


Acho que como muitas pessoas, também gosto de jogar – para além de ler, é claro! – e sempre quis fazer algo do gênero aqui no blog, então resolvi começar com um jogo que jogo bastante!

Na verdade, é um estilo de jogo que me agrada muito. Jogos que imitam vida no campo e talz. Comecei com Harvest Moon, mas nunca foi capaz de me satisfazer por completo, sempre enjoava depois de muitas horas de jogo, acho que cheguei a dar final em apenas um deles, de... Supernintendo, se não me engano.

Mas sempre joguei os outros, então um belo dia navegando pelas águas internéticas, me deparei com Stardew Valley e fiquei: 
Eu preciso ter esse jogo!
Stardew Valley é uma versão melhorada e com muito mais coisa para se fazer!

Ele é pixelado, para os jogadores old school gostarem, os gráficos ficaram bem bonitinhos. E foi isso que me atraiu, também. Mas vamos partir do começo: seu ou sua personagem.

Stardew Valley te permite uma infinidade de criação de personagem, com alteração de cabelo, tons de cor, tipos de roupa, bichinho de estimação preferido, sua comida preferida... É tudo bem personalizado, você deixar a pessoinha do jogo com a sua cara!

Acervo pessoal
Depois de tudo criado bonitinho, nome da fazenda – e o tipo de fazenda - escolhido, você é direcionado a história do joguinho: cansada de trabalhar na indústria cinza da cidade, lembrando-se de seu avô contar sobre os dias na fazenda com alguma nostalgia, você acaba por encontrar uma carta dizendo que agora as terras são suas, que aquela vida sim é valorosa e muitas outras coisas. Aí então você parte em busca de seus sonhos, para honrar a memória de seu avozinho amado!

Retirada da internet~
Só que quando você chega lá, vê que a coisa tá pior do que imaginava... Vai ser difícil colocar a fazenda para funcionar 100%, mas as pessoas da vila próxima estão dispostas a te ajudar, elas também querer ver a fazenda brilhar! Em especial o Prefeito, que é uma figurinha.

A amizade é muito importante nesses joguinhos, então é sempre bom investir algum tempo conversando com as pessoas da cidade e dando presentes. Elas vão retribuir como puderem, como uma boa amizade deve ser! Na base da confiança e da troca! Tem coraçõezinhos que identificam o quão próximo você está de alguém.

E algo diferente desse jogo é: há solteiros e solteiras com os quais você pode se casar. Tá, todo joguinho desse estilo tem isso, mas Stardew Valley é mais evoluído e, se você tiver uma personagem mulher e quiser se apaixonar por outra mulher, vocês poderão se casar. O mesmo vale para os homens. Achei isso bem legal, não ficou só na relação heterossexual que vi em alguns outros jogos do mesmo estilo. E você pode ter filhos, seus mesmos e adotados!

Acervo pessoal
A fazenda é enorme, tem uma caverna, tem uma Greenhouse... Você precisa evoluir suas skills, suas ferramentas, criar coisas para seus animais, limpar a fazenda... E ainda tem corvos que tentam roubar suas sementes! Fora o clima que pode ajudar ou pode danificar tudo! E meteoros, fadas e bruxas!

Há muitas coisas para serem feitas em Stardew: há pequenas tarefas que as pessoas da vila te pedem para cumprir, que te dão gold ou itens em troca. Além da sua fazenda, há duas dungeons onde você minera e mata monstros! E são enoooormes!

E também, na cidade, há um centro comunitário há muito abandonado e que o Prefeito pede sua ajuda para voltar a dar vida aquele lugar. E, conforme vai jogando, você vai percebendo que há muito mais que teias de aranha naquele lugar... Pequenos espíritos da floresta aparecem para te ajudar e vão consertando coisas na cidade também! 

Acervo Pessoal
Como é típico, há os festivais que te ajudam a ficar mais amigos das pessoas e também conseguir itens da estação que você normalmente não conseguiria.

Mas, como em todo lugar, a tecnologia está presente também em Stardew Valley, uma comporação individualista quer tomar conta do lugar e você não pode deixar, não é?!

Acervo Pessoal
O jogo é muito divertido, a cada nova atualização ele fica melhor! Ele é produzido pelo ConcernedApe, jogável via PC, Xbox One e PS4, em diversas línguas já traduzidas!

Conheça o site oficial: http://stardewvalley.net/

Sinopse:

Você herdou a velha fazenda de seu avô em Stardew Valley. Armado com ferramentas rudimentares e algumas poucas moedas, você busca começar uma vida nova. Será que você consegue aprender a viver nessa terra e tornar esses campos frutíferos em seu lar? Não será fácil. Desde que a Joja Corporation chegou na cidade, a antiga forma de viver desapareceu. O centro da comunidade, outrora rico em atividades e movimentação, agora jaz em frangalhos. Mas, o vale parece estar cheio de oportunidades. Com um pouco de dedicação, você pode ser aquele que vai restaurar a grandeza de Stardew Valley!
Transforme esses campos frutíferos em fazendas habitáveis! Crie animais, cultive plantações, faça um pomar, confeccione máquinas úteis e muito mais! Você terá muitos espaço para criar a fazenda dos seus sonhos.
Melhore suas habilidades com o tempo. Aumente seu nível, indo de um novato desajeitado até um mestre fazendeiro, você poderá melhorar até 5 áreas diferentes: arming, mining, combat, fishing e foraging. Conforme você avança, aprenderá novas habilidades culinárias e receitas de fabricação, poderá desbloquear novas áreas para serem exploradas e customizar suas habilidades, escolhendo entre uma variedade grande de profissões.
Torne-se parte da comunidade local. Com mais de 30 personagens diferentes vivendo em Stardew Valley, você não terá problemas para achar amigos! Cada pessoa possui sua própria rotina diária, aniversário, animações e falas durante a semana e o ano. Conforme você se torna amigo deles, eles se abrirão para você, pedirão sua ajuda em seus problemas, ou contarão seus segredos! Participe dos festivais sazonais, como o Lual, o Labirinto Assombrado e o Festim da Estrela do Inverno.
Onde adquirir: Steam/GOG

E aí, o que achou dessa dica de jogo? Deixe nos comentários sua opinião e também uma recomendação de jogo para eu conhecer!!!

5.7.17

{Resenha} Hilda e o Troll


Título: Hilda e o Troll
Autor: Luke Pearson
Editora: Quadrinhos na Cia.
Sinopse: Hilda adora aventuras, seja acampar numa noite chuvosa ou ir até as montanhas desenhar pedras. Mas ela não estava preparada para uma rocha em forma de troll, um homem de madeira misterioso, uma floresta assustadora e um sino tilintante.
Inspirado no folclore nórdico, este quadrinho cria um universo deslumbrante, de onde crianças e adultos não vão querer sair.




Hilda é o tipo de menina que adora se aventurar por aí e procurar pelo desconhecido. Com o seu belo guia sobre Trolls e Outras Criaturas Perigosas, ela se prepara para os monstros que possa vir a encontrar, em especial algum Troll, afinal descobrir um deve ser uma aventura e tanto, não?

Pois bem, a história começa quando ela decide caminhar pelas colinas onde mora, à procura de pedras para poder desenhá-las, quando encontra uma Pedra Troll.

Como todos devem saber, Trolls são vulneráveis ao Sol, por isso ocorre o processo de petrificação, embora não pareça ser algo muito confortável. Apesar do disfarce há alguns métodos para se detectar um troll em petrificação e isso é, pelo seu nariz longo.

Após o achado, Hilda, obviamente, seguindo o que sua leitura (inacabada, inclusive) do tal guia lhe informara, pendura um pequeno sino no nariz do sujeito. Assim, quando a noite cair, se a pedra se mover, ela saberá.

O que ela não esperava era ter o Troll a seguindo até sua casa no meio da noite...
"Bom, chegou a nossa hora. A gente sabia o risco que estava correndo. Hora de acertar as contas com o destino cruel..."
Bom, eu não pretendo contar o que acontece em seguida, pois a história é na verdade bem curta. Mais curta do que eu achei que fosse ser, sinceramente, por isso não tenho muito o que dizer a respeito dela, sem estragar o final.

O autor Luke Pearson na verdade, fez toda uma série com a personagem Hilda, contendo vários títulos que contam as aventuras dessa menininha divertida.

Confesso que fiquei um pouco decepcionada pelo tamanho da história, mas me bateu um certo alívio por saber que haveria mais a ser contado sobre a personagem. Além disso gostei bastante dos traços da história e acho que elas combinaram perfeitamente com as cores.


Ele tem um "quê" de história infantil, mas acho que vale para todas as idades. Uma coisa bem legal que eu gostaria de mostrar também são as páginas finais do livro que mostram um pouco do processo de criação do autor (pelo menos eu, como artista, adorei poder ver!). Algumas anotações e pontuações de mudanças no design de personagens, ideias de cenas e etc.


Eu sei que não são muitas as pessoas que gostam de quadrinhos e eu acho que eu me prendi mais à esse livro como artista, como alguém que está começando uma história em quadrinhos, do que como leitora em si. Não sei se tenho um jeito melhor de explicar, mas enfim, acho que crianças com certeza adorariam ler esse e os outros futuros livros que serão lançados, da mesma série, por ser carregado de aventura e ainda mais por ter uma protagonista feminina aventureira, acho que isso é algo a ser pontuado! Afinal, o que eu e provavelmente muitas outras pessoas costumam ver de livros infantis e juvenis são de garotos com esse papel e acho que é uma bela mudança de leitura :)

4.7.17

{Resenha} A Filha do Sangue - Trilogia das Joias Negras - Livro Um


Autor: Anne Bishop
Editora: Saída de Emergência
Ano: 2014
Sinopse: O Reino Distorcido se prepara para o cumprimento de uma antiga profecia: a chegada de uma nova Rainha, a Feiticeira que tem mais poder que o próprio Senhor do Inferno. Mas ela ainda é jovem, e por isso pode ser influenciada e corrompida. Quem a controlar terá domínio sobre o mundo.
Três homens poderosos – inimigos viscerais – sabem disso. Saetan, Lucivar e Daemon logo percebem o poder que se esconde por trás dos olhos azuis daquela menina inocente. Assim começa um jogo cruel, de política e intriga, magia e traição, no qual as armas são o ódio e o amor. E cujo preço pode ser terrível e inimaginável.

Resenha:

Olá pessoal!! Em primeiro lugar, gostaria de pedir desculpas pelo sumiço... Já faz um tempinho que não aparece nenhuma resenha minha aqui e confesso estar bastante atrasada nas minhas leituras (nesse momento a Pri já deve estar pensando na melhor maneira de me matar sem ser presa) hahahaha. O motivo é que estou tentando conciliar trabalho, blog e estudos, e estava em processo de estudo para duas provas de concurso... Que por sinal não consegui me dedicar 100% por sempre ficar preocupada com o que estava devendo pro blog, e tudo virou uma bola de neve.

Enfim, voltei! E voltei trazendo a resenha de um livro sensacional que eu estava louca para ler. Acho as capas dos livros dessa trilogia muito bonitas, e a edição está um capricho!! Apesar disso, encontrei muitos errinhos pequenos de digitação que me incomodaram um pouco pela quantidade. Uma letrinha a mais aqui, uma a menos ali, letrinhas trocadas mais adiante, e fiquei um pouco decepcionada com o trabalho de revisão do texto. Mas em compensação, a história...

Já no princípio do livro, há uma carta do editor, um prefácio da autora e um resumo dos personagens, das joias e da hierarquia dos Sangue conforme suas castas, tudo para tentar explicar um pouquinho deste mundo fantástico criado por Anne Bishop. Confesso que me senti bastante perdida no início da história, mas logo passamos a compreender, e essas primeiras páginas ajudam muito.

No enredo de A Filha do Sangue, conhecemos um mundo de magia atrelada a joias, sejam essas adquiridas por direito de progenitura ou por cerimônias de Oferenda às Trevas, em que a pessoa pode descer até três categorias, passando a ter uma joia bem mais poderosa. São treze cores, da branca à negra, sendo a negra a mais poderosa e rara de todas.

Os Sangue, como são chamados esses personagens, são divididos em castas, em que a mais poderosa de todas é a Rainha, o ponto central da sociedade, a feiticeira que rege todos os Sangue. Entre os machos, a casta mais poderosa é a dos Príncipes dos Senhores da Guerra, que ficam ligeiramente abaixo da Rainha.

A história gira em torno de Jaenelle Angelline, uma menina de 12 anos, também conhecida como “Feiticeira”. Jaenelle é a personificação de uma antiga profecia sobre uma poderosa feiticeira que se tornaria a Rainha das Trevas. É uma personagem cativante, misturando a inocência e ingenuidade da infância com poderes incalculáveis. Um pouco rebelde e irresponsável, enche de preocupação todos que sentem uma ligação especial com ela, mas ninguém consegue ficar bravo por muito tempo.
“Ele não a tocou. Não confiava em si mesmo o suficiente para controlar o ciúme e o despeito que o queimavam enquanto olhava para ela. Preferia ficar com a família e ser tratada daquele jeito a ficar com ele, que a amava com todo o seu ser, mas a quem não era confiada a sua proteção pois era um Guardião, era o Senhor Supremo do Inferno.”

Entre seus protetores e aliados, que juram servi-la quando Jaenelle se tornar Rainha, estão os homens mais poderosos que se poderia imaginar. Saetan é o Senhor Supremo do Inferno. Com uma apresentação dessas, imaginamos que ninguém poderia ser mais forte que ele, porém, nosso diabão fica em segundo lugar entre os machos. Daemon é o macho mais forte na história dos Sangue. Filho de Saetan e Tersa, é um escravo sexual nas cortes de Dorothea e quaisquer outras rainhas que ela deseje que ele sirva. Lucivar, o terceiro macho mais forte, filho de Saetan e Luthvian, também foi escravizado para servir às cortes de Dorothea, porém, seu temperamento faz com que seja preso em um reino distante.

“Lucivar era eyrieno. Jamais sobreviveria nas ilhas de sal de Pruul. Naqueles túneis, com o sal e o calor, sem espaço para abrir as asas, sem ar para secar o suor. Havia uma dezena de fungos que poderiam infectar a pele membranosa e corroê-la. E sem asas... Um guerreiro eyrieno não era nada sem as suas asas.”

Com essas nomenclaturas e descrições, eu imaginava que iria odiar esses três personagens, como se eles fossem totalmente do mal, os grandes vilões da história. Porém, não foi isso o que senti.

Me apeguei bastante a Saetan, que passa aquela imagem de paizão, cuidando com zelo de Jaenelle e treinando a menina na arte da magia.

Quanto a Daemon, é aquela figura masculina apaixonante. Espera pela mulher dos seus sonhos, e se assusta ao encontrá-la em uma criança. Mas ele está disposto a esperá-la, ensiná-la e servi-la quando chegar a hora. Ainda assim, pode ser agressivo e extremamente violento com quem atrapalha seus planos.

“Sim, era lindo. Seu rosto era uma dádiva da sua misteriosa herança, aristocrático e moldado de forma tão harmoniosa que não poderia ser simplesmente caracterizado como belo.Ele era alto e tinha ombros largos. Mantinha o corpo tonificado e musculoso o suficiente para agradar. Sua voz era profunda e culta, com uma ponta sedutora de rouquidão que enevoava a visão das mulheres. Os olhos dourados e os densos cabelos negros eram típicos das três raças de longevidade prolongada de Terreille, embora sua pele castanho-dourada, de tons quentes, fosse mais clara do que a dos aristocratas hayllianos – mais parecida à da raça Dhemlan.Seu corpo era uma arma e ele mantinha suas armas bem afiadas.”

Lucivar não me chamou muito a atenção por enquanto, mas creio que terá uma maior participação nos próximos volumes.

Definitivamente não é um livro fácil de se ler e de se compreender. Além da questão de ser uma história realmente complexa, com tantas informações às quais devemos ficar atentos desde o início, a autora também pode incomodar um bocado ao abordar questões como prostituição, incesto, estupro de crianças, castração (chamada aqui de raspagem), além de descrever cenas um tanto quanto sensuais ou eróticas. Particularmente, não me incomodou a ponto de abandonar a leitura. Claro que algumas vezes nos revoltamos contra alguns personagens, mas nunca contra a autora, que conseguiu abordar os temas e construir seus personagens com personalidades únicas e distintas, deixando a critério do leitor amá-los ou odiá-los.

Não vejo a hora de ler o segundo volume, já que no final do livro, temos uma provinha do que está por vir... Recomendo a leitura!

“Corpos em carne e osso e sangue. Teias que delimitavam as fronteiras internas. Cálices de cristal que continham as mentes. Joias para poder. As imagens rodopiavam e se alternavam várias vezes. Quando, por fim, formaram o triângulo de quatro lados dos Sangue. Três lados – corpo, cálice e Joias – encerravam o quarto lado, o Eu, o espírito que une os outros três.”

3.7.17

{Lançamentos} Julho: Editora Hyria


A Editora Hyria está com diversos lançamentos este mês!
Tem para crianças, tem para adolescentes, tem para área profissional... Confira abaixo e lembre-se: se clicar no título dos livros, será redirecionado à página do mesmo no site da editora!

Esther sem frescura 

Esther Marcos

Lançamento: julho de 2017
Edição: 1ª
Páginas: 128
Esther sem Frescura é um livro de Esther Marcos publicado pela Editora Hyria. Nele, a jovem atriz e cantora nos leva a conhecer de perto o seu mundo, em um relato em primeira mão, repleto de histórias exclusivas sobre sua vida e carreira. A busca pela positividade é um tema recorrente em Esther sem frescura. A atriz discute a pressão da sociedade atual pelos padrões de beleza, que costumam ser mais valorizados do que a gentileza, o caráter e a personalidade – mas garante que a chave para estar bem consigo mesmo é, acima de tudo, ter amor-próprio e apoio da família e dos amigos. Apesar de ainda não saber ao certo o que o futuro lhe reserva, Esther Marcos garante aos fãs que continuará a atuar e cantar, e deseja, mais do que qualquer outra coisa, ter uma vida feliz.

Sala de vacinação 

Maria Cristina Martins Alvarenga

Lançamento: julho de 2017
Edição: 1ª
Páginas: 122
Diferente de outras áreas no ambiente da saúde, a sala de vacinação não trata de nenhuma enfermidade específica; pelo contrário, sua função é fornecer imunização às pessoas, a fim de evitar que fiquem doentes. Para tal, deve-se ter um ambiente propício, no qual se preza por limpeza e organização e que transformam-se em eficiência.
Esse é o foco do livro Sala de Vacinação. Concebido conforme as diretrizes fornecidas pelo Ministério da Saúde, esta obra é voltada para os profissionais da área da saúde que atuam em salas de vacinação de todo o Brasil. Seu caráter informativo trata da importância que deve ser dada ao espaço físico dos ambientes de vacinação, como também à qualidade do serviço prestado à população.

EMDR: uma galerinha da hora 

Nair Pontes


Lançamento: julho de 2017
Edição: 1ª
Páginas: 28
Edu, Mari, Dani e Rico são quatro amigos que numa manhã ao irem para a escola se depararam com um parque de diversões. Só que problemas como o medo do escuro, fazer xixi na cama, bullying e ansiedade os impediam de se divertir naquele mundo mágico e colorido. Até que descobriram o EMDR, as iniciais de seus nomes que também eram a sigla de uma terapia inovadora. Daí para frente tudo mudou...

2.7.17

{RESENHA} Fera


Título Original: Beast
Autora: Brie Spangler
Editora: Seguinte
Sinopse: Dylan não é como a maior parte dos garotos de quinze anos. Ele é corpulento, tem quase dois metros de altura e tantos pelos no corpo que acabou ganhando o apelido de Fera na escola. Quando ele conhece Jamie, em uma sessão de terapia em grupo para adolescentes, se apaixona quase instantaneamente. Ela é linda, engraçada, inteligente e, ao contrário de todas as pessoas de sua idade, parece não se importar nem um pouco com a aparência dele. O que Dylan não sabe de início, porém, é que Jamie também não é como a maioria das garotas de quinze anos: ela é transgênera, ou seja, se identifica com o gênero feminino, mas foi designada com o sexo masculino ao nascer. Agora Dylan vai ter que decidir entre esconder seus sentimentos por medo do que os outros podem pensar, ou enfrentar seus preconceitos e seguir seu coração.
Narrado em primeira pessoa, Fera, nos conta a história de Dylan, um rapaz de quinze anos com quase dois metros de altura e pelos por todo o corpo, cujo crescimento ele não tem controle sobre. Obcecado por sinais de seu pai morto, reza a ele sempre que tem dúvidas, pedindo um sinal.


"-- Pai – sussurro nas sombras. -- Por favor, me mande um sinal, caso eu tenha feito algo que não deivia. Por favor" 

Apesar de sua aparência, é inteligente, sonha alto, querendo estudar medicina e entender o câncer e como funciona.  


Logo no inicio, Dylan é levado ao hospital pois caiu do telhado de sua casa quando tentava pegar uma bola de futebol americano. No hospital com a perna quebrada em três lugares diferentes, ele confidencia ao médico que queria ser capaz de "mudar". O médico logo entende que o rapaz possui problemas de autoestima e sugere terapia em grupo.

Sendo obrigado por sua mãe, Dylan vai a terapia por um dia, para ver como é. Lá encontra Jamie, a garota mais bonita que já viu. Porém, por não gostar da ideia de precisar de terapia e se achar superior as garotas que estão lá por se cortarem, ele se desliga de tudo e não ouve Jamie dizer algo importante. 

"[...] A Dra.Burns assente com a cabeça e olha para mim. --Dylan? Você gostaria de acrescentar algo? 

"-- Eu não me corto com lâminas de barbear – digo. -- Então não acho que deveria estar aqui." 

Após a sessão, Dylan encontra Jamie tirando fotos do lado de fora e vai conversar com ela. Mas Jamie ainda se lembra de quão ofensivo ele fora na sessão e acaba não querendo falar muito. No entanto, o papo flui entre ambos, criando uma conexão. 

" -- Você é terrível. 
"-- Você quis dizer horrível. 
"Jamie segura uma taça invísivel. 
"A nós, as pessoas mais horríveis do mundo."

Os dois entram em um pequeno relacionamento, mas a mãe de Dylan não aprova e ele não entende o motivo. É incrível que alguém goste dele.  

Dylan somente percebe que namora uma garota trans, quando ela o visita na escola e seu melhor amigo JP, age estranho, expondo Jamie. Então, ele acaba com tudo o que tinham.  
Cheio de dúvidas, Dylan não consegue entender por que se apaixonou por um garoto de saia. Isso quer dizer que ele é gay? O seu pai aceitaria? E se algo acontecer com Jamie por ela ser trans e as pessoas serem preconceituosas? 

Então, a história nos mostra esses conflitos de Dylan, tanto com Jamie quanto com JP, seu melhor amigo rico e perfeito, as mulheres se jogam aos seus pés, mas seu maior problema é uma mãe alcoólatra e violenta, e também o fato de usar Dylan para cobrar as pessoas que devem a ele. Mas nosso protagonista não aguenta isso e acaba se afastando, sentindo falta de ambos, a garota que gosta e de seu melhor amigo. 

Eu particularmente adorei o livro. A narrativa é simples, você sente um pouco de raiva do personagem quase o tempo todo, ainda mais por ele basear a vida em sinais de alguém que já morreu. Apesar de ser gigante e bater nas pessoas fazendo jus ao seu apelido, "Fera", ele só queria ser um adolescente normal de quinze anos de idade. 

Uma coisa que não gostei foi a sinopse contar de cara que Jamie é trans, acho que seria uma surpresa maior se descobríssemos ao mesmo tempo que o personagem.  

A autora, Brie Spangler, é um amorzinho, nos agradecimentos no fim do livro ela dá diversas informações, centros de apoio e um glossário com algumas definições de gêneros caso o leitor se perca. 

Deixo então um incentivo para lerem esse livro diferente, invistam em histórias novas! E as palavras da autora: 

"Amor é amor. Desejo a todos os casais felicidade, alegria e a liberdade de poder discutir coisas estúpidas, como quem vai usar o controle remoto e por que as meias estão largadas no chão quando o cesto de roupas está logo ali."