Menu

20.10.17

{Resenha} Belinda



Autora: Maria Edgeworth
Editora: Pedrazul
Sinopse: Mrs. Stanhope fez de tudo até conseguir que a dama mais elegante e influente de Londres, a notória Lady Delacour, convidasse sua última sobrinha solteira para passar uma temporada com ela. A esperança da tia era que Belinda conseguisse, como as suas demais primas, um marido bom e rico. Entretanto, Belinda foi jogada num tumulto social, e acabou se envolvendo nos conflitos familiares da aristocrática família Delacour. Enquanto a belíssima Lady Delacour tenta chamar a atenção de Mr. Clarence Hervey e outros cavalheiros para si com coquetismo, vivendo uma agitada vida social como se o mundo fosse acabar amanhã, ela enfurece Lorde Delacour, causando uma tragédia. Na verdade, a dama esconde um grande segredo que é descoberto por Belinda. Em meio à agitação da sociedade londrina, o coração da jovem Belinda é tocado por Mr. Hervey - mas ele está comprometido com outra moça. Resta a Belinda se casar com Mr. Vincent, o protegido da sóbria e racional família Percival.

"Belinda" é a história envolvente de uma mulher jovem e forte, que luta para manter sua integridade mesmo estando sob a tutela de um mau exemplo experiente na forma de uma dama admirada e elegante.
“Belinda era bela, graciosa, cheia de vida e altamente prendada; sua tia se esforçara para ensiná-la que o principal de uma jovem é agradar na sociedade, que todos seus encantos e talentos deveriam invariavelmente subordinados ao único grande objetivo de estabelecer-se no mundo:
‘Para tal, mãos, lábios e olhos foram postos em treinamento,
E cada feição ensinada tinha seu papel.”
Belinda é o primeiro romance de Maria Edgeworth que li. Sei que ela foi muito famosa em sua época, a ponto de ter seus livros mencionados em obras de Jane Austen (minha autora de inglês clássico favorita). O livro foi escrito em 1801, há mais de 200 anos atrás e carrega todos os conceitos de seu século, bem como preconceitos... O que o fez ser um pouco difícil de ler. Belinda é uma protagonista forte... Mas as outras personagens que a cercam, não. Irei explicar, calma, calma!

Não sabemos a origem da protagonista, quem são seus pais ou onde ela nasceu. Sabemos que ela, junto com outras meninas (sendo que algumas delas são suas irmãs) foram criadas pela Mrs Stanhope, uma senhora caçadora de bons partidos para as meninas que coloca sob sua asa, criadora de comportamentos e situações para capturar corações de homens desavisados. Tal reputação é negativa, a ponto de todas as meninas que ela apresentou à sociedade terem má fama, apesar de terem casado muito bem, com homens com algumas dezenas ou centenas de libras por ano. O que, para a época, é muito desejável... Embora, depois de casadas, as jovens fiquem mal faladas nos círculos da sociedade.

Belinda é a última das jovens que precisa dos conselhos e indicações de casamento de Mrs. Stanhope, cuja idade já não lhe permite acompanhar a moça nos encontros sociais. Então ela opta por encaminhá-la para umas das ladys mais influentes no momento: Lady Delacour. 
“Quando menos se espera, uma moça dessas vai se encontrar com trinta e cinco ou trinta e seis anos, sendo um fardo para sua família, desprovida de meios de se tornar independente (pois as jovens de quem falo nunca pensam sequer em ‘aprender’ a jogar suas cartas), indesejadas pela sociedade, porém obrigadas a permanecer com seus conhecidos, que desejam vê-la no céu, pois ela é inapta a retribuir às civilidades com o retorno esperado por não ter um lar, quero dizer, não ter uma renda, uma casa, etc., mas é perfeita para receber companhia de uma certa classe.”
O casamento é a única saída para as mulheres da época. Não há trabalho para as mulheres da alta sociedade, então elas precisam casar-se com homens que possam sustenta-las. Lady Delacour é casada e muito ativa na sociedade, embora não encontre felicidade na “vida doméstica”, então sua vida são os círculos sociais, as extravagâncias e as festas. Idas ao teatro, jantares... Ela precisa ser admirada por todos os jovens e invejada por todas as mulheres, apenas isso a faz feliz. E a atenção que mais lhe agrada é do jovem Clarence Harvey. E nossa querida Belinda vê-se atraída por ele, mas sua modéstia e humildade a impedem de expressar tal atração. E a falta de incentivo por parte dela também impedem o jovem de se aproximar romanticamente de nossa protagonista... Também o fato dela ser uma das pupilas de Mrs. Stanhope.

Belinda é muito comedida, age sempre pela razão. Enquanto sua nova guardiã, Lady Delacour, é impulsiva e age conforme seus desejos, sem querer saber das consequências. E a racionalidade de sua amiga lhe incomoda a ponto de Delacour sempre lhe provocar para ver até onde a calma da jovem vai... E sempre é surpreendida. Belinda é firme em suas convicções a ponto de todos ao seu redor admirarem-na, embora admirem sua protetora mais. 

Vamos falar um pouco de Clarence Harvey.

Ele é um babaca.

Pronto, vamos continuar. Huahuhuha

Brincadeira. Ele no começo é um personagem bem escroto... Tem amigos mais escrotos ainda. Não sei como as mulheres se apaixonavam naquela época, talvez é por isso que foram criados os casamentos por conveniência, por alianças... Porque os pais deviam perceber o quão tapados eram seus filhos e sabiam que, se não comprassem uma noiva, nenhuma mulher iria deseja-los. É claro que Harvey faz o estilo bonitão... No passar dos capítulos, ele vai melhorando, vemos o quão inteligente ele pode ser. Mas conforme vamos descobrindo mais sobre ele... Bem, eu cheguei a conclusão de que ele é alguém que eu não iria desejar para meu círculo de amigos.

Conhecemos também Mr. Vincent. Ele sim seria um bom partido, depois de resolvidas algumas questões. Ele e Belinda tiveram uma boa conversa, uma boa química. É um jovem filho de mercadores jamaicanos, bem exótico para a época... Também seria um bom par para nossa protagonista.

A história toda gira ao redor de Lady Delacour e suas (des)aventuras. Belinda torna-se sua fiel amiga, tentando mostrar e provar a ela as delícias da vida doméstica, algo que a Lady até o momento achara enfadonho e infeliz. Sua antagonista em comportamento é a doce Lady Anne Percival, uma criatura feliz e cuidadora, extremamente terna e incapaz de ferir alguém.

A estória, como eu disse, carrega todos os preconceitos existentes no início de 1800, embora Belinda tenha alguns pontos firmes e fortes. As mulheres que fazem o que querem são mal vistas, os homens acham que as mulheres precisam lhes servir... Eles podem beber e achar que as mulheres devem agir de tal modo para serem desejáveis... E que tudo que elas desejam é casar-se. É a realidade da época, mas me incomodou bastante.

A escrita da autora é agradável, os personagens são muito bem construídos. Nos apegamos a alguns, desgostamos de outros. Todos possuem suas funções. Os diálogos são inteligentes e sagazes, o que torna bem divertido escolher um personagem favorito – ou descobri-lo. 

A diagramação é bem agradável, cada capítulo possuí um título associado ao que irá acontecer nele. Há ilustrações em alguns locais do livro, retratando as situações em que os personagens estão. Também percebi alguns errinhos de português, mas nada que atrapalhe a leitura.

É uma história boa de se seguir, embora eu acredite que o ritmo seja ligeiramente devagar por culpa da própria estória. Eu gostei bastante, foi meu primeiro livro também da Pedrazul Editora e a qualidade é muito boa!

19.10.17

{Resenha} Fortaleza Impossível


Título Original: The impossible fortress
Autor: Jason Rekulak
Editora: Arqueiro
Sinopse: Um trio de garotos esquisitos e uma nerd brilhante que esconde um grande segredo.
Um inesperado romance que nasce em meio a computadores e disquetes.
Um ousado e perigoso assalto para roubar a edição de maio de 1987 da revista Playboy, com imagens escandalosas de uma famosa apresentadora de TV.
Todos esses elementos se unem para compor Fortaleza Impossível, um romance que fará você rir, se emocionar e recordar a maravilhosa sensação de se apaixonar por algo – ou alguém – pela primeira vez.
Tudo se inicia quando a maior apresentadora de televisão dos anos 1980 vai sair na revista playboy: Vanna White. Todo garoto da época era apaixonada por ela e todos querem ter a revista em mãos.

Com Billy, Alf e Clark não poderia ser diferente. Os três, garotos de 14 anos, montam um plano mirabolante para conseguir comprar a revista na loja de máquinas do Sal Zelinsky, mas óbvio que o plano sai totalmente errado. Como eles vão comprar uma playboy sem serem barrados? É aí que surge Tyler, um garoto mais velho que eles, com um plano para roubar as revistas. Porém os garotos devem conseguir acesso ao código de alarme da loja.

Nessa parte do plano um deles deve se aproximar de Mary, filha de Zelinsky, e conquistar a confiança da garota. Billy ama jogos de computador e pretende um dia trabalhar com isso. Ele descobre que Mary também tem essa paixão, então decide se aproximar dela com o objetivo de conseguir o código e de quebra ter uma ajuda com seu jogo para ganhar o prêmio em um concurso de jogos de computador.


Entre Billy e Mary acaba surgindo uma bela amizade, mas outros sentimentos também vão surgindo. Sentimentos esses que confundem todo o plano e pode acabar revelado um segredo de Mary. Será que toda essa situação vai fugir do controle dos garotos?

A edição está linda! Um capricho só! A capa está incrível e combina muito com a história. No início de cada capítulo temos alguns códigos de jogos de computador que Billy está fazendo. A narração fica por conta da visão exclusiva de Billy, mas eu confesso que queria a visão de Mary também.

Billy foi um personagem contraditório para mim. No início, não gostava muito dele, mas depois que alguns fatos começaram a ficar sérios, ele vai mudando algumas de suas atitudes. Já Mary era uma garota muito bacana e extremamente esperta, porém vamos vendo que ela é mais que isso.

Fortaleza Impossível não era o que eu imaginava. Como mal leio as sinopses, eu imaginava que ia ter aventura no estilo fantasia ou algo desse tipo, mas não foi isso que aconteceu. O livro não foi ruim, pelo contrário. Ele só está um pouco infantil para o meu gosto pessoal, mas está muito bem construído. Gostei de toda a interatividade dos personagens e suas peripécias.


O livro é um giro no mundo geek dos anos 80 e também tem muito sobre os adolescentes daquela época. Muitas confusões são feitas com Billy, Alf e Clark. Esses personagens e suas histórias nos divertem e eu me senti novamente com 14 anos de idade. Aprontando, não como eles, mas me divertindo muito com os amigos. Momento nostalgia ativado. Rsrs...

Fortaleza Impossível fala sobre o poder da amizade e das escolhas que fazemos na vida. Com momentos regados a pura nostalgia, Jason Rekulak escreve divinamente bem as dúvidas e os anseios de um adolescente ainda em fase de descoberta e em busca de sonhos. Recomendo o livro para os apaixonados pelo mundo geek e para os que querem recordar seus tempos de infância.

~Cedido em parceria com a Editora Arqueiro~

18.10.17

{Resenha} Inferno no Colégio Interno - Desventuras em Série - Livro Quinto



Autor: Lemony Snicket
Editora: Seguinte
Ano: 2016
Sinopse: Caro leitor,
Se você está em busca de uma história sobre jovens animados que se divertem a valer num internato, bateu na porta errada. Violet, Klaus e Sunny Baudelaire são inteligentes e engenhosos, e você talvez imagine que eles se sairiam muito bem no colégio. Mas não foi o caso. Para os Baudelaire, o colégio veio a ser mais um desastroso episódio em suas vidas infelizes. Para dizer a verdade, nos capítulos que constituem esta história pavorosa, eles enfrentam caranguejos que mordem, exames hiper-rigorosos, castigos duríssimos, fungos gotejantes, recitais de violinos, exercícios de D.O.R. e o sistema métrico.É minha solene obrigação passar a noite inteira pesquisando e escrevendo a história dessas três crianças desgraçadas. Quanto a você, entretanto, nada impede que se entregue a uma bela noite de sono tranquilo. Para conseguir isso, eu sugeriria: escolha um outro livro.Respeitosamente,Lemony Snicket.

Resenha:

Continuamos acompanhando a triste história dos irmãos Baudelaire e neste quinto volume eles vão parar em um Colégio Interno, mais uma vez passando por todos os tipo de problemas e confusões imagináveis (ou talvez não tão imagináveis assim).

O Colégio Prep Prufrock prometia uma ótima educação, ótimas acomodações e ainda por cima um moderno sistema de segurança computadorizado que impediria o Conde Olaf de se aproximar dos nossos queridos órfãos. O que poderia dar errado?

O vice-diretor Nero explicou aos irmãos como seriam suas vidas no Colégio Interno. Sunny deveria ser sua nova secretária, já que ele explicou ao Sr. Poe que não teria um Jardim de Infância. Se eles se atrasassem para as aulas ou para o trabalho (no caso de Sunny) seriam punidos com mãos amarradas nas costas durante as refeições. Caso se atrasassem para as refeições, ficariam sem xícaras e copos, tendo que beber os líquidos despejados em uma poça na mesa. Eles seriam obrigados a assistir ao recital de violino de Nero todas as noites (um verdadeiro sacrifício para todos os alunos, visto que o vice-diretor era péssimo violinista), e se não comparecessem, teriam que comprar um grande saco de balas e ficar olhando ele comer tudo sozinho.

Os irmãos Baudelaire não teriam o direito de morar na ala residencial, pois necessitavam da assinatura de pai, mãe ou responsável, e segundo Nero, o Sr. Poe não era tutor das crianças, mas apenas um executivo do banco responsável pela herança. Dessa forma, eles foram morar em um pequeno barraco de zinco (conhecido como Barraco dos Órfãos), lotado de caranguejos, dormindo em montes de feno.

Apesar de todas as condições desanimadoras, finalmente os órfãos encontraram amigos nesse colégio. E apesar de também acabarem sofrendo nas mãos de Conde Olaf, os irmãos Quagmire se mostraram amigos leais e foram de grande ajuda durante toda a estadia nesse colégio.

Duncan e Isadora Quagmire eram trigêmeos, mas perderam os pais e o irmão em um incêndio, da mesma forma que os Baudelaire perderam seus pais. Isadora gostava de escrever poesias e Duncan sonhava em ser repórter, levando seu caderno de anotações aonde quer que fosse.

“À medida que Duncan e Isadora explicavam em voz baixa a Violet, Klaus e Sunny como estava organizada a biblioteca, os jovens Baudelaire foram se sentindo cada vez menos desgostosos com as novas circunstâncias. E, quando Duncan e Isadora recomendaram seus livros preferidos, os três irmãos acharam que talvez seus problemas estivessem finalmente por terminar. Era um engano, claro, mas naquele momento isso não tinha a menor importância. Os órfãos Baudelaire haviam encontrado amigos, e, enquanto estavam na biblioteca com os trigêmeos Quagmire, o mundo pareceu-lhes mais familiar e mais seguro, sensação que não experimentavam fazia muito, muito tempo.”

Mais uma vez, o Conde Olaf aparece disfarçado e consegue enganar até o sistema super moderno de segurança do colégio, se passando pelo novo professor de ginástica, instrutor Genghis. Mas é claro que os Baudelaire o reconheceram desde o princípio, mas as únicas pessoas que acreditaram neles foram seus novos amigos, que passaram a ajudá-los pensando em um plano para desmascará-lo.


Como sempre, Conde Olaf fez as crianças passarem por maus bocados e novamente conseguiu escapar, dessa vez levando os irmãos Quagmire como reféns, o que nos deixa ainda mais ansiosos para saber o que vai acontecer na continuação dessa história.

Adorei a inclusão desses novos personagens, que demonstraram ser realmente amigos dos irmãos Baudelaire, e nos ajudam a acreditarmos em um final feliz para essas crianças.


Mesmo com o desfecho desse volume, acredito que as duas famílias ainda irão se reencontrar e viver novas aventuras, podendo desenvolver uma amizade duradoura que servirá de suporte na vida dessas cinco crianças que perderam os pais tão cedo.

17.10.17

{Lançamento} Outubro: Companhia das Letras


Quem mais estava esperando os lançamentos da Companhia das Letras do mês de Outubro?


Com certeza o Sheldon também quer, hehehe!

Fraude legítima

E. Lockhart

Título original: GENUINE FRAUD
Páginas: 280
Lançamento: 29/09/2017
Neste novo suspense da autora de Mentirosos, você deverá decidir se uma pessoa é tão ruim quanto suas piores ações.
Jule West Williams é uma garota capaz de se adaptar a qualquer lugar ou situação. Imogen Sokoloff é uma herdeira milionária fugindo de suas responsabilidades. Além do fato de serem órfãs, as duas garotas têm pouco em comum, mas isso não as impede de desenvolver uma amizade intensa quando se reencontram anos depois de terem se conhecido no colégio. Elas passam os dias em meio a luxo e privilégios, até que uma série de eventos estranhos começa a tomar curso, culminando no trágico suicídio de Imogen e forçando Jule a descobrir como viver sem sua melhor amiga. Mas, talvez, as histórias das duas garotas tenham se unido de maneira inexorável — e seja tarde demais para voltar atrás.

Só escute

Sarah Dessen

Título original: JUST LISTEN
Páginas: 352
Lançamento: 06/10/2017
Para encarar a verdade, você precisa estar disposta a ouvi-la.
Ano passado, Annabel era a típica “garota que tem tudo” — inclusive era esse o papel que interpretava no comercial de uma loja de departamentos da cidade. Este ano, porém, ela é a garota que não tem nada: não tem mais a amizade de Sophie; não tem uma família feliz desde a descoberta do distúrbio alimentar de uma de suas irmãs; e não tem ninguém com quem passar a hora do almoço na escola. Até conhecer Owen Armstrong.
Alto, misterioso e obcecado por música, Owen é um garoto que vivia se metendo em brigas, mas agora está tentando mudar. Um de seus novos lemas é sempre falar a verdade, não importa qual seja, e jamais guardar ressentimentos.
Será que com a ajuda desse amigo inesperado Annabel vai conseguir encarar a verdade e enfrentar o que aconteceu na noite em que brigou com Sophie?

As fúrias invisíveis do coração

John Boyne

Título original: THE HEART'S INVISIBLE FURIES
Páginas: 536
Lançamento: 06/10/2017
Perpassando a história da Irlanda desde os anos 1940 até os dias de hoje, o novo romance do autor de O menino do pijama listrado

Cyril Avery não é um Avery de verdade ou, pelo menos, é o que seus pais adotivos lhe dizem. E ele nunca será. Mas se não é um Avery, então quem é ele?

Nascido nos anos 1940, filho de uma jovem solteira expulsa de sua comunidade e criado por uma família rica irlandesa, Cyril passará a vida inteira à mercê da sorte e da coincidência, tentando descobrir de onde veio — e, ao longo de muitos anos, lutará para encontrar uma identidade, uma casa, um país e muito mais. Além das incertezas de sua origem, ele tem de enfrentar outro dilema: é gay numa sociedade que não admite sua orientação sexual. 

Autor do best-seller O menino do pijama listrado, John Boyne nos apresenta à sua maior empreitada literária até então, construindo uma saga arrebatadora sobre aceitar-se e ser aceito num mundo que pode ser cruelmente hostil. Uma leitura necessária para os dias de hoje, que reitera o poder do amor, da esperança e da tolerância.

A noite da espera

O Lugar Mais Sombrio #1
Milton Hatoum

Título original: A NOITE DA ESPERA
Páginas: 216
Lançamento: 27/10/2017
Primeiro volume da série O Lugar Mais Sombrio, o novo romance de Milton Hatoum retrata a formação sentimental, política e cultural de um grupo de jovens na Brasília dos anos 1960 e 1970
Nove anos após a publicação de Órfãos do Eldorado, Milton Hatoum retorna à forma da narrativa longa em uma série de três volumes na qual o drama familiar se entrelaça à história da ditadura militar para dar à luz um poderoso romance de formação.
Nos anos 1960, Martim, um jovem paulista, muda-se para Brasília com o pai após a separação traumática deste e sua mãe. Na cidade recém-inaugurada, trava amizade com um variado grupo de adolescentes do qual fazem parte filhos de altos e médios funcionários da burocracia estatal, bem como moradores das cidades-satélites, espaço relegado aos verdadeiros pioneiros da capital federal, migrantes desfavorecidos.
Às descobertas culturais e amorosas de Martim contrapõe-se a dor da separação da mãe, de quem passa longos períodos sem notícias. Na figura materna ausente concentra-se a face sombria de sua juventude, perpassada pela violência dos anos de chumbo.
Neste que é sem dúvida um dos melhores retratos literários de Brasília, Hatoum transita com a habilidade que lhe é própria entre as dimensões pessoal e social do drama e faz de uma ruptura familiar o reverso de um país cindido por um golpe.

A Luneta Âmbar

Fronteiras do Universo #3
Philip Pullman

Título original: THE AMBER SPYGLASS
Páginas: 504
Lançamento: 21/08/2017
Em todos os universos, forças se reúnem para tomar um lado na audaciosa rebelião de lorde Asriel contra a Autoridade. Cada soldado tem um papel a desempenhar – e um sacrifício a fazer. Feiticeiras, anjos, espiões, assassinos e mentirosos: ninguém sairá ileso.
Lyra e Will têm a tarefa mais perigosa de todas. Com a ajuda de Iorek Byrnison, o urso de armadura, e de dois minúsculos espiões galivespianos, eles devem alcançar um mundo de sombras, onde nenhuma alma viva jamais pisou e de onde não há saída.
Enquanto a guerra é travada e o Pó desaparece nos céus, o destino dos vivos – e dos mortos – recai sobre os ombros dos dois. Will e Lyra precisam fazer uma escolha simples, e a mais difícil de todas, com consequências brutais.
A Luneta Âmbar é o último livro da trilogia Fronteiras do Universo, que teve início com A Bússola de Ouro e A Faca Sutil. Uma conclusão emocionante, que leva o leitor a novos e fantásticos universos.
#1 – A Bússola de Ouro#2 – A Faca Sutil

Belas Adormecidas

Stephen King e Owen King

Título original: SLEEPING BEAUTIES
Páginas: 728
Lançamento: 16/10/2017
Em uma colaboração inédita entre pai e filho, Stephen King e Owen King criam um cenário aterrorizante ao fazer uma simples pergunta: O que seria do nosso mundo — masculino, violento e opressivo — se todas as mulheres fossem embora?
Pelo mundo todo, algo de estranho começa a acontecer quando as mulheres adormecem: elas são imediatamente envoltas em casulos. Se despertadas, se o casulo é rasgado e os corpos expostos, as mulheres se tornam bestiais, reagindo com fúria cega antes de voltar a dormir.
Em poucos dias, quase cem por cento da população mundial feminina pegou no sono. Sozinhos e desesperados, os homens se dividem entre os que fariam de tudo para proteger as mulheres adormecidas e aqueles que querem aproveitar a crise para instaurar o caos.
Grupos de homens formam as “Brigadas do Maçarico”,incendeiam em massa casulos, e em diversas partes do mundo guerras parecem prestes a eclodir. Mas na pequena cidade de Dooling as autoridades locais precisam lidar com o único caso de imunidade à doença do sono: Evie Black, uma mulher misteriosa com poderes inexplicáveis.
Escrito por Stephen King e Owen King, Belas Adormecidas é um livro provocativo, dramático e corajoso, que aborda temas cada vez mais urgentes e relevantes. 

A floresta sombria

O Problema dos Três Corpos #2
Cixin Liu

Páginas: 472
Lançamento: 30/10/2017
A floresta sombria, segundo volume da premiada trilogia de ficção científica chinesa, é um livro incrivelmente forte e original.
Depois de O problema dos três corpos, a humanidade se prepara para a iminente invasão alienígena. A Organização Terra-Trissolaris — formada por habitantes da Terra que traíram seus iguais para se associar aos alienígenas — pode ter sido derrotada, mas a presença de partículas subatômicas, os sófons, revela todo o conhecimento da humanidade para os invasores, e as defesas terráqueas são um livro aberto para os trissolarianos.
Nesse contexto, em que só a mente humana é segura, é montado o Projeto Barreiras: quatro pessoas serão encarregadas de pensar em uma estratégia para a salvação do mundo. A Barreira está completamente isolada, protegendo seus pensamentos do restante da humanidade, mas até que ponto é possível guardar um segredo?
#1 – O problema dos três corpos

Viva a vagina

Nina Brochmann e Ellen Støkken Dahl

Título original: GLEDEN MED SKJEDEN
Páginas: 312
Lançamento: 05/10/2017
Diga adeus aos mitos e equívocos que rodeiam a anatomia feminina, este é um livro empoderador que vai inspirar mulheres a fazerem escolhas informadas sobre sua saúde sexual.
Você pensou que conhecia seu corpo? Pense de novo!
Viva a vagina explica tudo o que você sempre quis saber sobre a vagina, mas não ousou perguntar. Aprenda a verdade sobre orgasmos femininos, a dança dos hormônios menstruais e o que exatamente é a vulva. Neste livro, Nina Brochmann e Ellen Dahl também oferecem explicações detalhadas para finalmente entender como os diferentes tipos de contraceptivos funcionam no corpo, como é uma vulva “normal” e se o uso de meias pode mudar sua vida sexual.
As estudantes de medicina e educadoras sexuais Nina Brochmann e Ellen Støkken Dahl utilizam os conhecimentos médicos para oferecer informações confiáveis e desmistificar o órgão sexual feminino. Com uma abordagem direta e bem humorada, é uma leitura obrigatória para mulheres (e homens!) de todas as idades.

As aventuras do Capitão Cueca #1

Dav Pilkey


Título original: THE ADVENTURES OF CAPTAIN UNDERPANTS NOW IN FULL COLOR
Páginas: 144
Lançamento: 14/02/2017
O poder cuequento chega à Letrinhas!
Jorge e Haroldo são vizinhos e estudam juntos na escola Jerome Horwitz. Eles adoram contar piadas e fazer estripulias por onde passam. Mas o que eles mais amam mesmo é escrever histórias em quadrinhos, e juntos inventaram o maior super-herói de todos os tempos: o incrível... Capitão Cueca! Esse destemido guerreiro tem umas manias meio esquisitas quanto ao jeito de se vestir e uma identidade tão secreta que nem ele mesmo sabe quem é, mas está sempre pronto a lutar por justiça — e a fazer você rir até cair!




16.10.17

{O menino que vê filmes} Especial Halloween



ATENÇÃO: ALERTA DE SPOILER! Este post contém revelações sobre o enredo dos filmes aqui citados.

RESENHA

Oi gente! E chegou o mês de outubro! Dia das Crianças, dos Professores e, é claro, do Halloween! Ah e do mimimi no Facebook também, porque sempre tem aquela galerinha que adora ditar (pra não dizer outra coisa) regras sobre o que os outros coleguinhas devem ou não comemorar neste mês. Nada contra o Saci Pererê, mas gente, cada um comemora o que quiser, né?

PORÉM, o tio aqui não se envolve nessas chatices. Ao contrário, vim trazer algo de produtivo pra você que acompanha minhas resenhas e, a pedido da chefa, sai uma resenha quentinha especial do Dia das Bruxas (risada esganiçada)!


Para entender essa figura assustadora e, ao mesmo tempo, tão carismática, é preciso primeiro conhecer um pouco da origem das bruxas, que está ligada diretamente à opressão do sexo feminino, sobretudo nos tempos antigos.

Bom, comecemos por aí então?

BREVE HISTÓRICO

Na Idade Média, também conhecida como Idade das Trevas (não à toa), a Igreja plantou no imaginário popular a ideia de que o simples fato de um ser humano nascer mulher já era uma inclinação para o serviço de Satanás. Muito conveniente já que, grosso modo, mulheres serviam apenas para dar à luz e, de preferência, a filhos homens, estes sim destinados ao heroísmo e a grandeza.

Sob esse viés, se a mulher fosse dotada de algum tipo de mediunidade ou dominasse a arte da cura pela natureza, estaria quebrando os paradigmas do cristianismo, motivo pelo qual eram condenadas comumente a morrerem queimadas ou, em latim, bruciare ou simplesmente brucia (queimar). A palavra "bruxa", portanto, vem da associação do verbo latino às rés do tribunal da santa inquisição, criado com o objetivo único de perseguir e assassinar mulheres consideradas hereges.

O movimento de repressão à bruxaria, iniciado na Idade Média, alcançou maior intensidade no século XV para, na segunda metade do século XVII, ter diminuída sua chama: o número de processos de feitiçaria no norte da França aumentou de 8, no século XV, para 13 na primeira metade do século XVI, e 23 na segunda metade, chegando a 16 na primeira metade do século XVII, diminuindo para 3 na segunda metade daquele século e para um único no seguinte. 

Dito isso, vamos falar de filmes?



AS BRUXAS NO CINEMA

Figuras marcantes no imaginário popular, as bruxas sempre tiveram lugar de destaque na Sétima Arte, de animações a live actions, da comédia ao terror.


Adiante, vou relacionar alguns filmes que exploraram essa temática.

Vem comigo?

AS BRUXAS DE EASTWICK 

(The Witches Of Eastwick, EUA, 1987)


Esse impagável longa metragem conta a estória de três jovens senhoras que se reunem toda semana a fim de criticar o sexo oposto. A chegada de um milionário fará com que tudo fique ainda mais engraçado.

Destaque para o time de estrelas desse filme, que conta com Jack Nicholson, Michelle Pfeiffer, Cher e Susan Sarandon.

ABRACADABRA

(Hocus Pocus, EUA, 1993)


Outro clássico da temática em questão é ABRACADABRA, uma criação dos estúdios da Walt Disney Company.

Esse longa narra a saga de Binx, um jovem que, ao tentar salvar a irmã das garras das bruxas de Salém, é transformado num gato preto falante imortal, que cuida da velha mansão para que uma velha maldição não venha a se cumprir.

BRANCA DE NEVE E OS 7 ANÕES


Dentre todas as animações da Disney que exploraram a figura das bruxas, talvez a mais icônica seja esta.

Quem não conhece a estória da mocinha branca como a neve, que refugiu-se na floresta com seus amigos anões após ser perseguida pela rainha bruxa, que invejava a sua beleza?

JOVENS BRUXAS

(The Craft, EUA, 1996)


The Craft conta a estória de Sarah, uma jovem recém chegada em Los Angeles e que faz amizade com três praticantes de magia: Nancy, Bonnie e Rochelle.

No desenrolar da trama, Sarah descobre ser filha de uma poderosa "bruxa do bem", distanciando-se de suas amigas (agora, inimigas) que, com suas práticas, amaldiçoam as pessoas ao redor.

A BRUXA DE BLAIR 

(The Blair's Witch Project, EUA, 1999)


Feito no melhor estilo pseudodocumentário, A BRUXA DE BLAIR envolveu toda uma produção para criar uma atmosfera que conferisse alguma veracidade à fábula em questão.

Na trama, um conjunto de filmagens supostamente encontrado nas florestas de Burkittsville, no condado de Mary, retratava os diários de 3 estudantes de cinema que, ao tentarem produzir um documentário sobre a lenda da bruxa, acabaram sendo atacados por alguma força sobrenatural, nunca mais sendo vistos.

A BRUXA

(The Witch, EUA/Canadá/Reino Unido, 2016)


Essa foi uma das minhas primeiras resenhas aqui no blog. Um filme diferente e altamente subjetivo, não agrada a todos os gostos. Eu, particularmente gostei bastante. 

Caso queira conhecer a resenha completa, é só clicar aqui.

HALLOWEEN

(Halloween, EUA, 1978)


Clássico do terror, Halloween deu origem a uma série que conta com 9 continuações (ao estilo de Sexta-feira 13 e outros) e conta a saga de Michael Myers, um garoto que matou a irmã a facadas na noite de Halloween e volta, 21 anos depois, após escapar de um manicômio.

O ESTRANHO MUNDO DE JACK/OS FANTASMAS SE DIVERTEM

Minha última resenha foi inteiramente dedicada à obra de Tim Burton (incluindo estes dois filmes) e, pra ter acesso, basta clicar aqui.

CONCLUSÃO

Independente do que você decida comemorar neste mês de outubro, não há como negar: Halloween é um exemplar da cultura não só estadunidense, mas mundial!

Na dúvida, comemore tudo o que tiver direito! Haha 

Até a próxima, pessoal!