Menu

24.1.18

{Quotes} Livro da semana!


Então, vi muitos blogs fazendo e resolvi fazer também!

Na verdade, costumo fazer no meio das resenhas, vocês já devem ter percebido. Mas sempre quis falar um pouco mais, pois sempre marco muito mais coisas do que coloco, senão o foco fica outro, huahuaha!

Então vou ir fazendo de livros que já li, sorteando na minha estante para mostrar os quotes que marquei, okay?

Deixem também nos comentários se vocês leram os livros, os quotes que mais agradaram!!! Se ainda não leu o livro, pode acabar encontrando muitos spoilers por aqui!

O livro de hoje é Mil pedaços de você, da autora Claudia Gray. É o primeiro livro da trilogia Firebird, aqui já tem a resenha do primeiro e do segundo, o terceiro ainda irei ler!

Título Original: A thousand pieces of you
Autora: Claudia Gray
Editora: Agir Now
Ano: 2015
Sinopse: Marguerite Caine cresceu cercada por teorias científicas revolucionárias graças aos pais, dois físicos brilhantes. Mas nada chega aos pés da mais recente invenção de sua mãe — um aparelho chamado Firebird, que permite que as pessoas alcancem dimensões paralelas.
Quando o pai de Marguerite é assassinado, todas as evidências apontam para a mesma pessoa: Paul, o brilhante e enigmático pupilo dos professores. Antes de ser preso, ele escapa para outra realidade, fechando o ciclo do que parece ser o crime perfeito. Paul, no entanto, não considerou um fator fundamental: Marguerite. A filha do renomado cientista Henry Caine não sabe se é capaz de matar, mas, para vingar a morte de seu pai, está disposta a descobrir.
Com a ajuda de outro estudante de física, a garota persegue o suspeito por várias dimensões. Em cada novo mundo, Marguerite encontra outra versão de Paul e, a cada novo encontro, suas certezas sobre a culpa dele diminuem. Será que as mesmas dúvidas entre eles estão destinadas a surgirem, de novo e de novo, em todas as vidas dos dois?
Em meio a tantas existências drasticamente diferentes — uma grã-duquesa na Rússia czarista, uma órfã baladeira numa Londres futurista, uma refugiada em uma estação no meio do oceano —, Marguerite se questiona: entre todas as infinitas possibilidades do universo, o amor pode ser aquilo que perdura?
Aqui você encontra a resenha: Mil pedaços de você

"E então cai a ficha: o Firebird realmente funciona. É possível viajar entre dimensões paralelas. Acabei de provar isso. Do fundo do meu luto e medo, uma pequena brasa de orgulho brilha, e dá a impressão de ser a única chama de experança no mundo. As teorias da minha mãe se provaram verdadeiras. O trabalho dos meus pais foi finalmente comprovado. Queria apenas que meu pai estivesse aqui para saber disso." pag. 6
"O universo é, na verdade, um multiverso. Há incontáveis dimensões quânticas da realidade, que se encaixam umas dentro das outras. Vamos chamá-las de dimensões, para abreviar." pag. 9
"- Existem padrões dentro das dimensões - insistiu Paul, sem erguer os olhos do seu trabalho. - Paralelismo matemáticos. É plausível ter como hipótese que esses padrões se refletirão nos eventos e nas pessoas em cada dimensão. Que aqueles que se encontraram em uma realidade têm maior probabilidade de se encontrarem em outra. Algumas coisas que acontecem vão se repetir muitas vezes, de formas diferentes, só que com mais frequência, de forma que só a mera coincidência não basta para explicar." pag. 38
"- Eu vejo... que você está sempre procurando - prosseguiu ele. - Que você realmente odeia coisas falsas ou cópias. Que é madura para sua idade, mas sem deixar de ser... brincalhona, feito uma garotinha. E como está sempre observando as pessoas, ou imaginando o que elas pensam ao olhar para você. Seus olhos. Seus olhos dizem tudo." pag. 42
Firebird
"Eu sempre disse a mim mesma que nunca ia acontecer nada. Theo é mais velho que eu, se irrita com facilidade, é egoísta, e sua arrogância seria totalmente insuportável caso ele não tivesse um lado brilhante para compensar. Às vezes, quanddo ele passa dois dias seguidos sem dormir e fica andando pela casa falando mais matemática que inglês, surge certa aura de imprudência em torno dele, como se estivesse determinado a forçar seus limites até a beira da autodestruição, ou, algumas vezes, indo além dela. Então me convenci que amava Theo como amigo. Ok, um amigo muito gato, mas, ainda assim, apenas um amigo." pag. 48
"- Quis dizer que você não deveria ficar envergonhada por não saber alguma coisa. Só é possível começar a aprender quando admitimos que não sabemos algo. Não tem problema você não ser famíliarizada com música clássica. Eu não sei nada sobre a musica que você escuta, como Adele and the Machine." pag. 78
"Agora sei que luto é uma pedra de amolar que afia todo amor, todas as suas memórias mais felizes, e os transforma em lâminas que nos cortam de dentro para fora. Alguma coisa em mim rasgada, algo que nunca mais vai cicatrizar, nunca, não importa até quando eu viva. As pessoas dizem que o tempo cura, mas mesmo neste momento, menos uma semana depois da morte do meu pai, sei que isso é mentira. O que as pessoas querem dizer na verdade é que, eventualmente, você vai se acostumar com a dor. Vai se esquecer de qum era antes dela, da sua aparência antes das cicatrizes." pag. 118
"- Toda forma de arte é outra maneira de ver o mundo. Uma nova perspectiva, uma nova janela. E a ciência... é a janela mais espetacular de todas. Dá para ver o universo através dela. - Meus pais sempre diziam isso, e por mais piegas que seja, eu acredito. Acredito neles. Sorrio para Paul. - Então, é como se tivéssemos dado para o outro mundo inteiro de presente, embrulhado com fita." pag. 147
"- Você não é a minha Marguerite. E, ao mesmo tempo... é. O essencial que vocês duas compartilham, a alma, é isso que eu amo. - O sorriso de Paul é o mais lindo e o mais lindo e o mais triste que já vi. - Eu amaria você em qualquer corpo, em qualquer mundo, em qualquer mundo, com qualquer passado. Nunca duvide disso." pag. 166
"- Antigamente pensava-se que a invenção do avião tornaria a guerra impossível. Tipo, como poderiam mobilizar tropas em segredo com pessoas olhando em cima? Mas então alguém teve a ideia de colocar bombas nos aviões e tudo mudou. Toda tecnologia que a humanidade inventa é usada para colocar os homens uns contra os outros. É só questão de tempo. Se a gente não começar a batalha, outra dimensão fará isso, e eles podem ser mil vezes piores." pag. 267
O que acharam das minhas marcações neste livro? A minha preferida é a da pag. 166!

Deixe nos comentários sua preferida!

1 comentários:

  1. eu adoro trechos, sempre me deixam tão curiosa!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.