Menu

5.1.18

{Resenha} Fraude Legítima



Título Original: Genuine Fraude
Autor: E. Lockhart
Editora: Seguinte
Sinopse: Jule West Williams é uma garota capaz de se adaptar a qualquer lugar ou situação. Imogen Sokoloff é uma herdeira milionária fugindo de suas responsabilidades. Além do fato de serem órfãs, as duas garotas têm pouco em comum, mas isso não as impede de desenvolver uma amizade intensa quando se reencontram anos depois de terem se conhecido no colégio. Elas passam os dias em meio a luxo e privilégios, até que uma série de eventos estranhos começa a tomar curso, culminando no trágico suicídio de Imogen e forçando Jule a descobrir como viver sem sua melhor amiga. Mas, talvez, as histórias das duas garotas tenham se unido de maneira inexorável — e seja tarde demais para voltar atrás.
“Essa é a história de origem de Jule West Williams. Quando estava vivendo no Playa Grande, ela diria que esta era a história favorita sobre a sua vida.”
Pela sinopse eu imaginava uma coisa completamente diferente, e foi tudo mais diferente ainda do que eu imaginei. “Fraude Legítima” me surpreendeu de uma forma que poucos livros conseguiram até agora.

O livro é narrado de uma maneira bem peculiar e um pouco confuso, pois o primeiro capítulo é na verdade o penúltimo, e segue assim, em ordem decrescente até que volta novamente ao primeiro e enfim o último capítulo. Confuso, não? Mas isso que me prendeu nessa história.

Acompanhamos a vida de Jule West Williams e seu amor por super-heróis, devido a seu passado, ela quer se considerar uma heroína poderosa. Mas como os capítulos são fora de ordem, demora um pouco para começarmos a entender essa protagonista. Seus pais morreram quando era muito jovem, acabou sendo adotada por sua tia, e passou a vida sempre se mudando por conta do emprego da tia.
“Ela sabia que mulheres raramente eram o centro desse tipo de história. Não passavam de um refresco para os olhos, companheiras, vítimas ou interesses amores. Em geral, existam para ajudar o grandioso herói branco e heterossexual em sua jornada épica e muito foda. Quando havia uma heroína, ela era muito magra, usava quase nenhuma roupa e tinha dentes perfeitos.Jule sabia que não não parecia com aquelas mulheres. Nunca ia parecer. Mas ela era tudo o que aqueles heróis eram - e, em certos aspectos, mais ainda.”
Conhecemos também a melhor amiga de Jule, Imogen Sokoloff, uma órfã que foi adotada por um casal polonês, que acabou a mimando demais. Imogen é o tipo de pessoa que cativa a todos, mas quer sempre se sentir a superior, então, um dia ela esta levando café ou sua bebida favorita, no outro ela te abandona pois se cansou de você.

Jule admira Imogen, ainda mais por terem em comum o fato de serem ambas órfãs, a obsessão da protagonista pela amiga é visível de certa forma, mas não posso aprofundar demais.

É muito complicado falar desse livro sem querer soltar alguns spoilers (risos). Com o passar dos capítulos já fica bem claro o que está acontecendo, mesmo antes de chegar ao final, mas a autora conseguiu fazer o desfecho ir além do imaginável (risos)

Tudo tem um ar enorme de delírio, não é fácil saber o que é real e o que é falso, isso cobra demais a atenção do leitor e instiga a curiosidade.

Em certo ponto chega a ser desesperador, não tinha certeza se estava entendendo corretamente o que estava acontecendo, então, quem puder, conforme for lendo vá conversando com alguém sobre, assim podem se ajudar a entender (risos).

1 comentários:

  1. um livro de dar nó na cabeça de tanto pensar, esse é dos bons!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.