Menu

8.2.18

{Resenha} Alys - Elemento Alpha



Autora: Priscila Gonçalves
Editora: PenDragon
Sinopse: Alys era só uma garota supervalorizando seus pequenos problemas adolescentes. Até que uma simples incursão abriu mais que o mundo que ela desejava conhecer. Abriu os seus olhos pra verdadeira natureza dos metais Nifrity e as responsabilidades de ser a única pessoa capaz de mantê-los em segurança. Agora, ela precisará desenrolar o emaranhado de segredos em que sua vida foi mantida, aprender a dominar seus poderes e encontrar seu guardião antes que a escuridão chegue. Uma aventura fantástica repleta de mistérios, aprendizado e superação, que levarão uma garota a se transformar em uma guerreira e encontrar o seu lugar no mundo.

Alys é uma adolescente comum: vai à escola, tem seu melhor amigo – Kyers – que mais parece um futuro namorado logo de cara. É a pessoa que tá ali sempre que você precisa de um ombro para desabafar seus problemas. Problemas esses que não passam de um pai extremamente protetor, que a mantém num sistema quase carcerário: de casa para a escola, da escola para casa. Ela não entende muito, só que sempre foi assim. 

Ela vive num tempo futuro, onde o mundo entrou numa espécie de colapso e as pessoas, plantas e criaturas estão nascendo com alterações em seu fenótipo: cor de olhos, cabelos... Coisas assim, que nunca antes haviam sido vistas. Animais também, nascem com metais raros fundidos em suas peles, e árvores e plantas. E, aparentemente, o mundo ficou mais inseguro assim.

Os humanos aprenderam a utilizar esses metais a seu favor, incrementando a tecnologia e avançando em muito a realidade. Mas Alys não conhece as grandezas do mundo, pois seu pai não deixa nem que ela vá na esquina.

Depois de uma briga muito feia, ele decide deixa-la sair para ir a uma loja nerd com Kyers. E sua vida tem uma reviravolta enorme depois disso.
“Minha animação era tanta que comecei a negligenciar fatos que aconteciam em volta. Queria acreditar que todas as coisas permaneciam iguais, mesmo que tivesse passado por uma situação ainda sem explicação quanto toquei aquele cajado.”
Depois disso, o mundo não era mais o mesmo. A vida de Alys se abriu por completo, revelando um mundo que ela ainda não conhecia e todas as preocupações de seu pai tinham fundamento. Uma teia de mentiras havia se formado e Alys precisa desvendar cada nó para conseguir se tornar a guerreira que precisa ser para proteger os metais Nifrity e fazer cumprir seu destino.

As dificuldades são muitas: ninguém nunca lhe conta toda a verdade, o que faz com que ela nunca esteja de fato preparada para o que precisa enfrentar. As pessoas lhe subestimam e muitos sequer acreditam que ela poderá fazer cumprir a profecia. Ou seja, os perigos acabam sendo maiores do que precisariam ser. O treinamento que lhe foi imposto foi bem pesado e víamos o esforço que a adolescente faz continuamente para atender as expectativas de todo mundo.

A história é muito boa, para mim foi algo que ainda não li sobre. A ideia dos metais fundidos com poderes mágicos, a questão da tecnologia com magia (isso já vi)... Tudo se encaixou muito bem e foi bem explicado e aproveitado. Há toda uma mitologia criada que a autora nos conta que é cativante. Tudo muito original.

Os personagens são diversos. Alys é uma típica adolescente teimosa e imediatista que culpa o mundo por sua condição. Não fui muito com a cara dela, pois a imaginei como uma pessoa mesmo e acho que nosso santo não iria bater, huahuahuha!

Kyers é o cara que é sempre amigo. Sempre a dama, nunca a noiva. Porém ele apoia bastante Alys na travessia de seu descobrimento e acaba sendo uma peça chave, um dos melhores personagens na minha opinião.

Temos também o cara mais chato do universo: Evan. Arrogante e cínico, ele é o personagem desnecessário que só existe para colocar a protagonista para baixo com seus comentários nada educados. Você pode tentar justificar o comportamento dele, é claro... Mas não, não há desculpas, simples assim. Talvez a família... Mas, ainda assim, foi o personagem que menos gostei.

Celen é um dragão de monóculo. E isso é tudo o que eu tenho a dizer sobre ele. E claro, tem vários outros personagens dignos de nota e que são muito bons. Thela é minha elfa favorita!

Uma coisa que não gostei muito foi o modo banal com que usam a magia: ah, quero sentar... conjuro uma cadeira no meio do deserto. Sei lá, a magia é algo especial e se você a banaliza, não... Tem a mágica que precisa ter, entende?

A capa foi o que mais me chamou a atenção: Alys com seu cajado e sua roupa de batalha. Pentelhei demais a editora pela vontade de ler esse livro e fui atendida <3 melhor parceria! A diagramação ficou muito boa, simples e objetiva em páginas amareladas. Encontrei alguns errinhos de português (ou de digitação), mas nada que atrapalhe a leitura.

Alys – O Elemento Alpha é um ótimo livro de fantasia nacional! Minhas expectativas foram atendidas e mal posso esperar pelo lançamento do segundo livro!

~Recebido em parceria com a editora~

1 comentários:

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.