Menu

28.6.18

{Resenha} A escola do Bem e do Mal



Título Original: The School for Good and Evil
Autor: Soman Chainani
Editora: Gutemberg
Sinopse: No povoado de Gavaldon, a cada quatro anos, dois adolescentes somem misteriosamente há mais de dois séculos. Os pais trancam e protegem seus filhos, apavorados com o possível sequestro, que acontece segundo uma antiga lenda: os jovens desaparecidos são levados para a Escola do Bem e do Mal, onde estudam para se tornar os heróis e os vilões das histórias.
Sophie torce para ser uma das escolhidas e admitida na Escola do Bem. Com seu vestido cor-de-rosa e sapatos de cristal, ela sonha em se tornar uma princesa. Sua melhor amiga, Agatha, porém, não se conforma como uma cidade inteira pode acreditar em tanta baboseira. Ela é o oposto da amiga, que, mesmo assim, é a única que a entende. O destino, no entanto, prega uma peça nas duas, que iniciam uma aventura que dará pistas sobre quem elas realmente são.
Este best-seller é o primeiro livro de uma trilogia que mostra uma jornada épica em um mundo novo e deslumbrante, no qual a única saída para fugir das lendas sobre contos de fadas e histórias encantadas é viver intensamente uma delas.


Quem me conhece sabe que sou apaixonada por contos de fadas. Absorvo tudo que posso que tenha esse tema, desde livros de ficção à livros técnicos que fazem estudos em cima dos contos. 

Vi essa série pela primeira vez na Flipoços, mas não pude adquirí-la na ocasião. Mas como o universo é muito legal, a Editora Gutemberg deu a oportunidade de ler os dois primeiros e aí já comprei o terceiro também, na Flipoços desse ano! Não sabia muito sobre o que era, mas só a capa já havia me encantado! Li o primeiro e o segundo quase um seguido do outro. O terceiro vou enrolar um pouco, afinal ainda não tem o quarto lançado por aqui e não quero ficar sofrendo abstinência huahua! 

Mas vamos lá, me deixem apresentar essa série maravilhosa para vocês! 

No povoado de Galvadon, que não é muito grande e nem muito pequeno, as crianças são acostumadas a lerem muitos livros de contos de fadas. Ninguém se lembra exatamente quando isso começou, mas sabem que foi quando uma pequena livraria abriu as portas na cidade, cujos livros simplesmente surgiam ali depois de algum tempo. Coincidentemente, alguns anos depois que duas crianças desapareceram e nunca mais foram vistos. 

Depois de entenderem melhor em qual situação o povoado se encontrava, de quando e como os desaparecimentos ocorriam, os adultos criaram ferramentas para que seus filhos não fossem levados embora. Enfeiavam os bonitos, faziam os malvados ter boas ações e quem era bom, a falar alguns palavrões. E também as trancavam na segurança de seus quartos, por precaução. 

Mas existem duas garotas que estão felizes como são. Sophie sabe que nasceu para ser uma princesa e trabalha para que todos saibam quão boa ela é. É bonita, cheirosa, gosta de animais... E Agatha acha que isso tudo é bobagem e que sua amiga e toda a cidade está louca, se acreditam nas lendas. 

Que lendas? 

Que há uma escola nos confins da floresta onde crianças e adolescentes são levados e julgados de acordo com o que está em suas almas. Se são boas, são levadas para a Escola do Bem para serem princesas e terem seus contos de fadas. Se são maus, são selecionadas para a Escola do Mal para aprenderem todos os tipos de vilanias e entrar nos contos de fadas das princesas para impedirem seus finais felizes. 

Longe de ser uma princesa, Agatha tem todas as características de uma pequena bruxa. Mora no velho cemitério e ninguém quer ser seu amigo, não liga para a aparência ou boas ações. Sua mãe é um tipo de médica que faz poções para ajudar os outros... O que ajuda a acreditar que a menina também é uma bruxa. Agatha é grosseira e não tem papas na língua, tem um gato preto que lhe ama e lhe dá ratos mortos de presente e ela carinhosamente os guarda. Acha que todos no povoado são loucos por acreditarem que para além da floresta exista uma escola que treina adolescentes para cumprirem algum propósito. 

Sophie, por outro lado, é aquele tipo de menina que nasceu se sentindo uma estrela e que ninguém mais irá brilhar como ela. É muito bonita e dedica horas de seus dias a cuidar de si mesma. E em outros momentos de seu dia, ocupa-se em fazer o bem – ou o que ela acredita ser o bem – pois sabe que todas as princesas são boas pessoas e que é assim que encontram seus príncipes e são felizes para sempre. Não é? 

Na Escola do Bem e do Mal, as coisas não parecem ser como se imagina. Repleta de fadas, brilhos, flores e perfumes, na Escola do Bem os professores são os que mais tiveram sucesso em suas carreiras. Fadas madrinhas, princesas, treinadores de príncipes... Os alunos são treinados em matérias relacionadas ao bem como embelezamento, falar com animais, esgrima para os príncipes... São classificados de acordo com suas notas. E é claro que nem todos podem ser a realeza... 

Na Escola do Mal é o mesmo esquema: você é treinado para ser o melhor dos vilões. As aulas podem ser enfeiamento, envenenamento, maldições... Os professores, alguns deles são os mesmos entre as duas escolas. Gostei de conhecer os professores de ambas as escolas, pois apesar de precisarem seguir um papel, mostram que vão bem além das aparências. 

São realizadas aulas em conjuntos entre as escolas, momento o qual os alunos de ambos os locais podem interagir. É claro o preconceito que é instaurado entre os alunos, bem como a animosidade que precisa ser cultivada desde a escola. Há diversos desafios escolares que definem as notas de cada um e um grande desafio no qual o aluno que ganhar, pode sair em disparado na frente dos outros em relação às suas notas. 

Os alunos de ambas as escolas são ninguém mais, ninguém menos que os descendentes de heróis, heroínas e vilões de outros contos de fadas, em busca de suas próprias histórias. Eles carregam já nomes a zelar. Menos as duas crianças que são trazidas do povoado... Essas são conhecidas como Leitoras. 

Não quis falar muito dos acontecimentos do livro para não estragar sua experiência com ele. Só te digo que ele é repleto de aventuras e desafios que te deixam agoniada! Li o primeiro livro muito rápido, não conseguia parar! É muita reviravolta em busca de um final feliz que meu paizinho das boas leituras! O final é... Inesperado e lindo! 

A escrita do autor é encantadora e os personagens são muito bem estruturados. Dá para perceber sua luta diária em busca de criar uma personalidade, de encontrar um caminho para seguir. Um final para sua história. 

Amei cada parte da leitura e os lançamentos dos próximos livros estão de vento em popa: já temos no Brasil 3 livros lançados e o próximo será lançado na Bienal de São Paulo, que contará com a presença do autor. O quinto livro está sendo lançado na gringa e espero que não demore por aqui! 

Se ama contos de fadas, com certeza irá amar esse livro!



1 comentários:

  1. um enredo bem mágico e com certeza muito criativo!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.