Menu

7.8.18

{Resenha} A luz que perdemos


Título Original: The light we lost
Autora: Jill Santopolo
Editora: Arqueiro
Sinopse: Lucy e Gabe se conhecem na faculdade na manhã de 11 de setembro de 2001. No mesmo instante, dois aviões colidem com as Torres Gêmeas. Ao ver as chamas arderem em Nova York, eles decidem que querem fazer algo importante com suas vidas, algo que promova uma diferença no mundo.Quando se veem de novo, um ano depois, parece um encontro predestinado. Só que Gabe é enviado ao Oriente Médio como fotojornalista e Lucy decide investir em sua carreira em Nova York.Nos treze anos que se seguem, o caminho dos dois se cruza e se afasta muitas vezes, numa odisseia de sonhos, desejo, ciúme, traição e, acima de tudo, amor. Lucy começa um relacionamento com o lindo e confiável Darren, enquanto Gabe viaja o mundo. Mesmo separados pela distância, eles jamais deixam o coração um do outro.Ao longo dessa jornada emocional, Lucy começa a se fazer perguntas fundamentais sobre destino e livre-arbítrio: será que foi o destino que os uniu? E, agora, é por escolha própria que eles estão separados? 

O que você estava fazendo no dia 11 de setembro de 2001?

Eu me lembro que estava na escola, acho que estava no primeiro colegial e morava em outra cidade. Lembro que estávamos no meio de uma apresentação quando a inspetora de alunos chegou na porta da sala de aula e nos dispensou. Todas as aulas foram canceladas naquele dia. Isso era antes das 9 da manhã, eu acho, pois lembro que eu fiquei feliz, pois iria assistir Sakura Card Captors na TV.

Ao chegar em casa, já fui direto para a sala e liguei a televisão. Minha decepção foi imediatamente decepcionada quando vi que não estava passando o anime, mas sim algo sobre uma torre que estava caindo nos Estados Unidos. Eu não entendi muito bem o que estava acontecendo naquele dia, a importância que aquilo tinha. O impacto que o acontecimento teria na sociedade mundial. Eu, uma adolescente brasileira no conforto do meu lar e longe de tudo aquilo.

Jill Santopolo nos dá um olhar mais próximo desse marco na história através da vida de Lucy e Gabe, que se conhecem na faculdade nesse dia fatídico. Juntos, eles decidem que suas vidas precisam fazer a diferença no mundo. O romance entre eles nasci ali, assistindo de perto todo o terror daquele dia.

Porém, não se veem até o ano posterior, onde seu amor tem finalmente a chance de florescer. É abrasador e toma conta da vida dos dois em pouco tempo. Lucy sente-se embriagada pela “aura” de Gabe, que encanta tudo aquilo que ela não deveria ignorar, mas o faz. Tudo aquilo é bom demais para que ela se deixe levar pelo sentimento de que tudo aquilo pode ser perdido em qualquer momento.

Mas a vida prega peças e seres humanos possuem vidas efêmeras... Lucy trabalha na TV, produzindo programas infantis que fazem a diferença e Gabe inicia uma carreira como fotógrafo. Em pouco tempo, suas fotos começam a fazer cobertura internacional de conflitos. E ele aceita e se vai. Parte sem deixar nada para trás.

Lucy escolhe permanecer em New York, pois sua carreira também importa. Ela arca com sua decisão, no começo os dois se falam bastante, mas o tempo dá conta de lhes afastar.

Ela segue sua vida e logo encontra alguém. Talvez não lhe cause um turbilhão de emoções, mas é alguém sólido e que ela sabe que não irá desaparecer. O tempo passa e ela está feliz.

Nos anos que se seguem, mesmo que cada um deles terem seguido seus caminhos, acabam por se encontrar diversas vezes. Como amigos, como pessoas que dividiram algo grande juntos.

O livro aborda temas como o papel de cada um dos pais na família e o quanto isso influência as decisões e sonhos individuais, a busca do homem em relação à mulher, o viver a vida que se sonhou.
É bem pesado emocionalmente, pois a sensação de abandono e solidão é sempre muito clara, mesmo em Gabe. E a decisão que eles precisam tomar o tempo todo, as atitudes... É tudo muito humano, sabe? Você não sabe do lado de quem você fica, para quem você torce... Se perdoa. O quanto nossos pensamentos podem nos sabotar e criar teorias que nem sempre podem ter fundamento.

O quanto a comunicação em uma relação é importante.

Se quiser uma bomba emocional, esse livro é uma boa pedida. A realidade de muitos relacionamentos, de muitas vidas que vivem em locais de guerra.

E que todos nós devemos viver nossos sonhos. Sempre buscá-los e ser verdadeiros.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.