Menu

15.8.18

{Resenha} Um Amor de Sete Vidas



Título: Um Amor de Sete Vidas
Autor: Sérgio Chimatti
Editora: Planeta
Sinopse: Apesar de honesto e trabalhador, Diego, filho de Ruth se torna alcoólatra. Apaixonado por gatos, ele levava todos os bichanos que encontrava abandonados para casa, mas, era sua prima Cristiana quem cuidava deles. As histórias dos pais de Diego e Cristiana foram omitidas durante anos, mas o destino e forças espirituais começaram a revelar a Cristiana a verdade sobre o seu passado e de sua mãe. Como um verdadeiro amigo, o gato Café iluminava e encorajava Cristiana em cada momento de solidão e desconfiança. Nesta história, o leitor se surpreenderá com o que pode acontecer na vida após a morte, como o amor incondicional dos animais pode levar luz onde há trevas, a importância da verdade acima de qualquer coisa e como as relações familiares são um divisor de águas entre o amor e o rancor na vida de qualquer pessoa.
||Skoob||

Bom... sinceramente nem sei por onde começar (risos). Mesmo procurando não encontrei a sinopse que vem no livro (conta praticamente a história inteira), mas colocarei a foto para verem.

Em “Um Amor de Sete Vidas”, acompanhamos Cristiana, uma gótica que vende produtos esotéricos para ajudar na renda da família. A personagem divide a casa com a avó, a mãe e seu primo, Diego.

Cristiana está sempre se encontrando com seus amigos à noite no cemitério, onde declamam poemas e conversam entre eles. Com essas idas da protagonista no cemitério conhecemos mais dois personagens importantes, espíritos dos falecidos pai e avô da personagem.

Como diz na sinopse, cada gatinho que vê, seja na rua, seja no petshop, Diego os leva para casa, com pena dos animais. Mas quem cuida dos bichanos é Cristiana, que com o dinheiro que o primo dá a ela, compra ração e castra os animais. Além da obsessão por salvar animais, Diego é alcóolatra, gastando todo o dinheiro de seu salário com bebida, dificultando o cuidado dos gatinhos.

Hermelinda, mãe de Cristiana, lésbica assumida, dorme com o chefe para que ele não demita Diego da empresa em que ambos trabalham, a família é grande ( se contarmos todos os animais )  e passa dificuldades.

Mesmo com dificuldades financeiras, vivem em um bairro nobre, e os vizinhos “mais bem de vida” não gostam muito da gatil de Cristiana, em especial Suzana, que mora na casa ao lado, se irrita com os gatos que sempre conseguem pular o muro indo ao seu quintal.

A situação complica quando um dos gatos, o favorito de Cristiana, Café, pula o muro e cruza com a gata da vizinha, Valeska, da raça Maine Coon. Suzana se desespera ao perceber que sua gata preciosa engravidou de um gato vira-latas. Acaba obrigando Cristiana a cuidar de Valeska até que os filhotes nasçam e desmamem e claro, ela quem ficaria com todos os filhotes.

Com os problemas da gata, Suzana caí em depressão até que sua gata volte para ela.

Diego acaba por desenvolver cirrose, devido ao alcoolismo e falece. Mesmo após a morte, não se livra do vício e vira um “vampiro”,  um espírito que segue as pessoas com o mesmo vício que ele teve em vida e suga suas energias.

Cristiana, cercada por mistérios da família e guiada pelo gato Café, conversa com os espíritos em sonhos, onde a guiam e a fazem entender tudo que se passa.

Não contarei mais que isso, se não acabarei falando tudo (igual a sinopse). Devo confessar que não gostei muito desse livro. Nenhum dos personagens ou a história me agradaram.

Apesar de tudo, aborda vários temas como a depressão, os gatos e suas influências, as vantagens e desvantagens de prender um gato em casa, além dos temas do espiritismo.

É um livro espírita, então provavelmente quem gosta de temas assim vai gostar do livro. 


Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.