Menu

21.9.18

{Resenha} O Poder


Título original: The Power
Autora: Naomi Alderman
Editora: Planeta de Livros brasil – Minotauro
Sinopse: O que você faria se tivesse o poder em suas mãos?
“Jogos vorazes encontra O conto da aia.” (COSMOPOLITAN)
Em um futuro próximo, as mulheres desenvolvem um estranho poder: elas se tornam capazes de eletrocutar outras pessoas, infligindo dores terríveis... até a morte. De repente, os homens se dão conta de que não estão mais no controle do mundo.
“Um olhar fascinante no que o mundo poderia ter se tornado se o sexismo dos últimos milênios tivesse tomado rumos diferentes. Engenhoso... merece ser lido por todas as mulheres (e, claro, por todos os homens).” (THE TIMES)
“O poder é uma leitura explosiva.” (FINANCIAL TIMES)
“Um romance envolvente, que nos obriga a encarar uma distopia que já existe... e que está entre nós há séculos.” (MICHAEL SCHAUB, NPR)

Primeira coisa: acho que a sinopse não abrange a real complexidade do livro. Ele vai muito mais além dessa pequena introdução que a sinopse fornece, porém depende muito da interpretação de cada leitor e leitora. Acredito que alguns homens podem se sentir incomodados com a ideia de que as mulheres finalmente podem responder à altura os anos de violência sofrida.

São várias jovens e mulheres retratadas no passar do tempo, que nos levam por diversos anos enquanto a evolução acontece. Com um pequeno faiscar, a luz brota no peito da primeira mulher.

Roxy é uma criança britânica oriunda de uma família mafiosa, que descobre seu poder ao ser atacada por invasores em sua residência.

Olatunde Edo é um rapaz nigeriano que está aproveitando um dia na piscina, encantado com a prima de seu amigo. E o jovem descobre simplesmente... Que se ela quisesse, poderia matá-lo.

Allie é aquela que foi abandonada. Orfã, pulou de lar em lar até que um casal cristão a adotou. Espancada, abusada e criminosa, ela sabe que o futuro lhe reserva algo. Eva.

Margot é uma política que almeja ir mais além em sua carreira. Tem um companheiro de trabalho que sempre busca impedi-la de realizar seus intentos, porém esse novo poder que está surgindo entre as mulheres é um sinal.

Os capítulos variam entre estes personagens, com o tempo agindo como uma bomba-relógio em contagem regressiva durante 10 anos.


É iminente o fato de que as mulheres estão conquistando o poder: um poder que sempre esteve dentro delas e que agora se mostra e elas podem controla-lo. Homens estão na desvantagem e muitos deles não acreditam que as mulheres possam de fato mata-los.

Mas elas podem, se quiserem. E acontece de diversas formas, em diferentes momentos. Entre escravas sexuais que se viraram contra seus sequestradores, homens e/ou maridos violentos que sempre as mantiveram rebaixadas, diminuídas e submissas à suas vontades. E o maior medo daqueles que estão no poder é: “elas podem de fato nos vencer... E quem sabe, nos tratar como sempre as tratamos.”

O vai além no sentido de união: as mulheres são maioria no mundo... O que aconteceria se elas se unissem contra seus maiores algozes? Através da sororidade, afinidade, busca de alguém que é igual... De alguém que deseja o mesmo, alguém que traga uma nova ideologia, uma guerra pode acabar se iniciando.

Tunde viaja pelo mundo em busca desses pequenos focos de rebelião, mostrando o poder crescente das mulheres e o quão perigoso tudo se torna. Embora participativo, seu papel é meio que secundário. Afinal... É um livro sobre mulheres fazendo crescer seu poder.


É claro que há um grande plot twist. Você acaba meio que questionando vários dos acontecimentos para ver se são ou não justos, se o extremo e realmente necessário. O conteúdo pode acabar ficando pesado, achei algumas partes até mesmo desagradáveis. Mas é bem realista nesses pontos, ainda mais com tudo o que está em jogo.

Todas as personagens têm sua função de existir e todas lutam a seu próprio modo. O livro finalizou sem intenções de um segundo, mas eu bem que gostaria de saber mais sobre os acontecimentos! Talvez livros dedicados as personagens individualmente, haha!

Se deseja um livro com critica social, empoderamento e um boost de animo, corra para lê-lo!


Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.