Menu

13.9.18

{Resenha} O Tempo Desconjuntado



Título Original: Time out of joint
Autor: Philip K. Dick
Editora: Suma
Sinopse: Com edição especial em capa dura e projeto gráfico arrojado, uma obra inédita de Philip K. Dick chega ao Brasil, trazendo um retrato único da construção do medo, da desconfiança e da própria realidade.Ragle Gumm tem um trabalho bastante peculiar: ele sempre acerta a resposta para um concurso diário do jornal local. E quando ele não está consultando seus gráficos e tabelas para o trabalho, ele aproveita a vida tranquila em uma pequena cidade americana em 1959. Pelo menos, é isso que ele acha.
Mas coisas estranhas começam a acontecer. Primeiro, Ragle encontra uma lista telefônica e todos os números parecem ter sido desconectados. Depois, uma revista sobre famosos traz na capa uma mulher belíssima que ele nunca tinha visto antes, Marilyn Monroe. E para piorar, objetos do dia a dia começam a desaparecer e são substituídos por pedaços de papel com palavras escritas, como “vaso de flores” e “barraca de refrigerante”. A única alternativa que Ragle encontra para descobrir o que está acontecendo é fugir da cidade e de todos esses acontecimentos bizarros, contudo, nem a fuga nem a descoberta serão tão fáceis quanto ele imaginava.


||Suma||Skoob||


Ragle Gumm tem um trabalho bem diferente: todos os dias, ele desvenda em um jornal local um mistério sobre em qual quadradinho um homem verde estará. Esse concurso já tomou quase três anos de sua vida e ele acerta toda vez. Porém, já faz algum tempo que Ragle anda desconfiado de sua realidade.

Parece que seu trabalho no concurso é de suma importância, não só pelo dinheiro que isso lhe rende, como também é do interesse de um dos agentes do jornal. Esse aparece em sua casa algumas vezes para saber como andam suas respostas para o concurso. Além desse fato, estranhos acontecimentos o levam a duvidar do que acontece ao seu redor: uma lista telefônica com vários números e nomes que não existem; uma revista onde se encontra na capa uma mulher famosa que ele nunca ouviu falar; objetos começam a desaparecer e no lugar deles aparece apenas um pedaço de papel escrito o nome do objeto. O que anda acontecendo?


Ragle Gumm se questiona isso várias vezes e o estopim acontece quando ele escuta uma estranha conversa em um rádio. É ali que ele decide que deve ir embora da cidade o mais rápido possível. Só assim ele poderá encontrar as respostas que procura.

A edição dessa obra está muito caprichada e ainda é em capa dura, com folhas amareladas e ótimo espaçamento para as letras. A narração é feita em terceira pessoa com foco em Ragle.

O Tempo Desconjuntado é meu primeiro contato com a escrita do autor Phillip K. Dick. Não sei se poderia ter começado por um livro mais louco. Eu me sentia paranoica assim como Ragle Gumm com esse universo. Tudo o que tinha a sua volta era real ou apenas uma grande conspiração? Será que toda a realidade de Ragle era uma mentira ou ele era apenas um quarentão com tédio da vida que leva?


“Numa guerra civil, todos os lados estão errados. É inútil tentar separar uns dos outros. Todos são vítimas.” Página 263

Confesso que apesar de ter me envolvido muito com a história, um fato não foi abordado e explicado: o desaparecimento dos objetos. Se alguém leu esse livro, venha conversar comigo, pois quero entender o que aconteceu aqui. Rsrs... Fora esse pedaço, posso dizer que a história está muito bem escrita e o autor sabe nos enrolar direitinho. As revelações só acontecem nas cenas finais e eu fiquei chocada! Sinceramente não acreditava no que lia e tive que voltar os capítulos para entender o desenrolar da trama. Se você gosta de histórias loucas e cheias de mistério, O Tempo Desconjuntado deve fazer parte da sua lista de leitura.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.