Menu

25.12.18

{Resenha} Princesa das Cinzas



Título Original: Ash Princess
Autora: Laura Sebastian
Editora: Arqueiro
Sinopse: Best-seller instantâneo do The New York Times.
Primeiro volume de uma trilogia épica.
PRINCESA
PRISIONEIRA
ÓRFÃ
REBELDE
Theodosia era a herdeira do trono de Astrea quando seu reino foi invadido, deixando um rastro de destruição.
Dez anos depois, a princesa, órfã, prisioneira e subjugada, percebe que não lhe resta mais nada, a não ser lutar pela própria liberdade.
O passado, que por tanto tempo ficou enterrado, agora precisa vir à tona para mostrar a Theodosia os caminhos que poderão levá-la de volta ao trono.
Mas Theo conseguirá ser a rainha de que seu povo precisa? Ou será que anos de humilhações transformaram a herdeira da Rainha do Fogo em meras cinzas? 

Então, acho que esse acabou sendo um livro meio polêmico entre os leitores e leitoras dele, por causa da protagonista e como ela é descrita nas diversas sinopses do mesmo, assim como pelos elogios que estampam a capa. 

Lady Thora é a princesa de um reino que foi tomado pelos kalovaxianos, cujo kaiser age como um gafanhoto de todos os reinos que conquista: mata toda a realeza, subjuga o povo, consome toda a obra-prima do local e parte para o próximo. Astrea é um reino onde existe magia, cujas pedras encravadas nas veias da terra são tipo as catalisadoras desse poder. 

Mas nem essa magia foi capaz de rechaçar os kalovaxianos quando decidiram tomar Astrea. Theodosia viu a mãe, a rainha, ser morta na sua frente enquanto se abraçavam, quando ela tinha apenas 6 anos de idade. Você pode pensar que o kaiser foi piedoso ao mantê-la na corte, quando poderia tê-la mandado para as minas como todos os outros astreanos, como escrava. Mas a manteve bem perto... Pois a cada ato de rebeldia de seu povo ele a usa como válvula de escape para sua ira, pensando que isso irá diminuir a força de Astrea. Chicotada após chicotada, Theo deixa tudo de seu país para trás e esconde suas memórias atrás da máscara de Lady Thora, a jovem que é grata por continuar viva. 

Porém, alguma coisa racha essa máscara. Ser amiga de Crescentia, a única que se dipôs a sempre estar ao lado da Princesa das Cinzas... Uma irmã de coração. Mas tudo parece mudar quando SØren, o prinz filho do kaiser e da atual kaiserin, parece notar Thora. A Princesa das Cinzas percebe o ciúme de Cress e a crescente afeição do prinz e vê ali um jeito de escapar de sua gaiola dourada. 

Ela só não contava que também nutriria sentimentos por SØren. 

Ainda mais quando três rebeldes conseguem chegar até ela e juntos, eles trabalham para criar uma cisão no reino e abrir caminho para Astrea retomar todo seu poder. 

E aqui vamos nós ao ódio que tem se instalado por aí pela Theo: como a Sansa Stark, de As Crônicas de gelo e fogo, ela é alguém que se deixa subjugar por um plano maior. Nisso, a Bustle na frase que está na capa do livro acerta em cheio. Theo é alguém que planeja e aguarda... Suas emoções atrapalham? Sim, claro... Afinal ela também é humana, mas sabe qual é seu papel e o que precisa fazer... E na hora, ela não hesita. 

Quando a vida de seu povo está em jogo, quando tudo precisa ser questionado e queimado... Ela dá conta. 

Porém, ela ainda não se permitiu ao poder. Acredito que isso ficará para o próximo livro, pois ainda é muito apegada às crenças de sua mãe. 

A autora Laura Sebastian criou um mundo do zero, mas me fez lembrar o tempo todo da África. Penso que ela deve ter se baseado até mesmo em questões de idioma, não sei. É um chute muito distante meu, não sei nada sobre todos os dialetos da África, mas o modo o qual o país foi tomado, seu povo, as roupas coloridas... Me fez pensar muito em tudo o que a Europa fez com o continente africano. 

Os personagens são bons, com personalidades que tendem aos extremos: ou muito bom, ou muito ruim. E ainda há o SØren, que ao mesmo tempo que é parecido com o pai, não é. Ele ainda não definiu o que quer ser... Mas sabe que o pai é cruel. Gostei de todos os personagens, até os maus. Claro, quero ver seus finais.


Vi que Princesa das Cinzas será uma trilogia e o segundo filme será “Lady Smoke”, com data para a primavera de 2019 lá na gringa. O título é bastante sugestivo e sério... Quero que a Theo mostre todo seu poder e chute muitas bundas! Fiquei muito ansiosa esperando ver isso no primeiro livro e me decepcionei, então... Laura, por favor, não me deixe morrer na praia!

Como todos sabem, sempre sou sincera nas minhas resenhas... Não puxo saco de autor ou de editora, então eu de fato gostei do livro. Theo trabalhou com o que tinha para sobreviver, sendo a única marca que sua mãe deixou após sua morte. Então não, não a recrimino. Entendo muito bem que tudo o que ela fez foi necessário, então deixo esse trecho do livro aqui para que quem criticou muito as atitudes da personagem, refletir: 
“Nós não somos definidos pelas coisas que fazemos para sobreviver. Nós não nos desculpamos por ela." 
É isso. Eu recomendo a leitura do livro, é bem escrito e te faz pensar bastante em diversos conceitos que temos. 

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.