Menu

12.4.18

{Quotes} Operação Red Sparrow


As quotes de hoje são do livro Operação Red Sparrow!

A resenha já saiu aqui no blog e você conferí-la aqui!

Desde pequena, o sonho de Dominika Egorova era fazer parte do Bolshoi, o balé mais importante da Rússia. Após ser vítima de uma sabotagem, porém, ela vê sua promissora carreira se encerrar de forma abrupta. Logo em seguida, mais um golpe: a morte inesperada do pai, seu melhor amigo.
Desnorteada, Dominika cede à pressão do tio, vice-diretor do serviço secreto da Rússia, o SVR, e entra para a organização. Pouco tempo depois, é mandada à Escola de Pardais, um instituto onde homens e mulheres aprendem técnicas de sedução para fins de espionagem.
Em seus primeiros meses como pardal, ela recebe uma importante missão: conquistar o americano Nathaniel Nash, um jovem agente da CIA, responsável por um dos mais influentes informantes russos que a agência já teve. O objetivo é fazê-lo revelar a identidade do traidor, que pertence ao alto escalão do SVR.

Logo Dominika e Nate entram num duelo de inteligência e táticas operacionais, apimentado pela atração irresistível que sentem um pelo outro.

Neste livro eu marquei bastante coisa, mas muitas delas por conta do que eu pensei enquanto lia. Então acredito que vou ir discutindo as quotes um pouquinho, tá? Pelo menos aquela que eu lembrar do que eu pensei na hora huahuhauha!

Ah, e se não gosta de spoilers, recomendo não ler muito... Embora eu acredite não ter colocado nada chave do livro!
"A decisão de integrar os quadros da agência não tinha nada a ver com a vontade de escapar dos suspensórios e abotoaduras da vida de advogado, das colunatas de uma mansão colonial à beira do rio, das previsibilidades sufocantes de Richmond. Tampouco estava relacionada a uma noção de patriotismo. Nate não era nem mais nem menos patriota do que qualquer americano. Em vez disso, tinha tudo a ver com os saltos que seu coração dera quando ele, aos 10 anos, se obrigara a caminhar pelo beiral da mansão a uma altura de três andares, cara a cara com os gaviões que plainavam sobre o rio, apenas para enfrentar o próprio medo, o pavor que tinha do monstro, do fracasso. Tinha a ver com a tensão entre ele e o pai, ele e o avô, ele e os irmãos que exigiam uma conformidade que eles mesmos não estavam dispostos a oferecer."
"Dominika receou não ter estômago para levar aquilo até o fim. O que estariam esperando dela? O que fariam caso ela se levantasse e saísse dali? Seria dispensada do serviço? Não, não daria esse gostinho a eles. Queriam um pardal, não queriam? Então era isso que ela lhes entregaria."
"[...]Dominika, por sua vez, resistia, inventando pretextos para ganhar tempo e beirando as raias da insubordinação. Sabia que o coronel pretendia usá-la como pardal, que ele não tinha outra estratégia de recrutamento que não fosse uma armadilha sexual, que não acreditava nem um pouco no potencial daquela operação.[...]" - Os homens que só enxergam utilidade das mulheres nesse aspecto, tsc tsc. Sou jogadora de RPG então aviso a vocês, meninas... Se vocês estiverem jogando e o mestre forçar uma situação em que você só consiga se livrar usando o apelo sexual, é machistinha e você tem direito de brigar! Isso me deixa brava, tanto em livros quanto em jogos! Absurdo!
"[...] Era sobretudo uma vingança pessoal, contra eles. Sua intenção não era vender segredos de Estado, mas derrubar aquela longa sequência de dominós. Ela manteria o controle sobre as coisas, determinaria o ponto que elas poderiam alcançar até que sua sede de vingança fosse saciada. Não. Isso seria uma loucura completa.[...]"
"Amantes? Por Deus, eu jamais pediria a alguém para fazer isso com Nate. É muito sacrificio."
"-  Ele sempre quis abrir o jogo com você. A vida inteira. - prosseguiu Nina, e sussurrou: - Pois agora sou eu quem vai dizer: resista, minha filha. Lute contra eles. Sobreviva."
"[...] Isso está parecendo até um maldito romance de Jane Austen."
"[...] Em meio à saraivada de socos, Nate de repente se viu tomado por uma insana sequência de pensamentos: 1) Quanta sorte a dele, ser destacado para caçar a única ilegal russa no planeta que não era uma bibliotecária colecionadora de selos; 2) O que os colegas de trabalho dela, sobretudo os homens, deviam pensar quando viam aquele trator chegar de manhã no escritório?; 3) Que espécie de sexo devia fazer aquele ciborgue, se é que fazia sexo?[...]"
"Enquanto recolhia suas coisas, a sala já fazia, Benford imaginou os rostos papudos do Kremlin e pensou: Os camaradas queriam um canário? Então é isso que vão ter."
"[...] Você se surpreende. Percebe que adora essa vida de espiã, adora caminhar nesse gelo que pode rachar a qualquer momento, a adrenalina, os riscos, os perigos do dia a dia. Adora ter um segredo só seu.[...]"
Tentei moldar as quotes para não dar muitos spoilers, huahuhauha! E aí, já leram esse livro? O que acharam de minhas marcações?

Deixem nos comentários qual sua preferida!

11.4.18

{Resenha} Uma Proposta e Nada Mais

Título Original: The Proposal
Autora: Mary Balogh
Editora: Arqueiro
Sinopse: Após ter tido sua cota de sofrimentos na vida, a jovem viúva Gwendoline, lady Muir, estava mais que satisfeita com sua rotina tranquila, e sempre resistiu a se casar novamente. Agora, porém, passou a se sentir solitária e inquieta, e considera a ideia de arranjar um marido calmo, refinado e que não espere muito dela.
Ao conhecer Hugo Emes, o lorde Trentham, logo vê que ele não é nada disso. Grosseirão e carrancudo, Hugo é um cavalheiro apenas no nome: ganhou seu título em reconhecimento a feitos na guerra. Após a morte do pai, um rico negociante, ele se vê responsável pelo bem-estar da madrasta e da meia-irmã, e decide arranjar uma esposa para tornar essa nova fase menos penosa.
Hugo a princípio não quer cortejar Gwen, pois a julga uma típica aristocrata mimada. Mas logo se torna incapaz de resistir a seu jeito inocente e sincero, sua risada contagiante, seu rosto adorável. Ela, por sua vez, começa a experimentar com ele sensações que jamais imaginava sentir novamente. E a cada beijo e cada carícia, Hugo a conquista mais – com seu desejo, seu amor e a promessa de fazê-la feliz para sempre.

Depois da morte trágica de seu marido, Gwendoline, lady Muir, não pretende se casar novamente. Ela está viúva há sete anos e nenhum homem despertou seu interesse, mas na visita que fez a uma amiga, ela se vê atingida por uma solidão que não estava lá antes. E quando menos espera, está nos braços de um homem sério e carrancudo.

Hugo Emes, o lorde Trentham, era um soldado e recebeu o título por sua bravura na guerra. Ele não se considera um aristocrata só por conta do título e não gostaria de assumi-lo. Ainda temos o fato de seu pai ter sido um comerciante muito rico e morrido um ano depois de sua volta para a Inglaterra. Existem responsabilidades que Hugo deve cumprir, mas ele decidiu ter um ano isolado. Esse tempo acabou e agora ele deve voltar para o mundo real. E casar é uma das coisas que ele deve fazer para que sua meia-irmã tenha alguém para ajuda-la a entrar na alta sociedade. Hugo só esperava encontrar uma mulher que fosse lhe despertar tanto desejo de ficar perto e ao mesmo tempo longe.


O livro está com uma edição lindíssima! A capa tem detalhes de flores e a imagem da personagem como se estive dentro de um relicário. Muito lindo! A narração é feita em terceira pessoa, com a visão de Hugo e Gwendoline.

Não me senti cativada pelo casal Hugo e Gwendoline. Os dois passavam tempo demais no “te quero e não te quero”, “vou te cortejar e não vou te cortejar”. Nunca tinha uma decisão definida. Isso bem que poderia ter sido algo dinâmico para a história, mas acabou sendo o contrário. Não consegui ver a química do casal.
Porém, no livro temos dois casais de livros anteriores, não lançados aqui no Brasil. O livro nos conta só um pedaço da história deles e me deu um gosto de quero mais. Será que a Arqueiro pretende lançar? Eu sinceramente gostaria muito!


Uma Proposta e Nada Mais foi o terceiro livro da Mary Balongh que li e infelizmente me decepcionou. A autora tem uma escrita muito lenta e não faz nada empolgante acontecer. Acredito que o costume de ter sempre um momento de pura paixão ou discussões acaloradas entre os personagens faz mais meu estilo na leitura de romances de época. Porém, não pretendo desistir dos livros da autora, pois tenho esperança dos outros serem melhores para mim.

Vi resenhas positivas sobre esse livro, então você que o colocou na lista não o tire, pois o que não funcionou para mim, pode funcionar para você.



10.4.18

{Resenha} Ferida - Série Segredos # 1


Oie amores!
C-H-E-G-U-E-I! 


Chego daquele jeito, com toda a euforia, alegria e orgulho de uma das séries e autora que mais adoro!
Nunca me senti tão ansiosa e deliciada de poder ter nas mãos, uma das séries que mais amo no mundo. Os Irmãos Falcão são viciantes, com aquele romance envolvente que só a Diva Nana Pauvolih sabe escrever.
Vamos ao que interessa não é mesmo?
Confere a resenha aí negraaaaada!

*livro cedido pela editora

Sinopse:

“Primeiro livro da série Segredos.

Theodoro é o mais velho dos irmãos Falcão e assumiu os negócios da família após uma grande tragédia. Com personalidade marcante, dura e impositiva, tornou-se um homem acostumado ao poder e a ter a última palavra. Até que em seu caminho entra Eva, uma jovem com metade da sua idade que quer a qualquer custo se vingar da família Falcão. Trazendo com ela segredos do passado e usando uma identidade falsa, Eva está disposta a tudo para seduzir Theo e lutar contra uma grande injustiça cometida com seus avós e sua mãe. Mas, quando em meio ao ódio de Eva e aos fetiches de Theo surge uma poderosa atração, eles precisarão decidir quem irá ceder nessa disputa de gerações.”

Resenha

Os leitores que acompanham minhas resenhas sabem que sou uma fã assídua dos romances da Nana. Que tenho um amor tão grande pela autora, pelos personagens, pelo enredo que sempre tem o poder de me envolver do começo ao fim.
Fiquei muito feliz quando a Editora Essência informou que iria publicar a Série Perdida, pois até o momento só se podia “devorar” a série em e-book, ter o livro em mãos foi um desejo há muito tempo almejado pelas Nanetes, que finalmente virou realidade.

A Família Falcão é “praticamente” constituída por varões... e que varões!
Mesmo sendo irmãos, cada um é um ser único, com defeitos e qualidades. São unidos e protegem um ao outro, mas a estória que envolve a Família Falcão é turbulenta, causando inveja, traição e vingança.
Por conta de um problema que acontece com seu pai, Theo fica responsável em assumir tudo com a ajuda dos irmãos Joaquim, Heitor, Pedro pra tocar a “boiada” pra frente.

“Em sua inexperiência e doçura, deixava-me mais doido do que jamais estive. E eu, que pensava que já tinha visto tudo, que me guiava pela força e pela violência, estava domado pela sua delicadeza.” – Theo

Theodoro Falcão é o mais velho dos quatro irmãos, onde trabalha incansavelmente, não acredita no amor, “gosta” a sua maneira, a família acima de tudo, duro, frio, e sem conversa fiada, direto. Mas todos o respeitam ou o temem.
São ricos e influentes, respeitados em toda a pequena cidade de Florada, onde o sobrenome Falcão abre portas e tem força.

Envolvida em um grande escândalo, a família Falcão e a família Amaro se odeiam há muito tempo, e se remete a muito ódio, ressentimento, vingança e sede de justiça... e isso acontece de uma maneira planejada e orquestrada pela família Amaro.
E como na vida real, na ficção pode-se dar também um “olé” no destino.

" Você invadiu minha vida e até agora estou sem entender como. Estou me dando para você! Todo, não pela metade. Estou me dando com o que tenho de pior e de melhor. Vou cuidar de você como nunca foi cuidada." - Theo

O inusitado é que Eva Camargo (Amaro) e Theo Falcão se apaixonam loucamente.
Colocando os planos em risco, e a incerteza de que toda essa vingança é realmente necessária. Se todos os fatos são como sua mãe relatou, enveneno-a durante anos para odiar a família Falcão.

Theo luta consigo mesmo, por não querer mudar a sua rotina, sua vida, sua “maneira” de ser.
Eva completamente atolada em mentiras que crescem, vive sobressaltada entre dois mundos, onde foi designada para ser o anjo vingador, mas... novamente o tiro parece sair pela culatra.
É maravilhoso, vê-los em choque, como forças contrárias se digladiando e “curando” as feridas de guerra.

" E eu, que pensei que já tivesse visto de tudo, que me guiava pela força e pela violência, me vi domado pela delicadeza." - Theo 
Parabéns a Nana mais uma vez, pois seus livros apesar dos conflitos, a diversão tem lugar garantido. Quem lê os livros da Nana vai saber de quem eu falo rs.
A estória é linda, maravilhosa, numa sequência vertiginosa, onde ao passar cada página, não dá pra parar.
Mas o enredo é familiar, vingativo, traumático, com intrigas, segredos, com muito ódio guardado.
Nesse livro o leitor não sabe, em detalhes porque Micah é o filho renegado pelo patriarca, mas isso é assunto pros próximos livros.
A autora “renovou” algumas cenas que não tinha no ebook, me deixando intrigada se não vai ter realmente o livro do Joaquim e Gabriela. Vamos ver o que me aguarda mais a frente.

" Eu soube que estava perdida e, em algum lugar da minha mente diluída no prazer, dei-me conta que nunca mais seria a mesma. Eu me viciei completamente nele ali. Para sempre." - Eva
Por hoje é só amores.
Até a próxima. Tchau!



Título: Ferida - Série Segredos # 1
Autor (a): Nana Pauvolih
Editora: Essência
Número de Páginas: 352

9.4.18

{O menino que vê filmes} O mecanismo


Direção: José Padilha, Marcos Prado
Elenco: Carol Abras, Selton Mello, Henrique Diaz, Alessandra Colassanti, Lee Taylor, Jonathan Haagensen, Susana Ribeiro, Otto Jr., Leonardo Medeiros, Antônio Saboia, Osvaldo Mil.

ATENÇÃO: ALERTA DE SPOILER! Se você ainda não assistiu à série em questão neste post, prossiga por sua conta e risco.

Oi gente! Hoje eu vou abordar aqui a série da Netflix que está causando rebuliço no mundo político.

O MECANISMO não é novidade em termos de polémica na carreira de José Padilha. Anteriormente, em TROPA DE ELITE e TROPA DE ELITE 2, Padilha escancarou o submundo da polícia militar do estado do Rio de Janeiro e contou, com riqueza de datalhes, como surgiram as milícias. Na ocasião, Padilha conta que sofreu diversas represálias por parte das instituições citadas nos filmes.


Agora, José Padilha expôs, como uma espécie de continuação de Tropa de Elite, o início da Operação Lava Jato, que começou na divisão de crimes financeiros em Curritiba, Paraná.

O MECANISMO é, acima de tudo, extremamente didático e didático e informativo. Grande parte dos brasileiros, apesar de acompanhar os noticiários, não entendia muito bem do que se tratava a operação.

Obviamente, Padilha despertou a fúria de alguns setores da política, que o acusaram de dar falsas informações, uma vez que quase todos os personagens da série têm equivalentes na realidade.

Porém, meu objetivo aqui não é discutir política, de forma que eu deixo tais debates para as redes sociais.

Vem comigo?

A OPERAÇÃO


A Polícia Federal tem o costume de nomear suas operações com nomes vagos, que é um modo de proteger as investigações do público em geral até que seja pertinente torná-las públicas.

A Operação Lava-Jato recebeu esse nome porque começou com investigações a um doleiro ligado a grandes empreiteiros e que operava quantias milionárias do Brasil para o exterior. Era Alberto Yousseff, que movimentava suas operações a partir de um pequeno escritório nos fundos de um lava-jato.

Com o tempo, houve o fortalecimento da instituição conhecida como delação premiada, que consiste em, grosso modo, abrandar a punição daqueles que concordam em entregar seus comparsas. Não demorou até que algumas das pessoas mais importantes do país começassem a cair.


Após 8 anos de trabalho, a Operação Lava Jato já sofreu ataques do Ministério Público Federal, da Câmara dos Deputados, do Senado Federal e até do Supremo Tribunal Federal.

Continua operando até hoje e já culminou na prisão de diversos figurões da política brasileira, incluindo empreiteiros e até um ex-presidente da república.

OS PERSONAGENS


A equipe da Polícia Federal retratada na série é composta, num primeiro momento, pelos investigadores Marco Ruffo (Selton Mello) e Verena Cardoni (Caroline Abras), que foram inspirados no investigador Gerson Machado e na Delegada Erika Marena. Posteriormente, juntam-se a equipe Luiz Carlos Guilhomem (Osvaldo Mil) e Vander (Jonathan Haagensen).


Conforme foi dito no início, diversos personagens da série têm equivalência na vida real, como João Higino (Arthur Kohl) e Janete Ruskov (Sura Berditchevisky), respectivamente representando os ex-presidentes Luís Inácio Lula da Silva e Dilma Roussef. 

A lista completa dos personagens e seus equivalentes pode ser conferida aqui.

TRAMA

A primeira temporada da série começa com a investigação das movimentações financeiras do doleiro Roberto Ibrahim (Enrique Diaz) pelo policial Marco Ruffo, que juntava retalhos de extratos que o doleiro colocava no lixo.

Junto com sua parceira Verena Cardoni, Ruffo apresenta o resultado de suas investigações aos representantes do Ministério Público, que tratam de providenciar um acordo para que Ibrahim entregue os nomes dos envolvidos no esquema.


Ruffo é contra a realização de qualquer acordo com o doleiro. Em dado momento, acaba por ser exonerado da Polícia, dado seu descontrole emocional.

As investigações seguem com Ruffo operando dos bastidores e, aos poucos, o cerco se aperta ao redor dos homens mais poderosos do país.

CONCLUSÃO

A despeito de debates permeados por ideologias político partidárias, O MECANISMO é uma série muitíssimo bem produzida (como tudo que faz a Netflix) e vale a pena ser conferida.

Até a próxima, gente!