Menu

11.7.18

{Resenha} Interferências


Título Original: Crosstalk
Autor: Connie Willis
Editora: Suma
Sinopse: Combinando humor e romance, Connie Willis, ícone da ficção científica, entrega um livro envolvente sobre os perigos da tecnologia, do excesso nas redes sociais e... do amor. Em um futuro não muito distante, um simples procedimento cirúrgico é capaz de aumentar a empatia entre os casais, e ele está cada vez mais na moda. Por isso, Briddey Flannigan fica contente quando seu namorado, Trent, sugere que eles façam a cirurgia antes de se casarem — a ideia é que eles desfrutem de uma conexão emocional ainda maior, e que o relacionamento fique ainda mais completo. Bem, essa é a ideia. Mas as coisas acabam não acontecendo como o planejado: Briddey acaba se conectando com outra pessoa, totalmente inesperada. Conforme a situação vai saindo do controle, Briddey percebe que nem sempre muita informação é o melhor, e que o amor — e a comunicação — são bem mais complicados do que ela esperava. Mais complicado do que ela esperava.

Será que estar sempre conectado pode ser algo bom?

Briddey Flannigan é uma mulher independente, tem um bom emprego, mas sua vida não é fácil quando tem sua família e os seus colegas da empresa Commspsan xeretando sua vida pessoal. E a fofoca do momento é que ela vai fazer um EED com seu namorado Trent. EDD é um procedimento cirúrgico que faz com que aumente a empatia entre um casal, fazendo eles conseguirem sentir os sentimentos um do outros, melhorando assim o relacionamento.

Briddey aceita fazer, porém a notícia se transforma no assunto do momento na empresa e sua família não aceita a ideia. Até mesmo o quieto C.B Schwartz, o desenvolvedor de eletrônicos da empresa, está dando palpites. Ele diz que o EED pode acabar trazendo consequências terríveis para quem faz o procedimento. No entanto, ela faz mesmo assim e as consequências não poderiam ser as mais estranhas... Briddey acaba sendo conectada com ao C.B, na forma de telepatia entre os dois. Mas ainda assim, as coisas estão prestes a ficarem piores...

A edição está super caprichada! A capa está realmente incrível e combina muito com a história proposta. As folhas são amareladas e de boa qualidade. O único porém é a capa soft touch. Argh! Sério não consigo me acostumar com capas assim. Rsrs... A narração está em terceira pessoa com foco nas aventuras de Briddey.


A relação entre Briddey e C.B é maravilhosa! No início eles se estranhavam muito, pois Briddey  achava que ele estava atrapalhando sua relação com Trent, mas ao longo da história os dois começam a trabalhar juntos fazendo com que Briddey consiga superar alguns problemas que vieram por conta do EED. E isso acaba aproximando os dois mesmo contra vontade de Briddey.

Eu já imaginava que esse livro seria diferente de O Livro do Juízo Final, mas me surpreendi. Nessa ficção-científica temos um toque de romance e humor na medida certa. Achei incrível o modo como a autora Connie Willis criou esse universo tão conectado de forma diferente e como criou toda a teoria que embasa a telepatia. Porém um ponto me incomodou: Briddey foi muito passiva. Ela era uma mulher independente, mas eu a via muitas vezes muito submissa aos personagens da história, sejam femininos ou masculinos. Isso me deixava louca, mas fora esse fato a história transcorria muito bem.

Interferência tem uma dinâmica muito boa, mesmo sendo um livro gigantesco. Com muitas falas e momentos cômicos, nos inserimos rapidamente na história e logo pegamos o embalo nas peripécias nos personagens. Não tem como não nos divertir. Se você quiser se aventurar na área de sci-fi, indico esse livro, pois ele é leve. Assim você se acostuma a ler esse gênero e vai pode se apaixonar por essa história incrível! Não tem como resistir ao cabelo bagunçado, as camisas temáticas e ao próprio C.B.



10.7.18

{Resenha} A Faca Sutil

Título Original: The Subtle Knife
Trilogia: Fronteiras do Universo vol.2
Autor: Philip Pullman
Editora: Suma de Letras
Sinopse: Perdida em um mundo desconhecido, Lyra Belacqua encontra Will Parry - um fugitivo que logo se torna um aliado mais do que necessário. Afinal, este novo mundo é povoado por Espectros sugadores de alma, e no céu as feiticeiras disputam espaço com os anjos.
Will procura pelo pai, um explorador desaparecido há anos, e Lyra busca a origem do Pó. No entanto, o que os dois descobrem é um segredo mortal e uma arma de poder absoluto, capaz de decidir o resultado na guerra que se forma ao redor deles. O que nenhum dos dois suspeita é o quanto suas vidas, seus objetivos e seus destinos estão conectados... até que precisam se separar.

Will é um garoto de Oxford que passa seus dias cuidando de sua mãe, até que homens misteriosos começam a visitá-los constantemente em busca de algo sobre seu desaparecido pai.
Quando o menino acidentalmente mata um deles ao escapar, ele é obrigado a ir o mais longe possível para manter sua mãe em segurança e nessa fuga ele acaba por se deparar com algo extraordinário: uma janela para outro mundo.

Nesse mundo, povoado por crianças e espectros, dos quais nenhuma delas pode ver, ele conhece uma garota com um animal estranho, que o faz repensar seu possível esconderijo.

E é assim que Lyra conhece Will, um garoto de sua idade, sem daemon, mas que pelo que tudo indica está muito vivo. Ela que está em busca da origem do Pó, decide pesquisar sobre na Oxford de Will, que apesar de ser muito parecida, é totalmente diferente de sua própria Oxford. Além do fato de ninguém em seu mundo possuírem, ou ao menos saberem sobre daemons.

Enquanto Will tenta descobrir algo sobre o paradeiro de seu pai, ele terá que ajudar a menina a se ajustar ao seu mundo, para que não levantem suspeitas. Mas o trabalho parece ser um pouco mais difícil quanto pensava. E no meio disso tudo acabam se envolvendo com algo mais poderoso do que jamais imaginaram, uma faca capaz de abrir janelas para outros mundos!
"[...] uma gata encolhida contra a parede da torre, a orelha rasgada e a cauda torcida. [...] Will estava ajoelhado junto à gata.
E logo ela estava em seus braços. Quando ela saltou para o peito de Will, ele a segurou junto ao corpo e se levantou para enfrentar as crianças; por um segundo Lyra teve a ideia louca de que o daemon dele tinha finalmente aparecido."
Esse volume foi mais curto e um tanto mais trágico do que o anterior, para minha surpresa, mas ao mesmo tempo, a leitura me foi rápida, no sentido de haver bastante ação acontecendo por todos os lados. Pareceu focar mais na história de Will do que na de Lyra, embora ela esteja sempre presente.

Quanto a amizade que os dois começam a cultivar, provavelmente teve mais a ver com a necessidade da situação do que interesse mútuo, a princípio. Mas conforme perigos passam, e outros desconhecidos  se desenrolam sobre eles, memórias e sentimentos começam a ser compartilhados e a ligação dos dois fica mais forte.
"[...] Sendo assim, não conseguia dizer isso para Lyra, embora ela conseguisse ler tudo nos olhos dele - e isso era novidade para ela também: ser tão perceptiva. O fato era que, em relação a Will, ela estava desenvolvendo outro sentido, como se ele simplesmente estivesse mais nítido do que qualquer outra pessoa que ela conhecia. Tudo nele era claro, próximo e imediato."
Ainda no mundo desconhecido, nos encontramos com as feiticeiras, que estão em busca da pequena Lyra, por quem elas tanto tem afeição. E assim elas conhecem os Anjos, que não existem em seu mundo, mas que parecem dispostos a ajudar Lorde Asriel.

Devo dizer que em relação à elas, me senti bem decepcionada, pois já havia como expectativa uma grande ajuda, como no livro anterior, no entanto em A Faca Sutil, elas me pareceram não serem tão prestativas e úteis, quanto gostariam de ser. Talvez fosse por estarmos sendo apresentados à outras grandes aparições, como Anjos e os Espectros, mas em todo caso, fiquei um pouco chateada com as Feiticeiras.

Ao todo, o livro foi uma experiência maravilhosa. Em alguns momentos enquanto Lyra conversava com Will sobre suas aventuras, ou às vezes se lembrava de algo específico eu me pegava querendo reler o primeiro volume todo de novo, só para relembrar perfeitamente. Por ser mais curto do que o primeiro e as coisas acontecerem tão rápidas, ficava naquela adrenalina e naquele gostinho de "quero mais", tanto é que quando terminei, já estava pegando o último para poder começar! (risos)


9.7.18

{Resenha} A Escola do bem e do mal: Um mundo sem príncipes



Título original: The school for Good and Evil 2# - A world without princes.
Autor: Soman Chainani
Editora: Gutemberg
Sinopse: Um Mundo Sem Príncipes - Nesta esperada continuação de A Escola do Bem e do Mal, as melhores amigas Sophie e Agatha estão de volta ao seu lar, em Gavaldon, para viver seu desejado final feliz, certas de que seus problemas terminaram. Mas a vida não é mais o conto de fadas que elas esperavam. Quando Agatha escolhe um fim diferente para sua história, ela acidentalmente reabre os portões da Escola do Bem e do Mal, e as meninas são levadas de volta para um mundo totalmente modificado. Agora, bruxas e princesas moram juntas na Escola para Meninas, na qual são inspiradas a viver uma vida sem príncipes. Tedros e os meninos estão acampados nas antigas Torres do Mal, onde os príncipes se aliaram aos vilões, e uma verdadeira guerra está se armando entre as duas escolas. O único jeito de Agatha e Sophie se salvarem é procurando restaurar a paz. Será que as amigas farão as coisas voltarem ao que eram antes? Sophie conseguirá ficar bem com Tedros nessa caçada? E o coração de Agatha, pertencerá a quem? O felizes para sempre nunca pareceu tão distante.

Estava tão ansiosa para saber como continuava a história das amigas Sophie e Agatha que passei o livro 2 na frente de outros que tenho na lista!

Só que assim... Vou evitar ao máximo dar spoilers, mas do primeiro livro vai ficar difícil. Então se você é como eu e não gosta de spoilers, leia essa resenha com cautela!

Se quer conferir a resenha do livro 1, clique aqui! Garanto que vai gostar!

Sophie e Agatha estão vivendo seu final feliz, de  volta a Galvadon. Tiveram seu momento de fama ao retornarem, as únicas leitoras a terem deixado para trás a Escola do Bem e do Mal e agora tentam retomar suas vidas.

Agatha tem sua melhor amiga só para si; bem como todos os fãs das duas leitoras (na verdade só da Sophie, a menina pira em ser o centro das atenções minha gente!). A vida está boa, com sua mãe conseguindo mais trabalho pelo impacto de seu sucesso, mas ainda assim sente que tem algo errado...

Sophie é... Sophie. Faz de tudo para continuar sendo o centro das atenções, mas nem tudo está como ela gostaria. Algo que ela não queria que acontecesse, acaba acontecendo.

Em um pequeno instante, um único momento... Um único pedido silencioso, murmurado por sua alma, um desejo distraído... E tudo muda. Descobrimos segredos podres de alguns lugares, enquanto as duas jovens são arrastadas de volta para a escola.

Uma vez lá encaram as consequências de seu final feliz: as meninas acreditam que os meninos são desnecessários, não há mais príncipes.

Não existe mais a Escola do Bem e do Mal. Em seu lugar, está a escola dos meninos e a escola das meninas. A segunda é comandada pela reitora Evelyn, uma nova personagem nessa história. É uma mulher poderosa e magnífica, basicamente onipresente. Já a escola dos meninos está abandonada. Não há nenhum adulto para controla-los.

Os príncipes e vilões estão revoltados, já nem dá mais para definir quem é pertencia a qual lugar. Já as meninas estão muito bem, obrigada. Adaptaram-se a situação e estão tendo aulas de empoderamento, de como se virar sozinhas... Parecem estar muito felizes, exceto pelo fato de uma guerra iminente.

Qual lado venceria? Meninos ou Meninas? Quem está melhor preparado para esta batalha?

Este livro é bem diferente de seu predecessor, aponta bem as mudanças nos personagens, como evoluíram ou não em todo esse processo. Também conhecemos o passado de alguns professores, informações que já ajudam o leitor a criar teorias e conspirações sobre outros personagens.

Sophie está feliz com sua nova posição, está finalmente onde queria estar e a nova ordem lhe agrada. Mas Agatha não confia em tudo o que está acontecendo e deseja restabelecer a ordem.. E teme que a Bruxa volte.

A desconfiança domina os ares e cada uma das amigas fará o possível para atingir seus objetivos. O futuro do casal parece distante de ter um final feliz. Tedros se prova cada vez mais um jovem comum... Confuso e sem saber o que fazer.

Será que a amizade de fato irá superar tudo?

O final me deixou de coração partido. Para quem acompanhou a trajetória dos personagens, um final daqueles foi... Terrível demais. Ver que tudo estava caminhando por aquele rumo realmente me destroçou.

Só estou me segurando para não começar logo o terceiro livro, pois o quarto irá ser lançado só em agosto!!! <o> Segue capa e não vou colocar a sinopse... Se desejar lê-la, clique aqui!