Menu

3.1.19

{Resenha} Escrito nas Estrelas - Michelle Celmer e Jules Bennett


Oie amores! C-H-E-G-U-E-I!


 Vamos conferir mais uma resenha maravilinda da Editora Harlequin?
Vamo nessa!


HERDEIROS DA PAIXÃO – Michelle Celmer

O dobro de chances para se apaixonar!


Sinopse:

“Será que Holly Shay estava vendo um fantasma? O homem que batera em sua porta era exatamente igual ao seu falecido marido. Mas quando ele explica que é irmão gêmeo dele, Holly consegue se acalmar e começa a sentir uma estranha atração... não necessariamente nesta ordem. Após a morte de seu problemático irmão, Jason Cavanaugh decidiu ajudar seus sobrinhos. E não será problema algum ter que se casar com Holly para conseguir a guarda dos bebês. Mas Jason abriga em si um estranho segredo que poderá acabar com suas chances de ser feliz ao lado de Holly.”

Resenha

Em uma festa Holly conhece Jeremy, os dois são jovens, lindos e se curtem demais, tanto que dentro de aproximadamente um ano, estão “casados” e com gêmeos nos braços.
Só que Holly não sabia que um cafajeste entrara em sua vida e em seu coração.
Toda informação que ele lhe dera era falsa, isso ela ficou sabendo, quando ele morreu de uma overdose e seu irmão gêmeo idêntico apareceu na sua casa.

Depois que ela desmaiou do susto, Jason(irmão de seu marido) se apresentou e só encontrara o endereço de Jeremy quando o advogado o informou que a pensão de dez mil dólares que ele recebia do irmão não era descontada no mês que passara (Jason não sabia da existência de Holly).
Jason se encantara com a beleza e fragilidade aparente de Holly e amara os sobrinhos assim que os vira.

A muito custo Jason conseguiu levar “mãe e filhos” para morar em sua casa e assim como a vida agora era paz e tranquilidade para a família Cavanaugh, a atração que sentiam um pelo outro não era mais controlável.
Vivendo como marido e mulher Jason e Holly, sentiam falta de um complemento: um eu te amo nunca dito.
O motivo alegado era: ela não queria enterrar outro marido e o motivo de Jason era pessoal, traumático e genético.
Mas será que com todo amor que sentem um pelo outro, não poderão em nome do amor e bem estar dos gêmeos, resolver as diferenças e vencer as dificuldades?
Quem dará o primeiro passo?
O que acontecerá para que o impossível aconteça?

Muito boa à estória, humana, dentro de uma ficção “real”, onde o amor vence qualquer barreira. Adorei!

AMOR DE INVERNO – Jules Bennett

Corações quentes em uma noite fria!



Sinopse:

“Durante anos, o bilionário Max Ford acreditou que Raine Monroe o traíra. E agora que está de volta à cidade, ele quer respostas. Mas sua ex planeja manter a boca fechada e o coração longe de tentações... até que uma nevasca os prende em uma charmosa casa de campo. Logo, o sensual Max a deixa mais derretida do que a neve lá fora. Porém, Raine precisa parar com esta loucura antes que seu flerte comprometa suas chances de dar um pai para a sua filha. Antes que seja impossível ir embora... e antes de segredos do passado virem à tona.”

Resenha

Por uma trama bem feita, tanto de um lado como do outro, Max Ford e Raine Monroe foram separados.
Cada um pensava que o outro era culpado por não responder cartas e telefonemas que eram interceptadas pelos familiares.
Max fez carreira como ator, ganhou “Oscar”, ficou famoso e rico.
Para Raine sobrou à lembrança de Max, dor, desilusão e a rejeição dos pais, pois a queriam dondoca e não fazendeira, criando bichos e arando terra.

Depois de quinze longos anos, a mãe de Max adoece e ele em pessoa, vem passar uma temporada com ela e qual não é a surpresa quando ele entra na cidade e encontra um carro que escorregando no gelo e encalha na valeta.
Solidário, apesar do frio tremendo e da neve que cai, Max sai do seu carro e surpreso encontra ao volante nada mais, nada menos que sua antiga namorada de infância Raine e na cadeirinha no banco detrás, um lindo bebê que dorme.

Já se passaram muitos anos, mas a magoa entre os dois nunca diminuiu.
E Max fica pensando, quem será o homem pais do bebê de Raine? E isso lhe trás um mal estar.
Depois de alguns dias já instalado na casa de sua mãe, Max não aguenta e vai visitar Raine, que mora na fazenda que era de sua avó.
Aí acontece uma nevasca poderosa e Max fica “confinado” por três dias na fazenda de Raine e os três se esquecem do mundo lá fora.
Como reagirá o casal depois que a neve passar? Se perdoarão? O amor os resgatará?

Adorei o casal e a neném, nevasca e confinamento.

Nada mais romântico, um casal passando “a limpo” o passado, o amor que ressurge mais forte e a mentira machuca, mas não mata.
Estórias com bebê são realmente encantadoras, por isso é sempre uma das minhas primeiras opções para leitura. Se tem bebê no meio, eu estou lendo. 💗


Duas estórias lindas e ainda mais maravilindas  pelos bebês fofinhos e adoráveis que encanta e sempre me deixa boba. Amo!
Essa resenha ganhou o selo com louvor!



Por hoje é isso amores, espero que tenham curtido a resenha como eu amei ler o livro. Foi muito gostoso de ler e conhecer esses casais e seus bebês.
Então é isso amores. Até a próxima. Tchau!


Título: Escrito nas Estrelas
Autor (a): Michelle Celmer e Jules Bennett
Editora: Harlequin
Número de Páginas: 320


2.1.19

{Resenha} O Horror da Guerra: Uma provocativa análise da Primeira Guerra Mundial



Autor: Niall Ferguson
Editora: Crítica
Sinopse: A Primeira Guerra Mundial matou cerca de oito milhões de homens e destruiu as finanças da Europa. Será que todo esse sacrifício valeu a pena ou a tragédia poderia ter sido evitada? Em O horror da guerra, Niall Ferguson, um dos principais historiadores contemporâneos, faz uma profunda e inteligente análise sobre o conflito que assolou a Europa e o mundo entre 1914 e 1918. Ele aborda os reais motivos que levaram à guerra, a reação da população dos países envolvidos, as condições em que os soldados lutavam e o processo de formação da Entente e da Aliança. Ao final do livro, Ferguson leva o leitor a concluir que esta guerra foi o maior erro da história moderna.

Este foi, de longe, o livro que mais demorei a ler este ano. Ao abrir a primeira de 768 paginas, eu sabia que seria uma leitura longa... mas não sabia o quanto. Explico os motivos a seguir!

Niall Ferguson se prontifica, logo nas primeiras paginas, a responder 10 perguntas:

- A guerra era inevitável, seja por causa do militarismo, do imperialismo, da diplomacia secreta ou da corrida armamentista?

- Por que os líderes alemães apostaram na guerra em 1914?

- Por que os líderes britânicos decidiram intervir quando a guerra eclodiu no continente?

- A guerra foi realmente recebida com entusiasmo popular, como muitas vezes se afirma?

- A propaganda, e especialmente a imprensa, mantiveram a guerra em curso, como acreditava Karl Kraus?

- Por que a enorme superioridade econômica do Império Britânico não foi suficiente para derrotar os Impérios Centrais mais rapidamente e sem a intervenção norte-americana?

- Por que a superioridade do exército alemão não foi capaz de derrotar os exércitos britânico e francês na Frente Ocidental, como fez com a Sérvia, Romênia e Rússia?

- Por que os homens continuavam lutando quando as condições no campo de batalha eram, como contam os poetas da guerra, tão deploráveis?

- Por que os homens deixaram de lutar?

- Quem ganhou a paz - para ser preciso, quem apagou pagando pela guerra?

Na tentativa de responder tais perguntas, Niall vai muito além de descrever os acontecimentos da Primeira Grande Guerra: a analisa de cabo a rabo, destrincha seus porquês e derruba tabus (como aquele de que "a guerra era inevitável" segundo outros autores e livros didáticos).

Todo o trabalho de pesquisa realizado pelo autor é digno de parabenização; é um apurado de fontes enorme! Mas, Ferguson não se prende apenas a relatar os fatos, ele principalmente os analisa e nos dá um retrato da Primeira Guerra diferente do que estamos acostumados a ver. 


O livro, para uma leitora que pouco tem costume de ler obras de cunho histórico/político, é enfadonho. Fico até com vergonha de dizer isso porque era uma leitura que eu estava ansiosa para fazer! Entender um pouco mais de um dos conflitos históricos que mais me "fascina" era algo que eu queria; mas o livro vai muito além disso. Discute sobre as motivações de cada líder, sobre as investidas e suas consequências, discute sobre as possibilidades do que "podia ser mas não foi" durante os anos de 1914-1918.

Confesso que este deve ser um livro maravilhoso, rico, bem construído. Mas não posso avaliar isso. Nem a presença de imagens fascinantes (e às vezes sombrias também) conseguiu reverter a sensação de que essa seria a leitura mais pesada é densa do ano. Mas isso não quer dizer que o livro é ruim, eu que sou a leitora errada. De vez em quando, infelizmente, sair da zona de conforto não termina bem.