Menu

8.3.19

{Dia Internacional da Mulher} Autoras preferidas!


É tarde, mas sei que ainda há tempo de fazer esse post. Afinal, é o mês que representa a nossa luta de todo dia em busca de um mundo de direitos igualitários. Por isso, eu resolvi falar sobre todas as mulheres escritoras que eu admiro e que estão em grande parte da minha estante.

Tem uma que me acompanha já há muito tempo, até. Sei que ela é envolvida em um monte de polêmicas e talz, mas gosto do que ela produz.

E tem tantas autoras que eu gosto... Ai ai. Vamos começar então, okay? Não vou colocar em ordem de que gosto mais, mas sim que eu vou lembrando, tá?

Marion Zimmer Bradley é uma escritora norte-americana, cujo trabalho mais conhecido é a quadrilogia As Brumas de Avalon. Começou a escrever aos dezesseis anos, após sua mãe lhe dar uma máquina de escrever e foi um sucesso rápido. Sua série que eu mais gosto é meio desconhecida aqui no Brasil, embora tenha muitos volumes publicados aqui: Darkover. Gosto muito da escrita dela, pois é empoderadora e feminista, com muitas mulheres nos papéis principais. Vale muito a pena conferir e a Editora Planeta relançou As Brumas de Avalon numa edição maravilhosa... Mas mantenha também a série Darkover em mente!!!



Anne Rice. A melhor vampirista. Seus vampiros são criaturas com toques humanos profundos, carregados de sentimentos, defeitos e qualidades e que podem viver por milênios... A imortalidade pode ser ou não um fardo para eles, que possuem suas próprias éticas e leis. Ela também chegou a escrever uma série erótica sob o pseudônimo de A. N. Roquelaure.





Ava Dellaira é uma das minhas novas queridinhas desde Cartas de amor aos mortos. Todos seus livros trazem algum tipo de tema importante e reflexivo para os jovens. São sempre carregados de emoção e de personagens extremamente reais que tocam sua alma. Pelo menos sempre foi assim comigo.





Chimamanda Ngozi Adichie tem sido para mim uma divisora de águas para mim. Além de trazer questionamentos e reflexões, me mostrou um mundo que eu desconhecia simplesmente por ignorância. De escrita realista e forte, ela  nos apresenta vidas e a história da Nigéria, algo que simplesmente não existe muito na grade curricular da escola. 


São muitas autoras que dominam minha estante, não daria para falar de todas. Mas estou pensando em começar uma nova série aqui no blog, de autores que eu leio bastante, o que acham?

E assim... Nós somos mulheres, trabalhamos com tudo o que temos para tornar nossas vidas e as vidas que das pessoas que amamos um pouquinho melhor. Se estamos numa situação de desigualdade, precisamos encontrar formas de sair dela. E sempre vamos encontrar um jeito de sair, sempre vamos arrombar portas... É isso que essas mulheres nos ensinam, é isso que as autoras sempre nos mostraram: nós podemos. E nós vamos. Vamos enfrentar guerras, vamos enfrentar e mostrar que podemos mais. Sempre.

Seja a protagonista da sua história.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.