Menu

20.3.19

{Resenha} outros jeitos de usar a boca



Autora: Rupi Kaur
Editora: Planeta de Livros Brasil
Sinopse: outros jeitos de usar a boca é um livro de poemas sobre a sobrevivência, sobre o amor, o sexo, o abuso, a perda, o trauma, a cura e a feminilidade. o livro é dividido em quatro partes, e cada uma delas serve a um propósito diferente. lida com uma dor diferente. cura uma mágoa diferente. outros jeitos de usar a boca transporta quem o lê em uma jornada por momentos amargos da vida e encontra uma maneira de tirar delicadeza deles. publicado inicialmente de forma independente por rupi kaur, poeta e artista plástica nascida na índia e que vive no canadá, o livro se tornou o maior fenômeno do gênero nos últimos anos nos estados unidos, com mais de 2 milhões de exemplares vendidos.


Depois de ficar encantada com o que o sol faz com as flores, fiquei ansiosa para ler o primeiro livro de grande sucesso de Rupi Kaur. A edição concedida pela Planeta tem um prefácio inédito da autora e, oh-meu-deus, eu não poderia ter pedido nada melhor! Conhecer (um pouco de) Rupi Kaur pelos seus poemas foi incrível quando li o que o sol faz com as flores, mas ver Rupi se apresentando, se abrindo, conversando sobre sua vida e sua história abertamente, valeu a pena.



Neste prefácio, a autora nos conta sobre sua terra natal, seu nascimento, seus problemas familiares, o nascimento de sua poesia. Um fato muito interessante que Rupi compartilhou e faço questão de compartilhar aqui foi sobre sua escrita peculiar. Pensei que usar apenas letras minúsculas e ponto final fosse um capricho da autora, uma questão estética ou algo assim. Eu não podia estar mais enganada.

"quando começo a escrever poesia no ensino médio sinto um desejo profundo de escrever na minha língua mãe. há beleza em suas formas. gurmukhi é a escrita punjabi que usa apenas o ponto final. não há nenhuma outra pontuação. todas as letras são tratadas do mesmo jeito. sem distinção entre maiúscula e minúscula. eu gosto dessa simplicidade. tão simétrica e completamente direta. passo um tempo tentando escrever poesia em punjabi. mas não consigo porque não sei usar a língua de um jeito visceral. eu me pergunto o que aconteceria se eu incorporasse algumas de suas características ao meu trabalho em inglês. apenas pontos finais. tudo em minúscula. é assim que nasce o formato de outros jeitos de usar a boca."



No restante do livro, em seus poemas - na maioria curtos -, a autora versa sobre dor - amor - ruptura - cura. Um ciclo. Cada um desses temas é abordado em todas as suas vertentes: a dor também ensina, o amor também machuca, a ruptura pode ser um recomeço, a cura pode ser dolorosa. 



A experiência de ler outros jeitos de usar a boca foi intensa. É um livro sobre resistência, no final das contas. Versa sobre estupro, sobre relações familiares, sobre términos. É um livro forte e tocante, que merece ser lido várias e várias vezes - foi o que fiz com o que o sol faz com as flores, é o que farei com outros jeitos de usar a boca. Viva Rupi Kaur e sua escrita apaixonante.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.