Menu

8.3.19

{Dia Internacional da Mulher} Autoras preferidas!


É tarde, mas sei que ainda há tempo de fazer esse post. Afinal, é o mês que representa a nossa luta de todo dia em busca de um mundo de direitos igualitários. Por isso, eu resolvi falar sobre todas as mulheres escritoras que eu admiro e que estão em grande parte da minha estante.

Tem uma que me acompanha já há muito tempo, até. Sei que ela é envolvida em um monte de polêmicas e talz, mas gosto do que ela produz.

E tem tantas autoras que eu gosto... Ai ai. Vamos começar então, okay? Não vou colocar em ordem de que gosto mais, mas sim que eu vou lembrando, tá?

Marion Zimmer Bradley é uma escritora norte-americana, cujo trabalho mais conhecido é a quadrilogia As Brumas de Avalon. Começou a escrever aos dezesseis anos, após sua mãe lhe dar uma máquina de escrever e foi um sucesso rápido. Sua série que eu mais gosto é meio desconhecida aqui no Brasil, embora tenha muitos volumes publicados aqui: Darkover. Gosto muito da escrita dela, pois é empoderadora e feminista, com muitas mulheres nos papéis principais. Vale muito a pena conferir e a Editora Planeta relançou As Brumas de Avalon numa edição maravilhosa... Mas mantenha também a série Darkover em mente!!!



Anne Rice. A melhor vampirista. Seus vampiros são criaturas com toques humanos profundos, carregados de sentimentos, defeitos e qualidades e que podem viver por milênios... A imortalidade pode ser ou não um fardo para eles, que possuem suas próprias éticas e leis. Ela também chegou a escrever uma série erótica sob o pseudônimo de A. N. Roquelaure.





Ava Dellaira é uma das minhas novas queridinhas desde Cartas de amor aos mortos. Todos seus livros trazem algum tipo de tema importante e reflexivo para os jovens. São sempre carregados de emoção e de personagens extremamente reais que tocam sua alma. Pelo menos sempre foi assim comigo.





Chimamanda Ngozi Adichie tem sido para mim uma divisora de águas para mim. Além de trazer questionamentos e reflexões, me mostrou um mundo que eu desconhecia simplesmente por ignorância. De escrita realista e forte, ela  nos apresenta vidas e a história da Nigéria, algo que simplesmente não existe muito na grade curricular da escola. 


São muitas autoras que dominam minha estante, não daria para falar de todas. Mas estou pensando em começar uma nova série aqui no blog, de autores que eu leio bastante, o que acham?

E assim... Nós somos mulheres, trabalhamos com tudo o que temos para tornar nossas vidas e as vidas que das pessoas que amamos um pouquinho melhor. Se estamos numa situação de desigualdade, precisamos encontrar formas de sair dela. E sempre vamos encontrar um jeito de sair, sempre vamos arrombar portas... É isso que essas mulheres nos ensinam, é isso que as autoras sempre nos mostraram: nós podemos. E nós vamos. Vamos enfrentar guerras, vamos enfrentar e mostrar que podemos mais. Sempre.

Seja a protagonista da sua história.

6.3.19

{Resenha} Destino Tentador - MacGregors # 2 - Nora Roberts


Oi amores. C-H-E-G-U-E-I!


 E novamente com o coração cheio de amor, volto com a continuação do Clã mais amado e idolatrado do planeta: Os MacGregors. 💗


Sinopse:

“O advogado Caine MacGregor tem a reputação de ser um demônio dentro e fora do tribunal. Impetuoso, raramente se depara com um caso – ou uma mulher – que não possa ganhar. Mas Diana Blade é diferente. Caine anseia por quebrar a fria barreira de autocontrole dela e libertar toda a paixão que existe em seu interior. Ele a convence a formar uma parceria profissional, mas será que conseguirá persuadir Diana a arriscar tudo pelo amor de um MacGregor?”


Resenha

Daniel MacGregor está de volta!
O patriarca mais famoso e querido da literatura conseguiu casar a filha Serena com o comanche Justin Blade e está à espera dos tão sonhados netos.
Diana Blade não vê seu irmão Justin há quase vinte anos. Depois que seus pais morreram num acidente, ele foi embora e não deu mais nenhuma noticia.
Aos seis anos acabou ficando aos cuidados de sua Tia Adelaide, não foi acolhida por amor, mas sim por causa de um senso de dever.

Diana sofria com a educação rígida, pois a descendência Comanche não deveria existir na opinião de sua tia, deveria ser completamente apagada.
O que tornou Diana (criança) cautelosa, obediente e sem desejos ou vontades. Tinha de seguir as regras da Tia a risca, para ser aceita.

Tinha chegado a hora de rever seu irmão em Atlantic City, mas o pânico a dominava.
Por mais que dessa vez o encontro novamente entre um Blade e um MacGregor não tenha sido obra das artimanhas de uma conhecida “raposa velha e astuta”, Caine conheceu Diana e se encantou de imediato.
Os dois tinham muitas coisas em comum como a advocacia, estudaram na mesma faculdade em Harvard e agora são parentes por conta do casamento de seus irmãos.


Diana descobriu coisas de sua vida que não passou de uma grande mentira e essa revolta acometida disso, lhe fez entender muitas coisas.
Voltando para Boston, ela decidiu mudar de vida, caminhar por suas próprias pernas e crescer pelos seus méritos.

Fugir de Caine parecia ser uma boa escolha, só não contava que aquele homem lindo e sedutor, não conseguiria esquece-la e não deixaria que ela continuasse fugindo do que sentiam um pelo outro.
Caine não foi criado para desistir daquilo que queria, era persistente, paciente e insistente. Bem parecido com seu pai Daniel MacGregor, que não permitiria que seu filho envergonhasse a sua linhagem dessa forma.


Caine queria Diana e desistir dela não estava em seus planos. Sabia que não seria nada fácil ter aquela mulher incrível para si, mas o que era fácil em sua vida? Seria um advogado em seu próprio caso de amor, remediando, avaliando e orquestrando formas de fazê-la compreender que não iria se livrar dele tão fácil.
Por mais que Diana quisesse Caine, o seu medo era mil vezes maior. Dificultando que ela se entregasse a esse romance que começava a quebrar as barreiras que ela criou durante anos.

A convivência entre os dois era maravilhosa, trabalhavam juntos e dividiam opiniões e conversavam sobre os casos que Diana iria defender e vice versa.
Mas Diana permitiria que Caine se apossasse não só de seus pensamentos, mas também de seu coração?
Não parecia certo investir em algo que logo poderia perder, seu trabalho era mais importante e queria ter sucesso e crescer na sua profissão. Amar Caine não estava em seus planos... pena que um MacGregor não é fácil de se resistir.

Estava chegando o dia do aniversário de Daniel, e qual não foi a surpresa de Diana em atender ao telefone e conversar com o velho, que o que tinha de intrometido tem de engraçado. Astuto como só ele sabe ser, sabe dar indiretas e manipular as pessoas com ela como ninguém. Um bom sangue faz uma linhagem forte como já dizia o patriarca. 


A estória desse casal é fabulosa, Caine tão persistente e obstinado quanto seu pai, Diana amedrontada e com medo de arriscar e de se machucar. A junção desses dois é linda, porque por mais que ela tente ser forte em não aceitar as investidas do advogado, no fundo o amor que sentia se tornou mais forte.
Nora Roberts tem o dom de me deixar ainda mais apaixonada por suas estórias e personagens, a cada livro que leio.
Pode ser releitura de algum livro ou até mesmo série (no caso essa série), que a sensação de alegria e amor toma conta. Sempre!

São personagens fortes, que tem como referência seus pais, o amor e carinho que sentem um pelo outro há mais de quarenta anos, respeito e orgulho da família no conjunto. Fico relendo ansiosa pra ler as partes em que o patriarca aparece pra dar o seu recado aos filhos, sempre dizendo que é Anna (sua mulher) que quer netos, que sente a falta dos filhos, que foi abandonada. Mas é tudo fachada! Ele usa a mulher como pretexto e acha que engana os filhos. É sensacional! Não me canso de elogiar essa série.
O Clã MacGregor é simplesmente extraordinário!


O selo é merecido!
Espero que tenham curtido a resenha, tanto quanto amei reler. Logo trago as continuações para vocês. Vou amar reler toda a série novamente, depois de muito tempo. 💗
Até a próxima amores. Tchau!


Título: Destino Tentador - MacGregors # 2
Autor (a): Nora Roberts
Editora: Harlequin
Número de Páginas: 223