Menu

19.3.20

{Resenha} Uma Canção de Natal – Charles Dickens


Oie amores.
C-H-E-G-U-E-I!


Recebi o livro com atraso, por culpa dos correios daqui... que não 
entregou quando chegou e o livro acabou voltando.
Por isso a resenha saiu bem depois do Natal, mas não faz mal, 
pois estória deve ser repassada para todos os leitores que 
gostam de uma boa estória clássica.
Confere aí a resenha!


*livro cedido pela editora

Sinopse:
"Incapaz de compartilhar momentos de amizade e de compreender a magia do Natal, Ebenezer Scrooge só encontra refúgio na riqueza e na solidão. Até que, num 24 de dezembro, recebe a visita do fantasma de Jacob Marley, seu ex-sócio falecido há sete anos.
É ele quem avisa a Scrooge que mais três espíritos o visitarão para lhe dar a chance de mudar seu triste fim e ser poupado de vagar a esmo depois de morto, como Marley. Assim, o Fantasma dos Natais Passados, o Fantasma do Natal Presente e o Fantasma dos Natais Futuros levarão o protagonista para uma viagem no tempo, mostrando-lhe que a generosidade é sempre a melhor escolha.
Um dos livros mais carismáticos da literatura inglesa, Uma canção de Natal recebe o crédito por ter concebido a celebração desse evento como a entendemos hoje: uma ocasião para agradecer e ajudar o próximo."
Resenha
A introdução é um primor de informações, que eu gostei.
São vinte e duas páginas que antecedem à estória. O prefácio é escrito pelo próprio Dickens, em Dezembro de 1843. Gostei da expressão – “morto como um prego”.
O redator dessa estória é o próprio autor. Seu personagem principal é o banqueiro sovina, o Sr. Ebenezer Srooge. A estória é macabra sem ser assombrosa.
A descrição de cada espírito é macabra, não consegui ler esse livro a noite, confesso pra vocês rs.

Charles Dickens é detalhista minucioso, me lembrou José de Alencar. Essa estória, na verdade tem quatro fantasmas: o primeiro é Marley, sócio de Ebenezer, outro sovina igual ao amigo, sem coração, que veio anunciar a vinda dos outros três fantasmas.


E por que esse fantasma voltou ao mundo, para visitar Ebenezer? Não foi saudade, foi um ato de grande generosidade, qualidade que ele não possuía em vida.
Marley queria que Scrooge, não passasse a eternidade, como ele estava passando.
As visitas aconteceram como Marley dissera e o proposito era mudar o comportamento de seu amigo, principalmente nos períodos natalinos. Era a chance dele se redimir.

E depois que os três fantasmas que viriam (Fantasma dos Natais Passados, o Fantasma do Natal Presente e o Fantasma dos Natais Futuros) mostram a ele o Scrooge do passado, o ser humano avarento e sem caridade que ele era como o Scrooge presente, se comportará perante essa realidade?
Como ele vai encarar o Natal, a família, o “ter”?


Gostei muito do livro, apesar do assombro. Mas valeu a pena.
Quem dera descesse a terra, milhões destes, fazendo o mesmo trabalho. Leiam esse clássico e você verá que valeu a pena.
Já li livros demais e nunca encontrei em nenhum texto lido, o maior vocábulo da língua portuguesa, com suas doze sílabas, na página 61.
Recomendo demais, são só 135 páginas do livro todo, mas o texto em si são só 106 páginas, eu simplesmente adorei.
Por hoje é só amores.
Até a próxima.
Tchau!

Título: Uma Canção de Natal
Autor (a): Charles Dickens
Editora: Cia das Letras
Número de Páginas: 136

2 comentários:

É um imenso prazer receber seu comentário. Seja sempre bem-vindo aqui.